Plataforma Inteligente de gerenciamento da água

258

Pesquisa internacional investe em sistema de controle da agricultura de precisão

Da Redação FEBRAPDP

Selecionado entre as propostas submetidas à 4ª Chamada Coordenada Brasil-União Europeia em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), em 2017, o projeto Smart Water Management Platform (SWAMP), tem entre seus objetivos a implementação de um sistema de sensoriamento e controle baseado em internet das coisas (IoT, em inglês) para gerir o uso da água. Atualmente, quatro projetos-piloto já estão sendo desenvolvidos no Brasil, Espanha e Itália.

No Brasil, o SWAMP está sob o comando do professor Carlos Alberto Kamienski, da UFABC, e conta com o apoio de outras 11 instituições, tais como, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana “Padre Sabóia de Medeiros” (FEI), em São Bernardo do Campo (SP), a Universidade de Bologna, na Itália, a Intercrop, da Espanha, Embrapa e Technical Research Center of Finland Ltd. (VTT).

Conduzidos pela Embrapa, os experimentos nacionais visam o gerenciamento da irrigação de precisão em vitivinicultura e na cultura da soja. As unidades estão instaladas na vinícola Guaspari, em Espírito Santo do Pinhal, na Serra da Mantiqueira, divisa entre São Paulo e Minas Gerais, e a fazenda Rio de Pedras, em Barreiras (BA), na região do Matopiba.

Em visita aos pilotos locais, em fevereiro deste ano, pesquisadores brasileiros e estrangeiros puderam observar as necessidades dos usuários da tecnologia desenvolvida. Segundo o professor Kamienski, o grupo esteve em busca de detalhes para identificar os desafios, objetivos e expectativas de quem vai usufruir do sistema.

“Estamos buscando desenvolver uma tecnologia adequada de irrigação de precisão e que seja adaptável, com relativa facilidade, para outras culturas e em outros lugares. Por isso, o projeto trabalha com quatro projetos-piloto, dois no Brasil e dois na Europa.”, diz ele.

Coordenador do projeto no exterior, o pesquisador Juha-Pekka Soininen, da VTT Technical Research Center of Finland Ltd., aprovou a escolha da vinícola Guaspari. Com uma produção anual de 90 mil garrafas das variedades cultivadas de Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot, Pinot Noir, Petit Verdot, Sauvignon Blanc, Syrah e Viognier, o alto nível tecnológico do cultivo na propriedade impressionou os pesquisadores.

“O local reúne todas as condições para a realização do experimento. É um lugar muito bonito, usando tecnologias avançadas, e que certamente vai contribuir para agregar informações aos diversos experimentos que estão sendo realizados aqui no Brasil e na Europa”, afirma Soininen.

Já na região do Matopiba, o projeto prevê a criação de uma plataforma inteligente de irrigação à taxa variada (VRI), destinada a pivôs centrais e irrigação localizada. De acordo com informações da Embrapa, a plataforma será integrada com ferramentas e aplicativos de gestão para o uso racional da água e energia.

O pesquisador da Embrapa Instrumentação, André Torre Neto, explica que objetivo é também irrigar de forma variada segundo a necessidade específica de subáreas do pivô, denominadas zonas de manejo.

“A proposta é fornecer ao agricultor um mapa de recomendação diário, dinâmico, e de acordo com um conjunto de informações em tempo real sobre o clima, solo, condições de cultivo, além dos níveis e qualidade dos sistemas de fornecimento e da distribuição de água no campo, todos obtidos pela plataforma.”, revela.

SWAMP

Com início em dezembro de 2017, o prazo de execução da plataforma inteligente de gerenciamento de água (Smart Water Management Platform – SWAMP) é de três anos. O projeto dispõe de 5,5 milhões de reais disponíveis para as instituições brasileiras, dos quais, cerca de 1,2 milhão de reais será destinado à Embrapa.

Responsável por conduzir a implementação e avaliação das duas unidades-piloto contempladas pelo projeto, a Embrapa também vai colaborar nas pesquisas para superar os desafios da instrumentação e construção da plataforma computacional para coleta, integração, armazenamento, processamento e visualização de dados oriundos dos experimentos.

Fonte: Da Redação FEBRAPDP – Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação

Texto originalmente publicado em:
FEBRAPDP
Autor: Da Redação FEBRAPDP

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA