Governo do MS garante incentivos e indústria de processamento de soja da Coamo é construída em Dourados

O Gerente Industrial de óleo, Emerson Abrahão Mansano recebeu o Secretário Jaime, o Superintendente Beretta e o e o Chefe Regional do Imasul Luiz Carlos Vargas, para uma visita as obras na ultima semana

Fruto da atração de investimentos capitaneada pelo Governador Reinaldo Azambuja e o Secretario de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, a instalação de uma unidade da Coamo Agroindustrial Cooperativa no município de Dourados, consolida a presença da Cooperativa em Mato Grosso do Sul, já que até então atuava apenas da captação de grãos, que era levado pra fora do Estado.

As obras da nova indústria que resultará nas unidades de processamento de soja e refinaria de óleo de soja estão em pleno andamento e com o cronograma em dia, segundo o Gerente Industrial de óleo, Emerson Abrahão Mansano, que recebeu o Secretario Jaime Verruck, o Superintendente de Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar, Rogério Beretta e o e o Chefe da Unidade Regional Dourados, do Imasul (Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul), Luiz Carlos Vargas da Silva, para uma visita na ultima semana.

Com previsão de entrada em operação para 2019, a obra deve chegar a empregar até 1.500 trabalhadores contratados pelas empresas empreitadas.

Para o Secretario Jaime, os esforços do Governo em captar investimentos, garantindo o processamento dos produtos primários no Estado, as ações de logística – como a abertura de uma via no Núcleo Industrial que irá tirar a circulação de veículos pesados de dentro da cidade – vão garantir um grande salto na economia de Mato Grosso do Sul. “O Governador Reinaldo garantiu apoio e incentivos a Coamo, nós oferecemos o suporte e estamos em constante contato com os diretores, para garantir que tudo que estiver ao alcance do Governo do Estado seja feito para garantir novos postos de trabalho, desenvolvimento e crescimento para o Estado”.

A previsão é gerar mais de 350 empregos diretos

Com a previsão de gerar mais de 350 empregos diretos, o novo empreendimento da Coamo constará de uma indústria de processamento de soja para 3.000 toneladas de soja/dia, produção de farelo e óleo, e uma refinaria para 720 toneladas/dia de óleo de soja refinado, equivalente a 15 milhões de sacas de soja /ano. A cooperativa está investindo um montante de R$ 650 milhões.

A Coamo aumentará sua capacidade diária total de processamento de soja das atuais 5.000 para 8.000 toneladas/dia, equivalente a 40 milhões de sacas/ano, e a capacidade de refino das 660 toneladas/dia para 1.380 toneladas de óleo de soja refinado/dia.

A cooperativa está investindo um montante de R$ 650 milhões

SOBRE A COAMO

Fundada em 1970, por um grupo de agricultores da região Centro-Oeste do Estado do Paraná, a Coamo conta com 118 unidades localizadas em 68 Municípios nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, para recebimento da produção agrícola de mais de 28 mil associados. Contando com de mais de 7.300 funcionários, respondeu, em 2016, por 3,5% da produção brasileira de grãos e fibras, e tem capacidade de armazenagem de 6.173.794 toneladas para o atendimento dos associados, sendo a soja o principal produto recebido, seguido pelo milho, trigo, café e outros. A industrialização dos produtos recebidos é feita em um parque fabril composto por indústrias de esmagamento de soja, fábrica de margarinas e gorduras vegetais, indústria de óleo de soja refinado, fiações de algodão, moinho de trigo e torrefação e moagem de café. Em Paranaguá, no litoral paranaense, a Coamo mantém terminal marítimo.

Fonte: Semagro

Autor(a): Kelly Ventorim

Texto originalmente publicado em:
Semagro
Autor: Kelly Ventorim

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.