Estimativas da safra de soja na Argentina

A pressão na soja se intensifica de acordo com que as chuvas para a Argentina se aproximam. Os mapas para os próximos 5 dias já começam a trazer precipitações mais intensas sobre uma ampla área no Leste e Norte argentino. O Mercado especulador sabe que tais chuvas são necessárias para reduzir a expansão da seca e proporcionar a volta do plantio da soja com maior intensidade. Gestores de fundos especulativos entram em uma tendência de fechar as posições compradas com aversão ao risco de um mercado climático na América do Sul, neste fim de ano.

Na Argentina, a Bolsa de Rosário elevou sucintamente suas estimativas de colheita de soja 2017/18 em 100 mil toneladas para 54,5 MT devido a maior área que vem sendo plantada neste ano. Nos Estados Unidos, o relatório semanal de exportações norte-americanas trouxe um ritmo de vendas de contratos até sustentável, no entanto, ainda não apresenta nenhum impulso que deve ser observado para alcançar as atuais estimativas do USDA. As quais apesar de serem reduzidas no último relatório do USDA, ainda são um recorde em 60,56 MT para o atual ano safra.

Clima – América do Sul

As projeções climáticas atualizadas não trazem variações nas chuvas já previstas para a América do Sul. O padrão continua trazem índices pluviométricos de 25-100mm para os próximos 5 dias sobre Minas Gerais, Mato Grosso, Goiás e MATOPIBA no Brasil. Para a Argentina, as províncias beneficiadas neste mesmo período incluem, o norte de Buenos Aires, Entre Rios, Santa Fé, Santiago e o sul de Corrientes. Nos últimos dias de dezembro, os modelos climáticos têm trago, novamente, a retração das chuvas para as principais regiões sojicultoras da Argentina.

Apesar de rodadas de precipitações continuarem pelo Sul do Brasil, tais chuvas não parecem se expandir pelo país vizinho. Ainda é prematuro qualquer conclusão, no entanto, a Argentina com atuais 63,5% da soja plantada irá necessitar de mais chuvas intensas para proporcionar a boa germinação desta área remanescente de plantio.

Fonte: AgResource Brasil

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.