Por FABIO T. T. MUTTA, Engenheiro Agrônomo de pesquisa UPL – Paraná e Sul do MS

O cenário atual da agricultura encontra vários desafios a serem superados quando pensamos em herbicidas para as grandes culturas. Sendo o problema principal o crescente número de plantas daninhas resistentes a um ou mais mecanismo de ação na mesma planta e, ultimamente, o risco eminente da proibição do uso das principais moléculas utilizadas para manejos culturais.

As ervas daninhas resistentes aos mecanismos de ação dos herbicidas tem aumentado devido a utilização sucessiva do mesmo mecanismo, com isso foi ocorrendo uma seleção genética dos indivíduos resistentes. Um exemplo disso foi o que ocorreu com a cultura da soja, nos anos 90 e início dos anos 2000, somente tínhamos o relato de duas plantas daninhas resistentes (Picão Preto – Bidens pilosa e Leiteiro ou Amendoim Bravo – Euphorbia heterophylla) aos herbicidas inibidores de ALS.

Com a entrada da tecnologia RR no sistema de produção, se iniciou o uso de somente um ativo, o Glifosato para controle de tais daninhas em pré e pós emergência, este sistema funcionou perfeitamente por alguns anos.

Com esse uso maciço, o cenário ficou pior para o agricultor e o número de daninhas resistentes aumentou, bem como, as resistentes a Glifosato: Buva (Conyza bonariensis, C. canadenses e C. sumatrensis) e Capim Amargoso (Digitaria insularis) em quase todas as regiões produtoras do Brasil, Capim Pé de Galinha (Eleusine indica), Azevem (Lolium multiflorum) e Caruru Palmeri (Amaranthus palmeri) em regiões específicas do Brasil.

Mais recentemente tivemos a comunicação da resistência de plantas daninhas em biótipos de Buva, no estado Paraná na safra 2017. Sendo essas populações de Buva com resistência múltipla aos ativos Glifosato, 2,4D e o Paraquat, que começou a ser muito utilizado no controle desta planta daninha após a ocorrência da resistência ao Glifosato.

Estamos passando por todos esses problemas de resistências das ervas daninhas a herbicidas, pois a utilização dos ativos não foi planejada, ou seja, não se foi pensando em um manejo de resistência com a utilização de rotação dos princípios ativos, para que isso fosse alcançada longevidade a todas as tecnologias.

Para controle de Buva resistente a outros herbicidas dessecantes, Fascinate BR é uma excelente ferramenta, pois não se tem relato de resistências destas plantas ao Glufosinato e com isso, alcançamos excelentes performances no controle dessas plantas daninhas.

Fascinate BR se utilizado seguindo as recomendações técnicas de boas práticas agrícolas, que envolve o manejo de resistência, realizando uma rotação de mecanismos de ação de herbicidas, aplicando somente uma única vez no ciclo da cultura e evitando-se aplicar em plantas entouceiradas ou perenizadas e, desta forma, colocando o Fascinate BR na segunda aplicação da dessecação, diminuiremos as chances de ocorre casos de resistência ao produto.

Para se garantir o sucesso da aplicação com Fascinate BR a aplicação deve ocorrer em condições que a planta fisiologicamente ativa e vegetando, também se atentar para se evitar períodos de estiagem, horário de aplicação evitando-se as horas mais quentes e umidade relativa do ar inferior a 60%.

Fascinate BR tem registro para antecipação de colheita para a cultura do feijão e soja, sendo um dos grandes benefícios uma menor ocorrência de interferência na qualidade fisiológica das sementes, quando comparado aos outros produtos princípios ativos registrados para esta modalidade, com isso podendo ser utilizados em campos de sementes eficazmente e com segurança.

O feijão é uma cultura sensível aos herbicidas de forma geral e a antecipação de colheita realizada com produtos registrados para essa modalidade pode ocasionar a ocorrência de manchas indesejáveis no grão e, com isso, diminuindo sua qualidade, o que consequentemente interfere em seu preço e em sua comercialização. Porém com Fascinate BR aplicados nas doses recomendadas e no estádio correto, não temos a ocorrência acentuada de manchas que outros herbicidas ocasionam diminuindo sua qualidade.

Por isso, Fascinate BR é uma ferramenta muito importante para a manutenção da produtividade das culturas onde é utilizado, também por ainda não termos relatos de resistência de plantas daninhas resistentes a ele no Brasil, excelente controle de Buva resistente a outros herbicidas e a segurança que proporciona na antecipação de colheita.

Mais para isso se manter, devemos tomar todos os cuidados mencionados, como: não aplicar em ervas daninhas perenizadas ou entouceiradas, aplicar quando as ervas estiverem fisiologicamente ativas, aplicar somente uma vez durante o ciclo da cultura e sempre respeitar as premissas para realização de pulverizações.

SOBRE A UPL

A UPL, uma empresa indiana que traz soluções inovadoras e sustentáveis em proteção de cultivos para o agricultor. Fundada em 1969, a companhia atua hoje em mais de 124 países com 28 fábricas que desenvolvem e comercializam produtos da mais alta qualidade, segurança e tecnologiaNo Brasil, onde atua desde 2006, conta com fábrica e estação experimental em Ituverava-SP e, foi eleita por dois anos consecutivos como uma das melhores empresas para se trabalhar pela Great Place to Work®. Por seu trabalho com produtores e pesquisadores para encontrar soluções mais eficientes para campo e através de novas formulações e produtos, equipe especializada e expansão de portfólio, a empresa conta com forte presença nos mercados de soja, milho, cana-de-açúcar, arroz, café, feijão, citros, algodão, pastagem e hortifrúti.

Fonte: Assessoria de comunicação UPL

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.