Colheita da soja chega a 75% da área de Mato Grosso do Sul com boa produtividade

153

A colheita da soja em Mato Grosso do Sul chegou a 75% da área plantada, de acordo com dados do Siga/MS (Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio), ferramenta de monitoramento gerida pelo Governo do Estado, por meio da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) e a Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária).

O excesso de chuvas em meados de janeiro e fevereiro atrasaram a colheita do principal grão produzido por Mato Grosso do Sul e, consequentemente, está retardando o plantio do milho safrinha. Mas, o superintendente de Produção da Semagro, Rogério Beretta, explica que apesar dos empecilhos a produtividade da soja se mantém boa, com 56 sacas por hectare.

Conforme os dados, a colheita atingiu 1,95 milhão de hectares da área disponibilizada para o cultivo da oleaginosa, enquanto que o plantio do milho safrinha já soma 61% nos municípios monitorados pelo Siga. O período ideal para o início do cultivo do milho de segunda safra no Estado é 15 de março.

De acordo com o presidente da Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de MS), Juliano Schmaedecke, a região norte, com 71,2% é a mais avançada. “O tempo firme do início de março permitiu que os agricultores intensificassem os trabalhos nas lavouras. A evolução nos últimos 10 dias foi de 15,4% no estado, representando mais de 400 mil hectares”.

A projeção da Aprosoja/MS é de que a área plantada nesta safra 2017/2018 seja de 2,6 milhões de hectares, com estimativa de produção de grãos de 8,7 milhões de toneladas. Assim, espera-se que a produtividade média mantenha-se em 56,0 sc/ha.

Preço

Na primeira semana de março o preço do milho em Mato Grosso do Sul subiu 12,84%, conforme os dados da Unidade Técnica do Sistema Famasul  (Federação da Agricultura e Pecuária de MS). A cotação do grão saltou de R$ 27,25 para R$ 30,75 a saca.

No mesmo período, o valor da soja recuou apenas 0,09%, encerrando o período cotado a uma média de R$ 66,81. Em comparação ao mesmo período do ano passado, quando a saca era vendida a R$ 58,56, o aumento é de 14,15%.

Fonte: Semagro

Autor(a): Priscilla Peres

Texto originalmente publicado em:
Semagro
Autor: Priscilla Peres

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA