Boletim semanal do milho no Mato Grosso, segundo IMEA (em 18/12/2015)

264

Ao contrário das expectativas iniciais, de redução de área, e logo produção, o milho mato-grossense da safra 14/15 surpreendeu e registrou aumento na área, produtividade e produção, com destaque para a produtividade, que atingiu 106,89 sc/ha, maior valor já registrado em Mato Grosso.

E mesmo com a produção desta temporada sendo a segunda maior da história, a expectativa de que esse fato impactaria negativamente nos preços acabou não se confirmando, e a cotação do cereal em Mato Grosso registrou valorização em plena colheita. Tal fato só foi possível graças à forte elevação do dólar frente ao real que ocorreu durante o ano. No entanto, cabe ressaltar que os custos para a produção do milho no Estado foram recordes nesta safra e, além disso, no pico de escoamento de cereal (setembro e outubro) o preço do frete bateu o recorde do ano, prejudicando o preço pago ao produtor.

Apesar desses fatos negativos, o dólar foi a variável que renovou os ânimos para a cultura do milho em 2015, já que aumentou a competividade do cereal mato-grossense, beneficiando assim a demanda externa do Estado, que deve ser uma das maiores da história. O preço do milho no mercado interno apresentou valorização anual de 9,6%, atingindo cotação média de R$ 16,22/sc. A principal influência se dá na forte alta de 40,54% da moeda norte-americana em relação a 2014.

Destaques do Imea no Boletin número 384:

• Por mais um ano a cotação externa do milho recuou, pautada, sobretudo, na elevação dos estoques mundiais do cereal. Assim, 2015 encerra com média de US$ 3,78/bushel para os contratos físicos na CBOT.

• Na média de 2015, a relação frete/milho elevou-se para 103,24%, o que mostra que mesmo com a valorização do cereal no ano, o frete obteve uma alta proporcionalmente maior.

• Mesmo o custo com os insumos aumentando na safra 15/16, a relação insumo/paridade recuou, pautada na elevação do preço de paridade. Nesta relação, eram necessárias 91,9 sc/ha para cobrir gastos com insumos na safra 14/15, já na safra 15/16 a expectativa é de 84,58 sc/ha.

PERSPECTIVAS: O cenário que se monta para o milho de MT em 2016 é delicado. O dólar deve “bater” com mais força nos gastos produtivos da safra 15/16, com os custos totais de R$ 2.528,84/ha sendo os maiores gastos já feitos pelos agricultores para produzir o milho no Estado. Outro fator que se mostra adverso à produção de milho é o preço do cereal no mercado internacional, com os estoques mundiais nos maiores patamares das últimas 15 safras, a cotação do milho na CBOT se mostra cada vez mais próximo das mínimas históricas.

Apesar de tais fatores, que desanimam os agricultores, os prós para a produção do milho em MT se apresentam mais presentes, o mesmo dólar que “baterá” mais forte nos custos tem contribuído para a elevação do preço interno, não à toa o Imea estima que cerca de 53,5% da produção 15/16 de milho já se encontra negociada, demonstrando assim que os produtores, animados pelos bons preços internos, têm negociado grande parte de sua produção. Diante de tais fatores, o Imea avalia que a área destinada ao milho na safra 15/16 deve crescer 2,57% em relação à safra 14/15, ficando em 3,39 milhões de hectares. Dessa maneira, 2016 será um ano que pode se resumir em uma palavra para o produtor de milho em MT, “atenção”, essa será a palavra de ordem.

Para ler o Boletim número 384 do Imea clique aqui.

Fonte: IMEA, Boletim Semanal do Milho, de 18 de dezembro de 2015.

кинотеатр харькововрецепты с использованием блендераmiami buy housingконсультация бесплатного юристакупить ноутбук в рассрочку

Texto originalmente publicado em:
IMEA
Autor: Yago Travagini e João Arthur

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA