Agro foi responsável pelo saldo positivo da balança comercial de Goiás

791

Goiás registrou mais um superávit na balança comercial neste mês de março, tendo registrado um saldo positivo no período de US$386,2 milhões. O volume exportado no mês chegou a ordem de US$734,5 milhões, tendo como carro chefe o complexo soja, responsável por mais da metade do resultado obtido.

Já as importações do mês foram da ordem de US$348,3 milhões, um crescimento de 15,4% em relação ao mesmo período do ano passado. Entre os principais produtos importados em março, destaque novamente dos insumos para indústria farmacêutica, responsável por 37,5% das importações do mês, seguido das aquisições de veículos, tratores e suas partes, que somaram 15,4% do resultado total.

Com isso o acumulado na balança comercial de 2018 atingiu o montante de US$656,1 milhões, o que representa uma queda de 16,43% em relação ao resultado obtido em 2017. Porém esta queda pode ser considerada um fator positivo, já que tivemos uma manutenção das exportações, que ficaram apenas 0,02% inferiores ao início de 2017, com US$1,58 bilhão, e estamos registrando uma alta de 16,1% nas importações totais, com volume ficando em US$928,6 milhões.

Esta elevação demonstra claramente a recuperação do poder de compras das empresas e consumidores goianos, sendo parte importante dos produtos importados formados por insumos da indústria de transformação e da atividade agropecuária.

Entre os principais produtos exportados no ano, a soja segue como principal destaque, sendo a Soja em grão responsável por 30,1% do total exportado em 2018 até o momento, somando US$478,3 milhões e 1,22 milhão de toneladas. Porém tanto o volume (-7,6%) quanto o valor monetário (-8,8%) estão inferiores ao ano passado, fruto principalmente do atraso registrado na colheita da oleaginosa nesta safra, o que atrasou a chegada da oferta do produto.

Em seguida na lista de principais produtos exportados aparecem as Carnes desossadas e congeladas de Bovinos, que já registraram montante de US$173 milhões vendido ao exterior neste início de 2018, resultado 27,6% superior ao mesmo período ano passado. Outro destaque advindo do agronegócio é o Farelo de Soja, quarto maior produto exportado de Janeiro a Março deste ano, tendo registrado um montante de US$118 milhões, queda de 31,4% em relação a 2017.

Parte deste resultado também é explicado pelo atraso na colheita da soja, sendo esperado uma recuperação já nos próximos meses, devendo inclusive superar o resultado dos anos anteriores, dado o bom momento de margens da indústria de processamento de soja e a expectativa de crescimento da demanda externa.

Também figuram entre os 10 principais produtos exportados até o momento a carne de frango (pedaços e miudezas congeladas), com US$54,9 milhões, queda de 9,3% em relação a 2017, e os Açúcares de Cana, que registram alta de 68,7% nesta mesma comparação, tendo exportado US$40,5 milhões até o momento.

Já nos principais produtos importados, destaque para o Medicamentos para Medicina Humana e Veterinária, responsáveis por 34% do total importado, seguido das Partes e Peças para Veículos e Tratores (11%), Cloreto de Potássio (4,7%), Automóveis de Passageiros (4,25), Ureia (3,6%), Compostos Heterocíclicos (2,9%), Adubos Formulados NPK (1,9%) e Máquinas e Aparelhos para Uso Agrícola (1,8%).

A China continua sendo o principal parceiro comercial goiano, sendo responsável por 35,5% do volume total exportado pelo estado, com US$563,1 milhões, queda de 1,89% em relação a 2017. Entre os principais produtos adquiridos pelos gigantes asiáticos destaque para a soja, ferroligas, carnes bovinas e de aves, produtos farmacêuticos, produtos químicos e perfumarias e preparações cosméticas.

Seguindo a China na lista de compradores de produtos goianos temos os Países Baixos (6,61%), a Índia (6,15%), Espanha (4,60%), Hong Kong (3,69%), Coréia do Sul (3,65%), Reino Unido (3,27%), Estados Unidos (3,21%), Irã (2,94%) e Tailândia (2,54%).

Já entre as origens dos produtos importados por Goiás neste início de 2018, destaque para a Alemanha (16,92%), Estados Unidos (14,15%), Coreia do Sul (12,07%), Japão (7,22%), China (6,07%), Suíça (5,73%), Tailândia (5,31%) e Rússia (5,3%), Índia (3,14%) e Itália (2,21%).

Fonte: Ifag, disponível em Faeg

Texto originalmente publicado em:
Faeg
Autor: Nayara Pereira

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.