A Agricultura de Precisão e os Drones Melhoram a Aplicação dos Produtos Fitossanitários

Todos os anos, os campos da Califórnia necessitam de um milhão e meio de colmeias de abelhas para polinizar as amendoeiras em flor. Como estes, as macieiras, os cacaueiros e pelo menos 100 culturas do mundo requerem os serviços de polinização que fornecem esses insetos benéficos para frutificar. Embora seja muito difícil de quantificar o seu valor, estimou-se que o serviço de polinização representa cerca de 153 bilhões de euros cada ano (Gallai, Salles, Settele,; Vaissière, 2009). É preocupante que, desde 2006, os apicultores em alguns países europeus e nos Estados Unidos têm relatado mortes em suas colmeias a um ritmo impressionante. Embora existam muitas causas às quais são atribuídas estas reduções nas populações de abelhas, alguns grupos têm enfatizado o efeito que podem estar tendo os pesticidas nisso, especialmente alguns inseticidas. No entanto, o consenso na comunidade científica aponta para uma multiplicidade de fatores que contribuem aos efeitos associados à desaparição e desorientação das colônias.

Embora na maioria dos lugares o número de abelhas tem-se mantido ou mesmo aumentado, em outros, há uma situação preocupante. Tanto é assim que, enquanto os estoques globais aumentaram 45% nos últimos 50 anos devido à multiplicação das colmeias em países como China e Argentina, o número de colónias de abelhas domésticas tem diminuído 25% na Europa entre 1985 e 2005 e 59% na América do Norte entre 1947 e 2005 (Goulson, Nicholls, Botías, & Rotheray, 2015). Este declínio radical tem sido atribuído ao transtorno conhecido como Síndrome do Colapso das Abelhas e as perdas invernais de colônias.

Aplicações Precisas

As máquinas agrícolas modernas e eficientes permitem a os agricultores:

1) melhorar as suas culturas através da aplicação mais focalizada dos insumos;

2) reduzir o custo dos insumos;

3) beneficiar o meio ambiente usando um numero menor de insumos;

4) reduzir o trabalho e aumentar o conforto dos agricultores (por exemplo, os tratores de auto condução podem funcionar em más condições meteorológicas e à noite);

5) melhorar os lucros..

Por exemplo, as fazendas na Alemanha usando a tecnologia digital avançada de precisão relataram maiores rendimentos por hectare com uma redução do uso de herbicidas e diesel em 10 e 20 por cento, respectivamente.

A tecnologia moderna em máquinas agrícolas ajuda especificamente aos agricultores a:

  • Proteger as culturas contra as pragas com doses exatas e aplicações de produtos direcionadas;
  • Permitir o uso responsável do produto com menor exposição;
  • Usar eficientemente a superfície agrícola limitada; e
  • Maximizar os resultados da colheita.

O CEMA (Comité Européen des Groupements de Constructeurs du Machinisme Agricole), a Associação Europeia de Maquinaria Agrícola, tem uma aliança com a Associação Europeia de Proteção de Cultivos (ECPA) para produzir um padrão universal de vanguarda para Sistemas de Transferência Fechada que irão permitir que os produtos fitossanitários sejam colocados nos pulverizadores sem abri-los para minimizar a exposição dos agricultores.

Além disso, CEMA e ECPA planejam lançar um site dedicado sobre os benefícios da nova tecnologia de pulverização. Os agricultores serão informados como comprar novos equipamentos ou reabilitar o equipamento velho. Uma aplicação melhor, mais segura e precisa dos produtos fitossanitários é o nosso objetivo mútuo.

De Dados para Drones

Graças à conectividade digital, o equipamento de fazenda inteligente pode ligar os “pontos” de dados e colocá-los em uma ordem optimizada consultando, por exemplo, a informação específica de campo do software da administração da fazenda baseado na nuvem. Os sensores e a teledetecção recolhem os dados a distancia para avaliar a saúde do solo e das culturas, como a presença de pragas ou doenças.

A grande questão é quando e como serão utilizados os drones e robôs no campo para aplicar produtos fitossanitários e melhorar a produção das culturas? Embora existam protótipos de robôs de campo, eles ainda não são usados nos campos. Os drones, no entanto, já estão decolando na agricultura.

Usados principalmente para capturar imagens e fornecer dados, os drones permitem a monitorização contínua de uma cultura desde o plantio à colheita. Eles também podem ajudar os agricultores a reagir mais rapidamente às ameaças, tais como ervas daninhas, insetos e fungos; economizar tempo na exploração das culturas para tomar medidas adequadas; e melhorar a aplicação de taxas variáveis de inputs em tempo real. Estes dados são processados na nuvem e traduzidos em informações úteis, tais como a saúde das plantas e as infestações de pragas. Estes dados podem então ser introduzidos em maquinário inteligente para ajustar a quantidade de insumos, tais como produtos fitossanitários para um campo, consequentemente.

Além da determinação dos brotes de plagas, os drones podem ser utilizados para aplicar produtos fitossanitários. Em Japão, por exemplo, os drones fazem pulverizações aéreas. Enquanto que não se permite a pulverização em Europa, os drones estão disponíveis para distribuir agentes biológicos como os ovos de vespa. Mas o potencial dos drones é muito alto em todo o mundo.

Os drones resistentes à água podem monitorar qualquer tipo de cultivo em qualquer área geográfica sob qualquer condição climática. Eles também podem obter imagens de maior qualidade e precisão em tempo real, porque voam abaixo das nuvens e tem fotos de alta resolução – muito superior aos satélites que tiram fotografias apenas uma vez por semana ou mês e não funcionam bem quando está nublado.

Espera-se que o uso de drones agrícolas crescerá significativamente nos próximos anos, porque eles oferecem uma ampla gama de aplicações que melhoram a agricultura de precisão. Além disso, eles podem potencialmente substituir a aplicação humana de produtos fitossanitários, minimizando a exposição dos agricultores. É uma tecnologia bem-sucedida.

Ulrich Adam é secretário-geral do CEMA, a associação europeia de fabricantes de equipamentos agrícolas com sede em Bruxelas. CEMA representa 4.500 fabricantes que produzem 450 tipos diferentes de máquinas que variam de tratores para semeadoras de precisão.

Fonte: CropLife América Latina

Autores: Por: Juanita von Rothkirch ; Mauricio Rodríguez, Ph.D

Quer conhecer o Trabalho desenvolvido pela CropLife América Latina, clique no simbolo abaixo e confira. CropLife Latin America

Texto originalmente publicado em:
CropLife América Latina
Autor: Por: Juanita von Rothkirch ; Mauricio Rodríguez, Ph.D

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.