Diferentes intervalos de aplicações de fungicidas em cultivares de soja com resistência genética parcial a Phakopsora pachyrhizi

2954

O objetivo do trabalho foi avaliar os efeitos de diferentes intervalos na aplicação de fungicidas no controle da doença e na produtividade.

Autores :  REMOR1 A. BEDIN1; L.L. HOFFMANN1.

Trabalho disponível nos Anais do Evento e publicado com o consentimento dos autores.

Resumo

A ferrugem asiática, causada por Phakopsora pachyrhizi, é a doença que mais causa danos na cultura da soja podendo causar perdas de até 80% na produtividade. Dentre as estratégias para o controle dessa doença estão o controle químico com fungicidas e a utilização de cultivares com resistência parcial. O objetivo do trabalho foi avaliar os efeitos de diferentes intervalos na aplicação de fungicidas no controle da doença e na produtividade.

Os tratamentos testados foram:

T1: Testemunha sem aplicação de fungicida;

T2: Aplicações em V6, R1, R1+21 e R5.5;

T3: Aplicações em V6, R1, R1 +28 e R 5.5 e

T4: Aplicações em V6, R3, R3+21 e R.5.

Nas aplicações nos estádios V6 e R5.5 foi utilizado o fungicida ciproconazol + azoxistrobina (24 + 60 g i.a.ha-1) associado ao fungicida ciproconazol + difenoconazol (37,5 + 60 g i.a.ha-1). Nas aplicações intermediárias com diferentes intervalos foi utilizado o fungicida azoxistrobina + benzovindiflupir + difenoconazol (63+31,5+78,75 g i.a.ha-1).

Ambos os tratamentos foram aplicados nas cultivares NK 1159 IPRO, SYN1365 RR, TMG 7062 IPRO, TMG 7262 RR, ambas com resistência parcial a ferrugem e, também em uma cultivar suscetível, a SYN 13561 IPRO.

No estádio R6 foi avaliado a severidade da ferrugem asiática usando escala diagramática e na colheita a avaliação de produtividade.

A severidade de ferrugem em R6 nas testemunhas foi de 5,2%, 5,3%, 3,6%, 8,6% e 81% para as cultivares NK 1159 IPRO, SYN1365 RR, TMG 7062 IPRO, TMG 7262 RR e SYN 13561 IPRO, respectivamente.

Nas cultivares com resistência parcial, não houve diferença significativa na severidade de ferrugem entre os diferentes intervalos de aplicação.

Já na cultivar suscetível observou-se diferença significativa, sendo observado uma menor severidade em menores intervalos entre as aplicações.

As cultivares com resistência parcial a ferrugem apresentam uma maior flexibilidade no intervalo de aplicação dos fungicidas, sendo esses indispensáveis para o controle da ferrugem e demais doenças da soja, ajudando também na preservação da tecnologia.

Palavras-chaves: Glycine max, produtividade, dano, controle.

Informações dos autores:

1 Syngenta, Passo Fundo, RS.

Disponível em: Anais do 50º Congresso Brasileiro de Fitopatologia, Uberlândia – MG, Brasil.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.