Bons volumes: Nesta semana o Imea atualizou os dados de esmagamento mensal de soja em MT. De modo que em julho foram processadas 835,0 mil toneladas da oleaginosa, maior volume já observado na série histórica no período.

Porém, quando comparado ao mês de junho, o cenário é diferente, redução de 8,8%, devido, principalmente, a algumas paralisações pontuais para manutenção das fábricas. Outro ponto a ser destacado é a redução no preço dos subprodutos, recuo de 1,6% ante o mês passado, reflexo da pressão do mercado internacional, deixando a margem bruta de esmagamento mensal em R$ 378,66/t.

Cabe salientar que, apesar da leve redução, o total acumulado de janeiro a julho é de 5,87 milhões de toneladas, o maior volume esmagado. Sendo assim, com 90,0% da safra 17/18 comercializada, as esmagadoras devem se atentar aos estoques e coberturas para não haver surpresas.


Quer aumentar sua produtividade? Confira o Consoja.


Confira os principais destaques do boletim:

• O preço disponível da soja mato-grossense encerrou a última semana com baixa de 0,88% e preço médio de R$ 69,63/sc, uma perda de R$ 0,61/sc.

• De olho nas eleições brasileiras e também na guerra comercial entre os EUA e outros países, a taxa de câmbio corrente finalizou a última semana com valorização de 1,25% e cotação média de R$ 3,80/US$.

• A relação frete/soja fechou com alta de 0,57 p.p. Com a estabilidade no preço do frete devido à tabela mínima, o cenário se dá pelo recuo no preço do grão disponível.

• O contrato corrente de soja na Bolsa de Chicago, fechou a semana em US$ 8,85/bushel, queda na semana de 0,68%, reflexo do relatório de O&D do USDA divulgado na última sexta-feira.

Leve Recuo:

A Secex divulgou os volumes exportados no mês de julho, o total escoado pelo país foi de 10,2 milhões de toneladas, com um recuo de 3,2% diante do mês de junho.

Mato Grosso, por sua vez, contabilizou 2,8 milhões de toneladas escoadas, uma regressão de 0,9%, quando comparado com o mês anterior, porém, diante da série histórica, apresentou o maior volume exportado no período. Um ponto a ser destacado é a participação mato-grossense no volume total escoado pelo Brasil, que de janeiro a julho já contabiliza um share de 30,0% e um total de 16,9 milhões de toneladas exportadas.

Vale ressaltar que, apesar de nos últimos meses ter ocorrido a greve dos caminhoneiros, o
escoamento de soja no período foi bem administrado, conseguindo, assim, absorver bem os reflexos da paralisação.

Desta maneira, com a maior parte da oleaginosa já comercializada, a exportação deve seguir um fluxo de escoamento reduzido até a próxima safra.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Boletim semanal da Soja- IMEA
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.