Não basta ser daninha…

Primeira detecção de Alternaria alternata afetando a planta daninha Rumex obtusifolius

As plantas daninhas são consideradas um problema fitossanitário, pois elas podem crescer e desenvolver em condições semelhantes às plantas cultivadas, gerando competição por espaço, luz, água e nutrientes e resultando em perdas na produtividade agrícola. Além disso, podem servir como hospedeiras de patógenos, insetos-praga e vetores, provendo alimento, abrigo e propiciando que a praga complete seu ciclo e multiplique-se.

Rumex obtusifolius é uma planta daninha que infesta pastagens, culturas, pomares, entre outros terrenos, e há relatos de sua presença mundialmente – incluindo no Brasil. Produz cerca de 60 mil sementes com elevado grau de germinação pós-maturação e as que ficam enterradas mais profundamente no solo permanecem dormentes por muitos anos. Devido suas profundas raízes são capazes de resistir a condições climáticas desfavoráveis, como o frio intenso e a seca. Sua dispersão se dá de forma natural (sementes produzidas em grande quantidade, vento, água), vetorial (por humanos e animais) e através de práticas agrícolas inadequadas (contaminação do solo).

Em setembro de 2016 no município de Jaguarão (RS), foram detectadas plantas de R. obtusifolius apresentando manchas necróticas severas na região foliar. Pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul fizeram uma análise morfológica e molecular para identificar o agente causador dos sintomas.

Os resultados comprovaram tratar-se de Alternaria alternata. Em seguida, foram realizados testes de patogenicidade sob condições de laboratório e todas as plantas inoculadas com o patógeno apresentaram sintomas semelhantes aos encontrados anteriormente no campo, sendo este o primeiro relato sobre a presença de A. alternata em plantas de R. obtusifolius no Brasil.

R. obtusifolius pode infestar áreas de cultivo, como por exemplo: arroz, aveia, café, cana-de-açúcar, citrus, maçã, milho, soja, trigo e uva. Um agravante para este caso é que além de R. obtusifolius competir com as culturas, também pode servir como reservatório desse patógeno de grande importância agrícola. Lembrando que, A. alternata é um fungo que causa danos a mais de 300 espécies de plantas, incluindo arroz, citrus, maçã, milho, soja, trigo e uva, assim como R. obtusifolius.

Para saber mais: Moccellin et al. (2018)

Foto: Umass (xxxx)

Fonte: Portal Defesa Vegetal.Net

Texto originalmente publicado em:
Portal Defesa Vegetal.Net
Autor: Portal Defesa Vegetal.Net

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.