O bloqueio úmido e o fenômeno do granizo, retiraram 730 mil toneladas de trigo da estimativa de produção Argentina, porém, Buenos Aires e Entre Ríos, estão com as melhores expectativas,e somam-se à estimativa nacional que é projetada com um volume de 18,7 Mt.

300 toneladas foram reduzidas na produção de trigo de outubro a novembro

Na safra 2018/2019, o plantio inter anual de trigo cresceu 17,3%, mas o volume crescerá apenas 6,9% em relação ao ano passado, porém a nova estimativa para novembro aponta  uma nova queda, e fecha com 18,7 M Tn.

Chuvas: intempestivas e excessivas

Na região central, as chuvas apareceram tarde e afetaram negativamente a cultura, o mesmo aconteceu no norte do país, quando a colheita já estava avançando. Os cortes em Santa Fé, Córdoba e norte da Argentina totalizam 730 mil toneladas .

Em Buenos Aires e Entre Ríos, as melhorias produtivas são apontadas em 420 mil toneladas . O saldo é um recuo de mais de 300 mil toneladas em relação aos 19 milhões de toneladas estimados em outubro, apesar de mais áreas de trigo terem sido adicionadas.

São cerca de 60 mil hectares extra de trigo de Entre Ríos e que elevam a área de trigo da Argentina para 6,37 M ha. Mas a área de superfície perdida também foi ajustada e ficou em 286 mil hectares, que foram estragados pela seca, granizo e agora excesso de água. De qualquer forma, o rendimento nacional estimado é de 51,16 sc / ha .



Entre Rios e Buenos Aires, os únicos que vencerão “a vingança do trigo”

Estas são as duas províncias que aumentam sua estimativa de produção unitária este mês. Suas marcas sobem entre os níveis mais altos. Entre os rios, com 6 sacos acima, sobe para 53,2 sc / ha . E Buenos Aires, que ganha 2,8 sacos, suas expectativas de rendimento chegam a 64,5 sc / ha .

Estas duas províncias se recuperaram após a delicada situação financeira que havia deixado a seca nos grãos grosseiros. Mas isso não é o que aconteceu no resto do país. As províncias de Córdoba e Santa Fé são as que mais caíram em comparação com as estimativas de um mês atrás.

Após a estação chuvosa deixada pelo bloqueio úmido Córdoba cai quase 5 sacos e tem uma média de 41 sc / ha ; Santa Fé, chega em 48,8 sc / ha .

Soja: o rendimento é colocado em dúvida na soja tardia

O plantio de soja foi retomado em algumas áreas durante a semana. Quase 5,4 M ha já estão cobertos , 30% do total dos 17,9 M ha de superfície de intenção. O plantio está se recuperando e está 5% atrás do progresso que foi feito neste ano no ano passado.

Em quase metade da área pampeana, o estado dos grãos continua a preocupar após a estação chuvosa. Existem inúmeras áreas que avaliam danos de cerca de 10% da área implantada. Existem outros casos que não são replantados, mas foram muito desiguais, com falta de plantas e aparência ruim generalizada.

Trigo 2018/2019

O avanço da colheita é de 16%, pouco mais de um milhão de ha. Até quarta-feira (21/11) houve progresso em Santa Fé, Córdoba e Entre Ríos, mesmo com problemas de piso para ganhar tempo e se mover mais rápido do que a frente de tempestade que hoje já está provocando chuvas sobre a região central.

Ainda há áreas inundados e uma evidente quebra é percebida. Os rendimentos mínimos que foram coletados caíram após as chuvas, os máximos também. Embora não haja presença de fusariose, o efeito “lavagem de sementes” é percebido.

Tanto em Chaco como em Santiago del Estero, as condições não foram as melhores e as possibilidades de cultivo foram limitadas. Como a colheita continua com surpresas negativas em Santiago del Estero. Os problemas condicionam os rendimentos que caem para 26 sc / ha. Os problemas de qualidade são notórios. N

Uma campanha de baixos rendimentos na província de Córdoba é descrita. Havia muitos problemas, muitos para a colheita que não podiam com a falta persistente de água, geada, granizo e nestes últimos dias chove em excesso.

A área mais afetada é o norte dos departamentos de Marcos Juárez e Unión. Espera-se uma produtividade unitária de 41 sc / ha na província, quase 5 sacos a menos do que o estimado há um mês. Desta forma, 3,2 Mt são esperados para esta campanha, o que equivale a uma redução de quase 1,5 M Tn em relação ao ano passado.

Na província de Buenos Aires, espera-se um rendimento médio em torno de 64,5 sc / ha. As últimas chuvas, exceto nas áreas do nordeste, tiveram um efeito benéfico, que afirmam altas produções. Aplicações de controle foram feitas em tempo hábil, mantendo bons potenciais de rendimento. Se não houver grandes surpresas, os rendimentos das principais áreas de trigo podem continuar a suportar os altos níveis produtivos da província.

Fonte: Adaptado de  Bolsa do comércio de Rosário

Tradução: Equipe Mais Soja

Texto originalmente publicado em:
Bolsa do comércio de Rosário
Autor: BCR

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.