Efeito da competição de plantas daninhas na produtividade do milho safrinha no estado de Rondônia

135

Diante o exposto o referido trabalho avaliou o efeito da interferência de plantas daninhas em alguns estádios vegetativos da planta sobre a produção

Autores: Andressa Graebin Ferreira1, Marcos Gomes Siqueira,Weverton Peroni Santos1

Trabalho disponível nos Anais do Evento e publicado com o consentimento dos autores.

RESUMO

O milho vem, a cada ano, se destacando como cultura de grande importância para a região da zona da mata rondoniense, devido aos aumentos de produção e renda do agricultor. O cultivo deste cereal se dá principalmente em sistema de agricultura familiar, perante isso o efeito da competição de plantas daninhas vem causando alguns transtornos e gastos econômicos para o manejo destas.

Diante o exposto o referido trabalho avaliou o efeito da interferência de plantas daninhas em alguns estádios vegetativos da planta sobre a produção. O experimento foi instalado no campus experimental do curso de agronomia da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), localizado no município de Rolim de Moura (RO).

Foi adotado o delineamento experimental em blocos casualizados, com oito tratamentos e três repetições.

Os tratamentos foram:

Sem capina durante todo o ciclo da cultura (testemunha);

Com capina a partir do pendoamento até o final do ciclo;

E os demais tratamentos com o inicio da capina a partir de 2, 4, 6, 8 e 10 semanas após a emergência até o pendoamento, sendo a remoção das plantas daninhas, realizada mediante o uso de capina manual.

O híbrido de milho utilizado foi o AG 1051. Ao decorrer do experimento foram realizados todos os tratos culturais para o bom desenvolvimento da cultura.

Os tratamentos apresentaram respostas significativas. Observou-se que a capina durante todo ciclo mostrou um aumento na produtividade de 1100 kg ha-1, quando comparado com a testemunha que teve o desenvolvimento com as plantas daninhas ao longo de todo o experimento. A capina realizada a partir da 4ª semana e as demais com 6, 8, 10 e a partir do pendoamento e a até o final do ciclo da cultura tiveram uma queda na produção de forma linear.

O controle de plantas daninhas tem que ser realizado no início do desenvolvimento da cultura, para que a competição não venha interferir na produtividade.

Palavras-chave: Capina, fatores ambientais, Zea mays L.

Informações do autores:     

1Graduando em Agronomia – UNIR, Rolim de Moura-RO.

Disponível em: Anais do II Simpósio Nacional sobre Plantas Daninhas em Sistemas de Produção Tropical, Alta Floresta – MT , Brasil.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA