Ministros debatem agronegócio com lideranças do setor em Cuiabá

Três ministros do Estado – Blairo Maggi (da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Henrique Meirelles (da Fazenda) e José Sarney Filho (do Meio Ambiente) – participaram, ao lado do governador Pedro Taques, nesta segunda-feira (12 de março) do Seminário Gazeta Agro, realizado no Cenarium Rural, em Cuiabá. Eles ouviram as principais reivindicações e preocupações das lideranças do setor que responde por metade das exportações totais do Brasil, por aproximadamente 21% do Produto Interno Bruto e por boa parte dos empregos gerados no país.

O presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Arlindo Moura, falou sobre os desafios da cotonicultura nacional, que está num momento de crescimento (a Conab estima um aumento de 21% na produção de pluma da safra 2017/18, estimada em 1,9 milhão de toneladas) e, por isso mesmo, empenhada em ampliar sua participação no mercado internacional, já que a indústria têxtil nacional ainda não se recuperou de um forte período recessivo. “Estamos programando três missões internacionais este ano, sendo que uma delas será realizada em maio próximo pela Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa)”, comentou Moura, que demonstrou sua preocupação com os entraves da infraestrutura logística – um fator que contribui para aumentar os custos de produção.

Atendendo a pedido do presidente da Ampa, Alexandre Schenkel, Arlindo Moura apresentou aos representantes dos ministérios da Agricultura, Fazenda e Meio Ambiente alguns temas considerados fundamentais para o avanço da cotonicultura. Um deles é a alteração da Lei de Proteção de Cultivares, visando possibilitar a remuneração do germoplasma e, consequentemente, ganhos tecnológicos na agricultura brasileira. Outro tema é a evolução das normativas que regulam os registros de defensivos no país, com objetivo de dar velocidade ao lançamento de novas moléculas ou mesmo de defensivos genéricos, o que teria como benefício a redução nos custos de produção no campo da proteção de plantas.

Os produtores de algodão também reivindicam apoio do Governo federal às políticas públicas de proteção de renda para produtores e criadores, assegurando orçamento da União para PGPM (Política de Garantia de Preços Mínimos). Em relação ao meio ambiente, a principal reivindicação é maior segurança jurídica, sempre visando a harmonização entre preservação e produção agropecuária.

Ao longo do dia, vários temas que mobilizam o setor agropecuário foram debatidos no seminário, como o Programa de Regularização Tributária Rural, conhecido como o Refis do Funrural, e a possibilidade de adiantamento do pagamento do Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX), solicitação feita pelo governador Pedro Taques ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. O excesso de burocracia e outros entraves que dificultam o dia a dia de produtores rurais também foram temas discutidos no evento, que contou com as presenças do secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller, e do deputado federal Adilton Sachetti, entre outras autoridades.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Ampa, disponível no site do IMAmt

Texto originalmente publicado em:
IMAmt
Autor: Assessoria de Comunicação da Ampa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.