O trigo é a planta mais amplamente cultivada no mundo, e, no Brasil, a estimativa é que a produção do cereal, na safra 2018/2019, aumente em 9,2%. Ainda assim, o país está longe de ser autossuficiente, motivo pelo qual a redução de perdas assume um papel central. Entre as pragas da cultura, estão as plantas daninhas, que podem reduzir a produtividade. Atualmente, existem 114 opções de herbicidas registrados no Brasil, dentre eles, os que utilizam o ingrediente ativo pyroxsulam, para o qual foi realizada uma avaliação da seletividade à daninha conhecida como azevém (Lolium multiflorum).

Os testes foram conduzidos em Cascavel e Braganey, no Estado do Paraná, em junho de 2011, com quatro repetições e áreas de 10 x 5 m. As plantas de trigo emergiram 10 dias após o plantio e as plantas de azevém presentes nos campos apresentavam densidade média de 110 plantas/m² (Cascavel) e 60 plantas/m² (Braganey).

As aplicações do ingrediente ativo (i.a.) pyroxsulam foram realizadas utilizando pulverizadores costais pressurizados. No início dos testes (28 dias da aplicação), o controle em Cascavel foi inferior ao observado em Braganey. O atraso no controle pode ter ocorrido devido à densidade de plantas daninhas (110 plantas/m²) que era quase o dobro do registrado na área de Braganey, alguns estudos já mostraram que em situações em que a população inicial de daninhas é baixa, a competição permite um controle mais rápido. Após 45 dias da aplicação, o controle foi o mesmo nos dois locais.



Nas doses de registro comercial de 15 e 18 g i.a. ha-1 , o herbicida não causou injúrias visuais superiores a 10% no cultivo de trigo. Porém, quando as doses foram aumentadas para 21 a 42 g i.a. ha-1, em Cascavel, ocorreram injúrias visíveis superiores a 10%, mas em 28 dias após a aplicação, houve recuperação das plantas de trigo. A produtividade não foi afetada em nenhuma das doses e o controle ao azevém foi superior a 85% nos dois campos de testes.

O estudo demonstra que o controle do azevém foi satisfatório, sem afetar a produtividade do trigo e sem injúrias visuais perceptíveis ou com injúrias recuperáveis. É importante ressaltar que é fundamental seguir as orientações de profissionais capacitados quantos às recomendações de aplicações de herbicidas para que se obtenha sucesso no controle de daninhas e evite prejuízos comerciais. algodão.

Para saber mais: Zobiole et al. (2018)

Foto: Graham Calow (2015)

Fonte: Portal Defesa vegetal.Net



 

Texto originalmente publicado em:
Portal Defesa vegetal.Net
Autor:  Zobiole et al. (2018)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.