Bioinseticida estará disponível já na safra de verão 2018-19, para controle das lagartas Helicoverpa armígera e Chrysodeixis includens; desenvolvimento no País envolveu investimentos em 150 experimentos agrícolas de larga escala

A AgBiTech Brasil obteve esta semana o registro do Ministério da Agricultura para seu novo inseticida biológico Surtivo® Soja. Indicado ao controle das lagartas Helicoverpa armígera Chrysodeixis includens, o produto constitui a primeira pré-mistura de baculovírus desenvolvida no mundo para manejo de pragas agrícolas. De acordo com a companhia, a tecnologia de Surtivo® Soja vem sendo testada no Brasil há dois anos, com a participação de grandes produtores unidos a cientistas de universidades e órgãos oficiais.

Segundo a vice-presidente global da AgBiTech, a entomologista Paula Marçon, o desenvolvimento do produto nas lavouras brasileiras exigiu investimentos representativos e envolveu mais de 150 experimentos de larga escala, realizados em regiões da Bahia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul. Participaram dos estudos grupos agrícolas inovadores e renomados pesquisadores brasileiros.

“Na Bahia, onde a pressão de Chrysodeixis includens em soja convencional tem sido significativa, o manejo com uma única aplicação de Surtivo® Soja trouxe controle superior ao obtido no programa padrão do produtor, em que foram feitas múltiplas aplicações de inseticidas químicos”, destaca Paula Marçon.

De acordo com a entomologista, doutora na área, no controle da Helicoverpa armigera o novo Surtivo® Soja teve desempenho semelhante, “com excelente proteção das vagens contra dos danos dessa praga, que é conhecida por sua agressividade”. “Uma das características notáveis do produto é o longo período de controle proporcionado, superior a quarenta dias”, continua Paula.

Ela afirma que esse diferencial está relacionado, principalmente, ao fato de lagartas infectadas pelo produto Surtivo® Soja contaminarem outras lagartas da lavoura em múltiplos ciclos de infecção, um efeito chamado de ‘epizootico’.

O diretor geral da AgBiTech para a América Latina, Adriano Vilas Boas, afirma que o novo Surtivo® Soja estará disponível para comercialização na safra de verão que se aproxima, juntamente a outros três bioinseticidas da empresa já registrados no País.  Vilas Boas assinala que os principais trabalhos científicos de Surtivo® Soja desenvolvidos no Brasil serão apresentados no Congresso Latino-Americano de Entomologia, que ocorrerá no mês de setembro próximo, em Gramado, RS.


Confira esse DESCONTÃO na nossa plataforma de cursos! Clique no banner e atualize-se.


Na Austrália, onde foi fundada no ano 2000, a AgBiTech é a líder do mercado de proteção biológica de cultivosEm 2015, a empresa construiu uma fábrica nos Estados Unidos, com investimento de US$ 12 milhões e capacidade para atender a uma demanda global da ordem de 15 milhões de hectares de lavouras. Também em 2015 a AgBiTech decidiu investir fortemente no Brasil, a partir da montagem de uma ampla estrutura de pesquisa e desenvolvimento.

De acordo com Vilas Boas, a operação comercial brasileira da AgBiTech começa para valer na safra 2018-19. A expectativa da companhia é a de assumir, até 2021, a primeira posição do mercado de bioinseticidas para lagartas. Este mercado deverá movimentar entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões em 10 anos, conforme projeções da indústria.

Além de Surtivo® Soja, a AgBiTech inicia sua estratégia de negócios no País com a distribuição dos lagarticidas Armigen®, Cartugen®, e Chrysogen®. O primeiro é recomendado no controle de lagartas dos gêneros Helicoverpa e Heliothis; o segundo tem como alvo a lagarta Spodoptera frugiperda e o terceiro à lagarta Chrysodeixis includens. Outros dois novos produtos da empresa, que controlam também a lagarta Spodoptera eridania, têm lançamento previsto para a safra 2019-20.

Fonte: Assessoria de Imprensa AgBiTech

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.