No mês de agosto as negociações da soja “fluíram” em MT, retomando o ritmo de vendas da safra disponível e futura. Para a safra 17/18 o avanço mensal foi de 3,42%, elevando a comercialização para 93,46%.

E para a safra 18/19, o progresso mensal foi de 6,66%, com acumulado de 28,15% já negociados. Desse modo, os fatores-chave para este cenário foram a melhora nas cotações, puxadas pela elevação do dólar no período, e a proximidade do início da semeadura.

Assim, o valor médio de venda da safra 17/18 foi de R$ 72,26/sc, e da safra 18/19, de R$ 67,44/sc, um acréscimo de 2,68% e 3,70%, respectivamente, em relação ao mês de julho.

Para os próximos meses, o dólar tende a continuar sendo o principal vetor de negócios, assim, além das preocupações rotineiras e com a semeadura próxima, o produtor deve estar atento ao “movimentado” cenário político brasileiro, a fim de garantir as melhores oportunidades.


Confira a programação do congresso e participe! Sua produtividade não será a mesma!!


Confira os principais destaques do boletim:

• O preço disponível da soja em Mato Grosso finalizou a última semana com valorização de 1,54% e preço médio de R$ 73,01/sc, devido às altas do prêmio, CME e taxa de câmbio.

• A taxa de câmbio corrente finalizou com ganho de 0,41% e cotação média em R$ 4,15/US$, devido, sobretudo, ao cenário eleitoral brasileiro e o cenário externo desfavorável de alguns países, como Argentina e Turquia.

• O preço paridade para mar/19 encerrou com alta de 1,19% e preço médio de R$ 64,10/sc, pautado pelo contrato CME mar/19 e taxa de câmbio.

• O aumento no preço da soja em Mato Grosso e o recuo no preço de um dos subprodutos fizeram com que a relação soja/farelo e óleo, encerrasse com queda de 2,07%.

PARA ZERAR ESTOQUES:

Apesar da redução ante o mês anterior, a demanda internacional pela soja brasileira seguiu em um ritmo forte durante agosto, e como resultado, o país exportou 8,13 milhões de toneladas da oleaginosa no período.

Mato Grosso foi um dos principais estados que contribuíram para tal volume, participando com 48,27%, ou 3,92 milhões de toneladas.

Tal atuação resultou no maior montante já exportado de toda a série histórica em um único mês, e no acumulado de janeiro a agosto totaliza 20,87 milhões de toneladas, 15,82% acima do observado no ano passado inteiro.

Este desempenho é principalmente reflexo da atuação chinesa no mercado para garantir seu abastecimento e seus estoques durante a entressafra brasileira.

Caso os line-ups de embarques nacionais previstos em setembro se concretizarem, o país irá registrar já no próximo mês o maior volume da sua história restando três meses para o fim do ano.

Fonte: IMEA

Texto originalmente publicado em:
Boletim semanal da soja
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.