O Imea divulgou o novo relatório de custo de produção para o milho de alta tecnologia em MT na safra 18/19 para o mês de set/18.

O custo operacional apresentou um acréscimo de 0,87% se comparado a ago/18, ficando em R$ 2.374,34/ha, diante de acontecimentos no cenário eleitoral brasileiro e no mercado externo que acarretaram o aumento do dólar em set/18.

 Tal elevação influenciou nas altas dos inseticidas e micronutrientes, apresentando variação positiva de 1,37% e 2,29%, respectivamente.

Outros fatores que contribuíram para o aumento nos dispêndios foram o acréscimo no preço do diesel e a valorização da ureia superior aos demais fertilizantes, devido à redução de oferta no Irã.

Daqui para frente, com a eleição presidencial consolidada, o mercado financeiro continua voltado para as articulações do novo presidente frente as reformas esperadas no novo governo, além das movimentações do cenário externo.

Confira os principais destaques do boletim:

  • Com a demanda interna mais enfraquecida e recuo nas cotações do dólar e na CME, o preço do cereal em Mato Grosso prosseguiu com queda de 2,62% e cotação média de R$ 19,64/sc nesta semana.
  • As cotações na CME-Group para dez/18 e jul/19 exibiram baixa de 1,54% e 1,16%, respectivamente, pressionadas pelos números de vendas semanais do USDA, inferiores ao esperado pelo mercado.
  • As cotações do dólar, ainda influenciadas pelo cenário eleitoral doméstico e o mercado externo, apresentaram perda de 0,57%, e média de R$ 3,69/US$ para a última semana.
  • A paridade de exportação (jul/19) mais uma vez voltou a cair, em 3,64%, em consequência da baixa na moeda norte-americana e nas cotações do milho na CME-Group.

Falando de preço:

No mês de out/18 o mercado de comodities foi marcado pelo recuo das cotações do dólar ante o real, sobretudo para o milho. Assim, com o câmbio em média 8,2% menor até 26/out, quando comparada à média trabalhada em set/18, os reflexos foram sentidos no preço do cereal em MT no mercado spot e futuro.

 Com isso, o preço disponível do milho recuou 8,9%, também impactado pela retração da demanda nesse período, ficando cotado a uma média de R$ 20,9/sc.

Para a próxima safra, apesar da parcial recuperação do milho na CME em alguns momentos deste mês, a paridade de exportação apresentou uma queda de 5,0%, ficando cotada a uma média de R$ 19,8/sc.

Além disso, as perspectivas de uma janela de semeadura mais em MT, devido ao adiantamento dos trabalhos de campo com a soja, também têm criado uma pressão baixista aos preços no mercado interno, o que demanda atenção nos negócios daqui para frente.

Fonte: IMEA

Texto originalmente publicado em:
Boletim semanal do milho
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.