Informações são do Inta Argentina

Diante de um futuro controverso de produção no setor agrícola, novas tecnologias em conjunto com Boas Práticas Agrícolas nos permitem vislumbrar alternativas eficazes de gestão com foco na sustentabilidade ambiental. Nesse contexto, em nível global, estratégias já estão sendo avaliadas, permitindo produzir, por exemplo,com menos herbicidas e com a possibilidade de dispensá-los. Robotização e inteligência artificial aplicada à agricultura são os resultados dessa tendência global.

Atualmente, as tecnologias de aplicação seletiva de herbicidas já são inovações adotadas no campo argentino, com bons resultados em termos de desempenho, mas ainda com muito a aprender sobre o desenvolvimento de estratégias para a sua aprovação em todas as regiões e aproveitando todo o seu potencial.


Confira a programação do congresso e participe! Sua produtividade não será a mesma!!


Experiências locais de manejo integral para controle de plantas daninhas

A fim de projetar uma estratégia abrangente para controlar ervas daninhas problemáticas com baixo uso de agroquímicos, os técnicos Diego Ustarroz, Juan Pablo Velez e Diego Villarroel do INTA Manfredi conduziram um estudo que integra as tecnologias de plantas de cobertura e aplicações utilizando sensoriamento seletivo de ervas daninhas, neste caso com uma equipe WeedIt – fornecida pela empresa Geosistemas-.

Juan Pablo Velez, especialista de agricultura de precisão do INTA Manfredi , explicou que “Foram realizadas três repetições com dois cenários, um de palha de soja e outro com palhada de triticale, que havia sido utilizada como cultura de cobertura.” E acrescentou: “Em ambos os casos, a principal espécie de planta daninha detectado foi o caruru vermelho (Amaranthus quitensis), em diferentes estádios de desenvolvimento, no qual a aplicação seletiva  foi realizada, permitindo a detecção e determinação subsequente do nível de controle” .

Diego Ustarroz, especialista em ervas daninhas do INTA Manfredi, disse que nos dois cenários propostos “foram separados em parcelas trabalhadas com diferentes tratamentos para comparar e avaliar a efetividade do controle proposto”.

Assim quatro locais foram observados cada um com uma estratégia de administração específica: Em um, o controle seletivo de infestantes em palha de soja foi realizado, no outro foram realizadas aplicações seletivas na cultura de cobertura. Na terceira parcela nenhuma aplicação foi feita e, finalmente, na quarta unidade experimental não foi realizado nenhum tratamento, para simular o pior cenário possível.

Em relação aos resultados, Velez disse: “a aplicação seletiva efetuadas na parcela triticale , geraram um economia de 60% de herbicidas e um controle eficaz de ervas daninhas neste caso yuyo Colorado  o numero chega a 80 % “. “Essa economia é ainda maior se considerarmos que com o cultivo de cobertura economizamos até duas aplicações durante seu ciclo”, avaliou o especialista.

O relatório dos especialistas antecipa os resultados do ensaio que será apresentado como parte do conteúdo técnico do Curso Internacional de Agricultura y Ganadería de Precisión, que ocorrera Manfredi, Córdoba nos dias 19 e 20 de setembro. Nesse contexto, os técnicos mostrarão os detalhes e os resultados da abordagem com o manejo integrado de ervas daninhas por meio de sistemas tradicionais e tecnologias de agricultura de precisão.

Fonte: Aapresid com informações do INTA

Autor:  Mauro Raul Bianco Gaido, UNIDADES E.E.A. Manfredi, C.R. Córdoba

Texto originalmente publicado em:
Aapresid
Autor: Mauro Raul Bianco Gaido

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.