Fôlder aborda Manejo da resistência de Spodoptera frugiperda a inseticidas e a plantas BT

363

O Irac – Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas, divulgou novo fôlder contendo a informações sobre o manejo da resistência da lagarta Spodoptera frugiperda a inseticidas  e a plantas BT.

O folheto é de autoria dos pesquisadores Celso Omoto, Oderlei Bernardi, Eloisa Salmertom e Juliano Farias, e esta disponivel para dowload no site o IRAC Brasil.

Nele os pesquisadores mencionam que o controle de Spodoptera frugiperda não tem se mostrado uma tarefa fácil. Os inseticidas, com frequência têm apresentado falhas de controle, isso se deve ao aumento de indivíduos resistentes no campo, em consequência da pulverização de inseticidas com mesmo mecanismo de ação.

As plantas Bt têm fornecido uma nova estratégia de controle de S. frugiperda, a qual tem se mostrado bastante eficiente. No entanto, algumas características bioecológicas da praga como o alto potencial reprodutivo, o ciclo biológico relativamente curto e a polifagia, associadas a um cenário de sobreposição e/ou sucessão de cultivos de plantas hospedeiras “ponte verde” em algumas regiões expõe as populações de S. frugiperda à elevada pressão de seleção por inseticidas e proteínas de Bt, propiciando um cenário favorável para a evolução da resistência e, posterior comprometimento das táticas de controle.

Nessa situação, a efetiva implementação de estratégias de manejo da resistência assume vital importância para garantir a durabilidade de qualquer tática de controle de S. frugiperda.

Estas estratégias são apresentadas no material publicado pleos pesquisadores, sendo recomendada a leitura por todos os envolvidos no manejo deta importante praga, que ataca muitas culturas importantes do país.

Você pode acessar o fôlder completo clicando aqui.

Para consultar outros materiais clique em http://www.irac-br.org/

Ze Binary Signals revieworacle ebstop social network sitesi7 для ноутбукапродвижению сайта

Texto originalmente publicado em:
IRAC
Autor: elso Omoto, Oderlei Bernardi, Eloisa Salmertom e Juliano Farias

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA