Pela primeira vez Bipolaris oryzae é relatado causando mancha foliar em Brachypodium distachyon no Brasil

Brachypodium distachyon é uma espécie de gramínea nativa da Europa, mas atualmente é amplamente introduzida e naturalizada mundialmente. Possui algumas características que o tornam um excelente organismo modelo para pesquisa genômica funcional (estatura pequena, auto-fertilidade, ciclo de vida curto, genoma pequeno, entre outras), sendo fundamental para um direcionamento dos programas de melhoramento genético que visem a produção de plantas resistentes a doenças.

Como erva daninha cresce facilmente sem condições de crescimento especializadas, podem dominar as áreas onde são plantadas ou onde se estabeleceram – formando “povoamentos” densos – e, neste caso, reduzem a diversidade e podem impedir o desenvolvimento de espécies nativas e/ou cultivadas com importância econômica. Está relacionada com as principais espécies de grãos de cereais: trigo, cevada, aveia, milho, centeio, sorgo e arroz, por exemplo.

No ano de 2017, plantas de B. distachyon localizadas no município de Porto Alegre (RS) foram observadas apresentando folhas com manchas castanhas (grandes, elípticas, necróticas) que cobriam mais de 75% da área afetada e as lesões possuíam margem clorótica. Após serem feitas amostras das lesões foliares e análises morfológicas e moleculares, foi identificado como agente causador dos sintomas o fungo Bipolaris oryzae.

Este é o primeiro relato de B. oryzae causando mancha foliar em B. distachyon no Brasil. Normalmente o controle da doença se dá através de aplicações de fungicidas, uso de variedades resistentes e controle cultural (drenagem, combate às plantas daninhas, eliminação das plantas afetadas, sombra, nutrição adequada, rotação de culturas).

A planta daninha por si só já pode causar impactos econômicos em plantações de cereais e isso se agrava quando, a partir desse estudo, é evidenciado que ela também pode servir de repositório de um fungo que foi relatado anteriormente causando danos a plantas de importância agrícola, incluindo arroz (Oryza sativa), trigo (Triticum aestivum) e milho (Zea mays).

Para saber mais:

Kaspary et al. (2018)

Fonte: DefesaVegetal.Net

Texto originalmente publicado em:
DefesaVegetal.Net
Autor: Defesa Vegetal

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.