Perguntas e respostas sobre o Glifosato, segundo o Ministério da Agricultura da Alemanha

158

O Ministério da Agricultura da Alemanha, publicou em seu site uma série de perguntas e respostas sobre o herbicida mais utilizado no mundo atualmente, o Glifosato.

Abaixo transcrevemos o texto disponível no site do Bundesministerium für Ernährung und Landwirtschaft Deutschlands:

O que é o glifosato?

O glifosato é um agente de proteção de culturas utilizado para controlar ervas daninhas. A substância activa é aprovada a nível da UE e aprovada como produto fitossanitário na Alemanha.

Como funciona o glifosato?

O glifosato é absorvido por todas as partes verdes das plantas (folhas/hastes, não lignificadas, tecidos vegetais vivos). O glifosato é distribuído por toda a planta e provoca a morte completa das plantas.

A substância ativa não é seletiva, o que significa que ela não funciona apenas nas ervas daninhas, mas também em todas as culturas atingidas. O glifosato não pode, portanto, ser usado durante o crescimento das culturas.

Desde quando o glifosato é usado na Alemanha?

O ingrediente ativo glifosato foi aprovado na Alemanha desde 1974 como componente de produtos fitossanitários.

Quem usa glifosato na Alemanha?

Na agricultura, os herbicidas que contêm o ingrediente ativo glifosato são usados por agricultores ​​para controlar as ervas daninhas antes ou depois de cultivar as culturas.

Além disso, o Deutsche Bahn é o maior usuário único: os pesticidas contendo glifosato são usados ​​para manter as pistas livres de ervas daninhas.

O glifosato também é aprovado para uso privado em jardins de lar e jardim.

Quais são as restrições à utilização de glifosato na agricultura?

Com produtos fitossanitários contendo glifosato, apenas um máximo de dois tratamentos pode ser realizado em um ano civil na mesma área em intervalos de pelo menos 90 dias. No total, não podem ser aplicados mais de 3,6 kg de ingrediente ativo por hectare e m cada ano.

As aplicações pré-colheita com glifosato só são permitidas em casos excepcionais onde existe o risco de perda de colheita e a colheita deve ser assegurada. Não é permitido o tratamento de rotina pré-colheita para fins de controle de colheita ou debulha.

Quais são as alternativas aos pesticidas contendo glifosato na agricultura?

Alternativamente, outros agentes de proteção de culturas podem ser usados, o que pode ser combinado para atingir um efeito semelhante. As alternativas não químicas incluem, por exemplo, arar. Deve notar-se aqui se os pisos permitem arar e não são suscetíveis à erosão.

Como o uso de glifosato na agricultura afeta as abelhas?

O glifosato é usado na agricultura para remover culturas concorrentes (ervas daninhas). Uma alternativa ao uso de pesticidas contendo glifosato seria arar, como mostrado. Em ambos os casos, as ervas daninhas não estão mais disponíveis para as abelhas como fontes de alimento no gerenciamento de campo.

É, portanto, um objetivo do Ministério Federal da Alimentação e Agricultura manter e promover a biodiversidade da paisagem agrícola, incluindo seus organismos benéficos nativos e seus habitats e retiros através de medidas adequadas. Estes incluem, por exemplo, o aumento da diversidade de ervas silvestres de campo ou a criação de habitats de retirada (pousio, tiras de flores) para organismos benéficos, como abelhas.

Além disso, um uso responsável de pesticidas é sempre a principal prioridade. O princípio deve ser: tanto quanto necessário, o mínimo possível.

O glifosato pode ser usado em terras não agrícolas?

Em áreas não cultivadas com agricultura, o glifosato só pode ser utilizado após a aprovação explícita da autoridade estatal competente. O uso de pesticidas contendo glifosato em áreas que são usadas pelo público em geral, como parques públicos e jardins, áreas de esportes e lazer, terrenos escolares e playground infantil é severamente limitado.

Nessas áreas, compete às cidades responsáveis, municípios ou distritos rurais definir as medidas adequadas de controle de ervas daninhas e lidar de forma responsável com produtos fitossanitários e também com licenças especiais.

Além disso, os pesticidas não devem ser utilizados em áreas pavimentadas, como calçadas.

Como funciona o procedimento de autorização para pesticidas?

A autorização dos produtos agrícolas é realizada na UE em um processo em duas etapas: a substância ativa está sujeita a um procedimento comunitário e, se estiver em conformidade com os requisitos legais, aprovada a nível da UE para uso em produtos fitossanitários.

Cada produto fitossanitário individual requer uma autorização concedida pelos Estados-Membros. Na Alemanha, o Escritório Federal de Proteção ao Consumidor e Segurança Alimentar é a autoridade de aprovação.

Quando foi a aprovação final da substância do glifosato na UE ?

A aprovação final da substância activa glifosato foi concedida em 2001 com a maioria qualificada dos Estados-Membros da UE.

Como foi tomada a decisão atual de aprovar o glifosato?

No final de Novembro de 2017, a Comissão Europeia decidiu prolongar a aprovação do glifosato em cinco anos com base no voto dos Estados-Membros. A maioria dos Estados-Membros, um total de 18 Estados-Membros da UE , incluindo a Alemanha, aprovaram a proposta da Comissão da UE .

Por que a Alemanha aprovou a proposta da Comissão da UE para a renovação do glifosato?

Com a aprovação, o ministro federal foi capaz de impor restrições ambientais e de aplicação que pareciam inalcançáveis ​​até agora.

Com uma abstenção em Bruxelas, a Alemanha teria agitado de fato a proposta da Comissão sem a possibilidade de melhorias, agora existem regras adicionais: mais transparência e visão geral da autorização, base para uma proibição de uso privado e segurança jurídica para os agricultores.

Os produtos fitossanitários contendo glifosato representam um perigo para a saúde?

Com base em todas as conclusões disponíveis, cientistas independentes na Alemanha e e Estados-Membros da UE concordam: não há dúvida quanto à segurança do produto se a substância ativa do glifosato for usada corretamente.

Isto também é confirmado pela revisão científica adicional da Agência Europeia dos Produtos Químicos ( CHA). Além disso, o glifosato não foi classificado pela ECHA como cancerígeno.

Existem níveis máximos de resíduos de glifosato nos alimentos?

A Comissão Europeia fixa níveis máximos de resíduos para todos os produtos de proteção fitossanitária autorizados. Estes LMR são definidos para excluir quaisquer possíveis efeitos nocivos sobre a saúde do consumidor.

O glifosato tem níveis de resíduos máximos diferentes, dependendo da cultura e da aplicação. A revisão da conformidade com MRL é responsabilidade dos países no contexto do controle de alimentos.

Fonte: Adaptado de Ministério federal da Alimentação e da Agricultura da Alemanha (Bundesministerium für Ernährung und Landwirtschaft Deutschlands)

Tradução: Equipe Mais Soja

Texto originalmente publicado em:
Ministério federal da Alimentação e da Agricultura da Alemanha
Autor: Ministério federal da Alimentação e da Agricultura da Alemanha

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA