Conjuntura do Milho no Mato Grosso, segundo Imea (em 23/11/2015)

281

 O custo de produção de milho no Estado do Mato Grosso é um dos fatores mais preocupantes para a safra 15/16. E tudo indica que o alerta que vinha sendo feito ao produtor de que o dólar seria a “faca de dois gumes” para a temporada 15/16 de milho deve se concretizar. Já que, da mesma maneira que o câmbio tem influenciado positivamente as cotações do cereal, este tem onerado mais o produtor.

Para se ter uma ideia, os gastos com insumos devem chegar a R$ 1.317/ha na próxima safra, o maior valor da história em reais, no entanto, se realizada a conversão para dólar esses não serão os maiores custos com insumos da história.

Dito isso, vale a pena atentar-se para o fato de que componentes como defensivos e fertilizantes, que são em grande parte importados, estão pesando sobre a conta do produtor na hora de adquirir e planejar a próxima safra, e o momento é de atenção, para conseguir gerir da melhor maneira seus custos.

  • Abaixo uma imagem apresentada pelo Instituto no boletim semanal com os gastos com insumos para a cultura:

custos milho

Alguns destaques do Instituto para a semana:

  • O milho em Mato Grosso fechou a semana com preço próximo à estabilidade, com variação negativa de 0,28% em relação à última semana. O preço do cereal ficou cotado a R$ 18,21/sc.
  • A constância também paira no mercado internacional do cereal, o preço do milho na CBOT com vencimento para julho/16 apresentou desvalorização de apenas 0,47% na comparação semanal.
  • O preço médio semanal foi de US$ 3,80/bu.
  •  Com um produto bastante competitivo no mercado internacional, o prêmio pago em Paranaguá subiu 41,67% nesta semana, ou US$ 0,10. No mesmo período do ano passado, o valor do prêmio ficou com uma média de US$ 0,95/bu.

 

  • Fonte: IMEA (www.imea.com.br), Boletim Semanal do Milho, de 23/11/2015.

какой марки ноутбук лучшеkl chinesewhat are binary tradingновости харьковова дтп видеопаркет шлифовка

Texto originalmente publicado em:
IMEA: Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária
Autor:

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA