Fitopatologistas do Brasil se reúnem para discutir futuro do Manejo de doenças na soja

O Consfit, Conselho Syngenta de Fitopatologia, formado há 18 anos pelos principais pesquisadores do Brasil, esteve em um dos maiores centros de pesquisa da Syngenta no mundo em Jealott’s Hill na Inglaterra, onde se reuniu para discutir resultados da última safra e o futuro do manejo de doenças na soja. “Além de conhecermos essa estrutura fantástica de pesquisa, foi muito importante termos esse momento de discussão e reflexão com a troca de experiência entre nós pesquisadores do Brasil e cientistas de renome mundial” afirma Ricardo Balardin, professor da Universidade de Santa Maria-RS.

Um dos principais temas discutido foi o desafio no controle da ferrugem asiática para os próximos anos. O patógeno que se tornou resistente a estrobilurinas e triazois a alguns anos atrás, recentemente gerou um novo alerta, pois apresentou algumas populações com menor sensibilidade as carboxamidas, grupo químico mais novo e eficiente, que até então era o único grupo químico que não havia nenhum relato de sensibilidade. Segundo o Dr. Erlei Reis da Universidade de Passo Fundo “as carboxamidas, como o produto Elatus, são ferramentas hoje indispensáveis na cultura da soja. Mas, chamo a atenção que precisamos utilizar um manejo correto para dar longa vida a essas moléculas. ”

De encontro a esse manejo correto das doenças a Syngenta investe no programa MANEJO CONSCIENTE, que tem como um dos seus principais objetivos levar informações e orientação aos agricultores para que lidem sustentavelmente com as doenças da soja, preservando tanto as tecnologias existentes, quanto a cultura da soja, cultivo mais importante da economia nacional. “A Syngenta, com o Manejo Consciente e sua força no mercado, irá nos auxiliar bastante para que medidas de manejo integrado sejam realmente implementados” afirma Luis Carregal da Agrocarregal (Rio Verde-GO).

Fonte: Assessoria de Imprensa Syngenta

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.