Fertilizantes: menos nutrientes e maior volume entregue em 2017

As entregas registraram aumento de 1,3%, em relação ao mesmo período do ano anterior, porém redução da fórmula média faz entrega de nutrientes recuar 0,7% no ano.  

As entregas de fertilizantes ao mercado encerraram o mês de setembro/2017 com 4.234 mil toneladas, registrando alta de 5,3% em relação ao mesmo período de 2016, enquanto no acumulado de janeiro-setembro/2017, as entregas registraram aumento de 1,3%, em relação ao mesmo período do ano anterior, alcançando 24.794 mil toneladas.

Em termos de nutrientes (NPK) entregues ao mercado, o mês de setembro apresentou alta de 2,1%, enquanto que o acumulado dos nove meses de 2017 foi registrando ligeira queda de 0,7% pela redução da fórmula média.

Em nutrientes, as entregas de fertilizantes nitrogenados (N) apresentaram queda de 3,1% no período de janeiro-setembro/2017 atingindo 2.848 mil toneladas, reflexo da antecipação das entregas para o milho segunda safra ocorrido no final de 2016 e queda nas entregas para as culturas do trigo e milho verão.

Os fertilizantes fosfatados (P2O5) apresentaram alta de 1,5% nos nove meses em questão, alcançando 3.769 mil toneladas, com ênfase na cultura da soja.

Nos fertilizantes potássicos (K2O), foi registrado redução de 1% nos nove meses analisados, atingindo 4.126 mil toneladas, decorrente da antecipação das entregas para o milho safrinha ocorrida no final de 2016 e queda nas entregas para as culturas do trigo e milho verão.

O Estado do Mato Grosso concentrou o maior volume de entregas no período, alcançando
5.262 mil toneladas (21,2%), seguido do estado de Paraná com 3.204 mil toneladas (12,9%), São Paulo com 3.010 mil toneladas (12,1%), Rio Grande do Sul com 2.904 mil toneladas (11,7%) e Minas Gerais com 2.558 mil toneladas (10,3%).

A produção nacional de fertilizantes intermediários no acumulado dos nove meses de 2017 alcançou 6.226 mil toneladas, contra 6.675 mil toneladas do mesmo período de 2016, representando redução de 6,7%. Em nutrientes, foram registradas reduções nas produções de fertilizantes nitrogenados de 28,8%, em função da queda de 42,6% na Uréia e de 30,9% no Nitrato de Amônio. Nos fertilizantes potássicos a redução foi de 4,1%. Nos fertilizantes fosfatados foi registrada pequena alta de 0,2%.

As importações de fertilizantes intermediários (dados preliminares) alcançaram 19.182 mil toneladas no período janeiro-setembro/2017, indicando aumento de 10,3% em relação ao mesmo período de 2016. Em nutrientes, foram registrados importantes crescimentos nos fertilizantes nitrogenados de 9,2 %, nos fosfatados de 23,6% e nos potássicos de 6,6%. Pelo porto de Paranaguá, a principal porta de entrada dos fertilizantes, foram importadas 6.501 mil de toneladas, ou seja, 5,7% maior que igual período de 2016 e que representou 33,9% do total importado por todos os portos (fonte: Siacesp).

Fonte: ANDA- Associação Nacional para Difusão de Adubos

Texto originalmente publicado em:
ANDA
Autor: http://www.anda.org.br/estatistica/comentarios.pdf

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.