Em períodos de chuvas intensas, o produtor que cultiva soja deve ficar atento em relação ao aparecimento de doenças devido ao excesso de umidade. O coordenador técnico da Integrada em Londrina, Aleandro de Carvalho, afirma que as chuvas trazem benefícios, mas também podem trazer doenças.

Respingos – O agrônomo explica que quando a água da chuva cai sobre o solo, os respingos d´ água que incidem sobre as folhas das plantas podem levar inóculos de doenças para a soja, o que resulta em um aparecimento de doenças mais cedo na cultura. Para prevenir que doenças não se espalhem pela lavoura, o coordenador técnico recomenda a aplicação de fungicidas um pouco mais cedo.

Orientação – Vale lembrar que, antes de qualquer atitude sobre o manejo da lavoura, é recomendada a orientação de um engenheiro agrônomo.

Ferrugem da soja – O clima quente e úmido já fez com que aparecesse o primeiro foco de ferrugem em uma lavoura paranaense. De acordo com informações da Embrapa Soja, além desse foco em área comercial, o site do Consórcio <www.consorcioantiferruge.net> tem mostrando a presença de soja voluntária com ferrugem em várias regiões produtoras, indicando a presença do fungo. I

Fonte: Imprensa Integrada, disponível no Portal do Sistema Ocepar

Texto originalmente publicado em:
Portal do Sistema Ocepar
Autor: Imprensa Integrada

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.