Frio intenso e tardio em 2018

Massas polares serão fortes, mas pouco frequentes durante o inverno

Depois de um período seco que chegou a superar 40 dias em algumas regiões do Paraná entre abril e maio, as chuvas serão mais frequentes durante o inverno. As quinzenas iniciais de julho e agosto serão mais úmidas, segundo o meteorologista Celso Oliveira, da Somar Meteorologia. Ele explica que o aquecimento do Oceano Pacífico vai favorecer o aumento da frequência das chuvas. As simulações dos principais institutos de meteorologia do mundo indicam a continuidade do aumento da temperatura das águas do Pacífico.

O frio não será contínuo ao longo de 2018 já que as massas polares serão pouco frequentes, diz Oliveira. Embora exista a possibilidade de entrada de ondas de frio intensas neste ano por conta da neutralidade do Pacífico, da baixa atividade solar e da temperatura mais alta do Atlântico, em nenhum momento as simulações indicam grande frequência de ondas de frio”, projeta. Outra tendência para este ano é a possibilidade de o frio se estender por setembro.

Para o Centro-Oeste existe a previsão de avanço de massas de ar polar, mas em eventos isolados.


Você sabe o que é a acidez subsuperficial? Descubra aqui.


SAFRA DE VERÃO

A meteorologia informa que o La Niña chegou ao final em maio. As águas do Oceano Pacífico Central se aqueceram e voltaram ao patamar de neutralidade. A tendência é de continuidade do aquecimento, mas sem caracterizar oficialmente um novo El Niño. Os institutos internacionais de meteorologia esclarecem que as condições climáticas para a safra de verão 2018/19 somente serão conhecidas com maior margem de segurança a partir de julho.

Fonte: CVale

Texto originalmente publicado em:
CVale
Autor: CVale

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.