Adaptabilidade e estabilidade na indicação de cultivares de aveia ecologicamente mais eficientes à redução de fungicida e estáveis às mudanças climáticas

160

O objetivo do trabalho é o emprego dos  modelos de adaptabilidade estabilidade de Eberhart & Russell (1966), na  identificação de cultivares de aveia mais resistentes as doenças foliares pelo maior intervalo entre a colheita e última aplicação de fungicida junto as condições meteorológicas dos ano de cultivo

Autores: Natiane Carolina Ferrari Basso¹, Eldair Fabricio Dornelles2, Ana Paula Brezolin Trautmann3, Angela Teresinha Woschinski de Mamann3, Adriana Roselia Kraisig3, Vanessa Pansera3, Odenis Alessi3, Osório Antonio Lucchese4, Roberto Carbonera5, José Antonio Gonzalez da Silva5

Trabalho publicado nos Anais do evento e divulgado com a autorização dos autores.

A aveia branca é uma das espécies de estação fria mais cultivada no sul do Brasil (MAROLLI et al., 2017; CONAB 2018). Devido à expansão de áreas destinadas para o cultivo de aveia, surgem riscos de epidemias, as quais podem acarretar em danos irreversíveis a produção de grãos (ZHU; KAEPPLER, 2003;SILVA et al., 2015).

Dentre as doenças que mais atacam essa cultura, as foliares são mais severas e ocorrem ao final do ciclo, pelo aumento da temperatura do ar e presença de umidade (NERBASS JUNIOR et al., 2010). Dessa forma, a expressão de rendimento de aveia está associada a características genéticas das cultivares,condições climáticas durante o cultivo e uso de tecnologias de manejo (BREZOLIN et al., 2016; ROMITTI et al., 2016; KRYSCZUN et al., 2017).

Assim, a otimização das técnicas de manejo, pela identificação de cultivares ecologicamente mais sustentáveis, é essencial para maximizar a produtividade e a qualidade de grãos (SILVA et al., 2016), principalmente pela maior resposta à redução de uso defungicida e a estabilidade às alterações climáticas (HAWERROTH et al., 2014; SILVA et al., 2015). Neste contexto, as análises de adaptabilidade e estabilidade se apresentam como alternativas eficientes para identificação de cultivares mais  ajustadas às condições de cultivo (CAVALCANTE et al., 2014; ARENHARDT et al., 2015).

O emprego de modelos de adaptabilidade e estabilidade pode promover a possibilidade de manejos que reduzam o uso de fungicida e com maior estabilidade às condições ambientais. Desta forma, o objetivo do trabalho é o emprego dos  modelos de adaptabilidade estabilidade de Eberhart & Russell (1966), na  identificação de cultivares de aveia mais resistentes as doenças foliares pelo maior intervalo entre a colheita e última aplicação de fungicida junto as condições meteorológicas dos ano de cultivo.

O presente trabalho foi desenvolvido nos anos agrícolas de 2015, 2016 e 2017 no Instituto Regional de Desenvolvimento Rural/IRDeR no município de Augusto Pestana, Brasil. O delineamento utilizado foi de blocos casualizados, em um esquema fatorial 22 x 4, para as 22 cultivares de aveia branca (Tabela 1) e 4  condições de aplicações de fungicida, sem aplicação de fungicida, com uma aplicação aos 60 dias após a emergência(DAE), com duas aplicações (uma  aplicação aos 60 e outra aos 75DAE), e com três aplicações (uma aplicação aos 60, outra aos 75 e outra aos 90DAE).

Tabela 1: Média da produtividade de grãos e área foliar necrosada em cultivares de aveia em função dos anos de cultivo com três aplicações de fungicida (60/75/90DAE)

A proposta destas condições de aplicação é proporcionar maior intervalo entre a colheita e última aplicação de fungicida. Os fungicidas utilizados no controle das doenças foliares, nos anos de 2015 e 2016, foi o fungicida FOLICUR® CE na dosagem de 0,75 L ha-1, e no ano de 2017 foi utilizado o fungicida PRIMO® na dosagem 0,3 L ha-1. Aos 105DAE foi mensurado a área foliar necrosada das três folhas superiores de três plantas de cada parcela, sendo digitalizadas utilizando o leitor de área foliar e o software WinDIAS na mensuração das áreas. A produtividade de grãos foi avaliada através da colheita das três linhas centrais de cada parcela.

Em cada ano agrícola, os genótipos foram classificados em superior e inferior a partir da média mais ou menos um desvio padrão. Na identificação de cultivares de aveia branca mais responsivas ao propósito do estudo, foi empregado o modelo de adaptabilidade e estabilidade de Eberhart & Russell (1966). Além disso, foi realizado o agrupamento de médias por Scott & Knott, para agrupamento das cultivares.

Na Tabela 1, buscando observar cultivares de aveia de desempenho superior por condição de ano agrícola, as cultivares URS Altiva, FAEM 5 Chiarasul e FAEM 4 Carlasul representaram o grupo estando na média geral com pelo menos uma superioridade à média mais um desvio padrão de produtividade de grãos, na condição de três aplicações de fungicida. A cultivar FAEM 4 Carlasul ganha destaque por se apresentar superior em relação à produtividade de grãos e área foliar necrosada no ano desfavorável (2017), podendo ser considerada uma cultivar com boa produtividade e maior resistência genética as doenças foliares. Embora as cultivares URS Corona, Brisasul e IPR Afrodite tenham mostrado superioridade em relação à média geral, essa superioridade apenas ocorre em ano desfavorável ao progresso da doença (2016).

Em relação a área foliar necrosada, a cultivar URS Guará é considerada inferior, em ano desfavorável ao aparecimento de doenças foliares(2016). Em ano desfavorável as cultivares, onde ocorreu maior ocorrência de doenças foliares (2017), a FAEM 006, FAEM 4 Carlasul e IPR Afrodite foram consideradas cultivares superiores com maior resistência as doenças foliares.

Na tabela 2, as cultivares que tiveram melhores médias de produtividade foram URS Altiva, URS Brava, URS Guará, URS Corona, FAEM 007, FAEM 006,  FAEM 5 Chiarasul, FAEM 4 Carlasul, Brisasul, Barbarasul, IPR Afrodite, UPFPS Farroupilha. Destaca-se, as cultivares URS Guará, FAEM 006 e UPFPS Farroupilha pelas médias elevadas de produtividade com adaptabilidade geral (b1=1) e estabilidade.

Tabela 2: Parâmetros de adaptabilidade e estabilidade em cultivares de aveia pelas condições de ano agrícola na produtividade e área foliar necrosada com três aplicações de fungicida (60/75/90DAE)

Além disso, as três cultivares evidenciaram, as menores áreas foliares necrosadas com adaptabilidade geral, porém, com instabilidade. A cultivar FAEM 4 Carlasul obteve média elevada de produtividade com adaptabilidade a ambiente desfavorável e estabilidade na produção.

O uso do modelo de adaptabilidade e estabilidade de Eberhart e Russel (1966) representa uma alternativa eficiente na identificação de cultivares de aveia branca com maior resistência genética às doenças foliares e com maior estabilidade as alterações do ambiente.

As cultivares URS Guará, FAEM 006 e UPFPS Farroupilha, evidenciaram pelo modelo proposto elevadas produtividades e estabilidade às condições de ano agrícola no uso de fungicida com elevado intervalo entre a colheita e última aplicação. Deste modo, a recomendação dessas cultivares pode permitir maior previsibilidade sobre a produtividade de grãos com a possibilidade de menor uso de agrotóxicos e mais ajustadas as condições de cultivo.

Uma condição chave para o desenvolvimento de uma produção ecologicamente mais sustentável, com a qualidade de grãos preconizado pela indústria de alimentos.

Referências:

ARENHARDT, E.G; SILVA, J.A.G.; GEWEHR, E; ARENHARDT, L,G; ARENHARDT, C.L; NONNENMACHER, G. Cultivar release CG picaço : a new cultivar of sudangrass with high forage performance and seed yield, Crop Breeding and Applied Biotechnology, v. 15, n. 1, p. 51–55, 2015.

BREZOLIN, A.P.; SILVA, J.A.G.; FRANTZ, F.C.R.; BINELO, M.O.; VALDIERO, A.C.; ZIMMER; C.M.; MANTAI, R.D.; MAROLLI, A.; SCREMIN, O.B.; MAZURKIEVICZ, G. The efficiency of wheat yields by nitrogen dose and fractionation. African Journal of Agricultural Research, v.11, p.3440-3449, 2016.

CAVALCANTE, A.K; HAMAWAKI, O.T; HAMAWAKI, R.L; SOUSA, B; NOGUEIRA, A, P,O; HAMAWAKI, C.D.L. Fentopic adaptability and stability in soybean genotypes in Porto Alegre do Norte, state of Mato Grosso. Bioscience Journal, v. 30, n. 4, p. 942–949, 2014.

CONAB, Acomp. safra brasileira de grãos, v.5 – Safra 2017/2018, n.5 – Quinto levantamento | FEVEREIRO 2018. Disponível em: http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/18_02_08_17_09_36_fevereiro_2018.p df. Acesso em: 27/02/2018.

EBERHART, S.A.; RUSSELL, W.A. Stability parameters for comparing varieties. Crop science, v. 6, n. 1, p. 36-40, 1966.

HAWERROTH, M.C; BARBIERI, R.L; SILVA, J.A.G.; CARVALHO,F.I.F.; OLIVEIRA, A. C. Importância e dinâmica de caracteres na Aveia Produtora de Grãos. Pelotas, Embrapa Clima Temperado, ISSN: 1516-8840, 2014.

KRYSCZUN, D.K; SILVA, J.A.G.; MAROLLI, A; TRAUTMANN, A.P.B; LUCIO, A. D; CARBONERA, R. Growth regulator on oat yield indicators. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola a Ambiental, v.21, n. 12, p.828-833, 2017.

MAROLLI, A.; SILVA, J.A.G.; ROMITTI, M.V.; MANTAI, R.D.; SCREMIN, O.B.; FRANTZ, R.Z.; SAWICKI, S.; ARENHARDT, E.G.; GZERGORCZICK, M.E.; LIMA, A.R.C. Contributive effect of growth regulator Trinexapac-Ethyl to oats yield in Brazil. African Journal of Agricultural Research, v. 12, n. 10, p. 795–804, 2017.

NERBASS JUNIOR, J.M.; CASA, R.T.; KUHNEM JUNIOR, P.R.; GAVA, F.; BOGO, A. Modelos de pontos críticos para relacionar o rendimento de grãos de aveia branca com a intensidade de doença no patossistema múltiplo ferrugem da folha: helmintosporiose. Ciência Rural, v. 40, n. 1, p. 1–6, 2010.

ROMITTI, M.V; SILVA, J.A.G.; MAROLLI, A.; ARENHARDT, E.G.; MAMANN, A.T.W.; SCREMIN, O.B.; LUCCHESE, O.A.; KRUGER, C.A.M.B.; ARENHARDT, L.G.; BANDEIRA, L.M. The management of sowing density on yield and lodging in the main oat biotype grown in Brazil. African Journal of Agricultural Research, v.11, p.1935-1944, 2016.

SILVA, J.A.G.; WOHLENBERG, M.D.; ARENHARDT, E.G.; OLIVEIRA, A.C.; MAZURKIEVICZ, G.; MULLER, M.; ARENHARDT, L.A.; BINELO, M.O.; ARNOLD, G.; PRETTO, R. Adaptability and stability of yield and industrial grain quality with and without fungicide in Brazilian oat cultivars, American Journal of Plant Sciences, v. 6, n. 9, p. 1560–1569, 2015.

SILVA, J.A.G.; NETO, C.J.G.; FERNADES, S.B.V.; MANTAI, R.D.; SCREMIN, O.B.; PRETTO, R. A eficiência do nitrogênio em aveia na produtividade de grãos com estabilidade. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 20, n. 12, p. 1095– 1100, 2016.

ZHU, S.; KAEPPLER, H.F. Identification of Quantitative Trait Loci for Resistance to Crown Rust in Oat Line MAM17-5. Crop Science, v. 43, n. 1, p. 358, 2003.

Informações dos autores:  

¹Estudante de agronomia, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ), Ijuí, RS;

2 Estudante de mestrado em Modelagem Matemática, UNIJUÍ;

3 Estudante de doutorado em Modelagem Matemática, UNIJUÍ;

4 Eng. Agr., Mestre, Professor Departamento de Estudos Agrários, UNIJUÍ.;

5 Eng. Agr., Doutor, Professor Departamento de Estudos Agrários, UNIJUÍ.

Disponível em: Anais do XXXVIII REUNIÃO DA COMISSÃO BRASILEIRA DE PESQUISA DE AVEIA, Ijui – RS, Brasil, 2018.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.