Avaliação da capacidade combinatória de populações e genitores em soja para teor de óleo e precocidade

278

O objetivo do presente trabalho foi avaliar a capacida de de combinação geral (CGC) e especifica (CEC) a partir de um dialelo parcial entre dois grupos distintos de genitores 

Autores:   João Marcos Soares Ferreira1*; Lucas de Amaral Silva1; Diego Santos de Oliveira1; Fernando Santos Ferreira1; Murilo Viotto Del Conte2; Felipe Lopes da Silva3.

Trabalho disponível nos Anais do Evento e publicado com o consentimento dos autores.

RESUMO

Com tamanha expressividade no agronegócio brasileiro, a cultura da soja tem grande importância aos olhos dos pesquisadores e produtores. O incentivo à produção da leguminosa, ao desenvolvimento de novas cultivares e demais pesquisas quanto às técnicas de manejo levaram o Brasil à posição de segundo maior produtor de soja no mundo.

Cerca de um terço da produção nacional de grãos é transformada em óleos de diferentes usos, o que faz necessário o emprego de cultivares com alto teor de óleos no grão, bem como cultivares mais precoces devido à forte tendência de sucessão de cultura após o plantio da soja no Brasil.

Neste contexto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a capacidade de combinação geral (CGC) e especifica (CEC) a partir de um dialelo parcial entre dois grupos distintos de genitores, um formado por cultivares adaptadas à região sul brasileira com alto potencial produtivo (G1) e outro com cultivares de alto teor de óleo oriundas do Banco Ativo de Germoplasma do Programa de Melhoramento Genético de Soja – UFV (BAG-PMGS-UFV) (G2). As plantas F1 foram conduzidas em casa de vegetação em delineamento de blocos ao acaso.

As parcelas foram constituídas de dois vasos com duas plantas por vaso. Foi utilizada iluminação artificial para simular fotoperíodo. As características analisadas foram dias para maturação (DPM), teor de óleo nos grãos (OL) e produtividade de grãos (PROD). Foi encontrada diferença significativa para CGC para todas as características em G1 e apenas para DPM e PROD para G2. Para CEC foi notada variabilidade significativa para DPM e PROD.

Conclui-se que as progênies oriundas deste dialelo têm forte potencial para compor um programa de melhoramento devido à variabilidade genética que permite selecionar futuras linhagens com ciclo precoce e alta produtividade.

Para teor de óleo nos grãos, é necessária a avaliação da próxima geração filial para verificar a existência de variabilidade dentro das populações.

Palavras Chave: Capacidade geral de combinação; Capacidade específica de combinação; Teor de óleo.

Informações do autores :     

1 Graduando em Agronomia – UFV/Viçosa-MG/Brasil. Bolsista PIBIC/FAPEMIG ;

2Doutorando em Genética e Melhoramento de Plantas – UFV/Viçosa-MG/Brasil;

3Professor Adjunto A2 do Departamento de Fitotecnia – UFV/Viçosa-MG/Brasil;

Disponível em: Anais do  IX Congresso Brasileiro de Melhoramento de Plantas , Foz do Iguaçu – PR, Brasil.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.