Proibição de produtos a base de Glifosato, Paraquat e 2,4-D traria impactos negativos na produtividade das principais culturas agricolas brasileiras

781

De acordo com a CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA SOJA com a retirada destes herbicidas as perdas de produtividade ultrapassariam 100 milhões de toneladas de grãos.

Em relato publicado no dia  28 de abril de 2015, pela CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA SOJA caso o Processo 0021371-49.2014.4.01.3400 e o Processo 0021372-34.2014.4.01.3400 culminem com o cancelamento do registro e proibição do uso de produtos com os ingredientes ativos glifosato, paraquat e  2,4 D a agricultura brasileira poderia enfrentar perdas de produtividade superiores a 100 milhões de toneladas.

O primeiro processo (0021371-49.2014.4.01.3400) visa para compelir a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) a reavaliar a toxidade de 8 (oito) ingredientes ativos dentre eles o paraquat e o glifosato e ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e Proibir a concessão de novos registros e o Processo 0021372-34.2014.4.01.3400 para suspender o registro dos agrotóxicos que contenham o herbicida 2,4-D em suas formulações, enquanto a ANVISA não divulgar os resultados conclusivos acerca da reavaliação toxicológica do 2,4-D e proibir a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) de liberar a comercialização de sementes transgênicas tolerantes ao 2,4-D enquanto, mais uma vez, a ANVISA não finalizar a reavaliação toxicológica do referido princípio ativo.

Abaixo a tabela detalhando estas perdas (clique 2 x sobre a tabela para ampliar):

impacto na produção pela retirada de glif par e 2 4

Fonte:http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/file/camaras_setoriais/Soja/28RO/Apresentacao%20Proibicao%20do%20Glifosato%20SOJA.pdf

De acordo com a projeção realizada, as perdas seriam de até 60%, afetando culturas de grande impacto na economia do país, como soja (40% de redução) e milho (60%), mas também afetando a produtividade de culturas de grande impacto na segurança alimentar, como trigo (60% de perdas de produtividade), arroz e feijão (60%).

De acordo com a Câmara também o sistema de plantio direto na palha seria afetado, pois estes ativos permitem o controle de plantas daninhas importantes e colaboram para a semeadura direta, o que segundo o relato é considerado uma revolução na cultura de grãos nos trópicos por apresentar benefícios ambientais (menos erosão, lixiviação, assoreamento de corpos d´água e menor uso de máquinas com conseguente redução de emissões de GEE) e econômicos (Redução do Custo Operacional dos Produtores).

O mesmo relato traz os impactos econômicos sobre estas culturas e na balança comercial brasileira e os dados de consumo de agrotóxicos no brasil de 2008 a 2013.

O relato completo pode ser acessado aqui.купить летниеhookahs cheapсайт визитка в алматыраскрутка сайта в москвеmiami apartments for rent by owner

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA