O trabalho realizado teve como objetivo a identificação e quantificação de fitonematoides em plantação de soja em cinco diferentes áreas produtoras na Microrregião de Chapadinha

Autores: Elaine Milena Araújo Costa Santos(1); Deucleiton Jardim Amorim(1); Josué Lopes de Araújo Neto(1); Izumy Pinheiro Doihara(2)

Trabalho publicado nos Anais do evento e divulgado com a autorização dos autores.

RESUMO

O dano econômico à soja brasileira [Glycine max (L.) Merr.] aumentou nos últimos anos causados por nematóides fitoparasitas, principalmente os do gênero Pratylenchus. O trabalho realizado teve como objetivo avaliar população de fitonematóides em plantação de soja em cinco diferentes áreas produtoras na Microrregião de Chapadinha-MA. As amostras de solo e raiz foram coletadas e posteriormente analisadas a população de fitonematóides.

Nas análises dos dados foi utilizado o programa estatístico InfoStat versão 2016 por meio do teste não paramétrico Kruskal Wallis (p>0,05). Foram encontrados os seguintes fitonematóides: Pratylenchus brachyurus, Tubixaba tuxaua, Helycotylenchus dihystera, Criconemoides, Tylenchus. A população de Pratylenchus brachyurus apresentou uma elevada média em relação aos demais fitonematóides.

A ocorrência de P. Brachyurus em áreas produtoras de soja contribui para a redução significativa na produtividade. O gênero T. tuxaua na área 3 e na raiz ocorreu em maior número populacional e no solo na área 2, sendo que a população nas áreas 2, 4 e 5 foram não-significativas.

A espécie H.dihystera ocorreu apenas na área 1 e em pequeno número na área 3. Em todas as áreas houve a presença do gênero Criconemoides no solo. A presença de Criconemoides foi superior a de Tylenchus,que apresentou população não-significativa na raiz, e significativa população no solo nas áreas 2, 3, 4, e 5. Conclui-se que as áreas amostradas apresentaram populações de fitonematóides que podem ser prejudiciais à cultura da soja.

Termos de indexação: danos econômicos, plantação,áreas produtoras.

INTRODUÇÃO

O estado do Maranhão tem clima e território favorável para a expansão da fronteira agrícola brasileira, dentre as culturas de maior interesse têm-se a soja e milho. Antes a soja era mais predominante na região sul do estado. Nos últimos anos a região leste maranhense tem ganhado grande destaque, e sua produtividade tem sido satisfatória diante dos desafios edafoclimáticos que essa região apresenta.

De acordo com levantamentos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o estado tem aproximadamente 9 milhões de hectares aptos para a produção de milho e soja (Agricultura no Maranhão, 2016). De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) na safra 2015/2016 foram cultivados aproximadamente 722 mil hectares de soja [Glycine max (L.) Merr.], Conab ( 2016).

Um dos fatores que mais afeta a produtividade no campo das culturas são problemas fitossanitários. De acordo com Juhász et al.,2013, esses problemas podem comprometer a produtividade, bem como a qualidade final do produto. Atualmente, podem-se destacar como problemas mais comuns, a ferrugem-asiática, o mofo-branco, os nematoides e a qualidade fisiológica e sanitária dos grãos produzidos.

Entre esses problemas fitopatológicos, os nematóides vêm se destacando e causando redução considerável da produtividade. O manejo de espécies de fitonematóides é particularmente difícil, principalmente por suas

dimensões microscópicas e por habitar a rizosfera. Sendo assim, o produtor desconhece quais áreas da propriedade estão infestadas ou isentas desses organismos, (Santos Júnior, 2002). Visto que os danos causados por tais microrganismos só são visíveis quando a produção já está comprometida, com plantas de baixo porte aéreo, vagens ou espigas com má formação e galhas nas raízes.

Dada a importância dos fitonematóides e a necessidade de identificar e quantificar a população de fitoparasitas na região, o trabalho realizado teve como objetivo a identificação e quantificação de fitonematoides em plantação de soja em cinco diferentes áreas produtoras na Microrregião de Chapadinha.

MATERIAL E MÉTODOS

O trabalho foi realizado no município de Chapadinha – MA, localizado na mesorregião leste do Maranhão, conduzido no ano agrícola 2015/2016. Situada a Latitude: 03º 44’ 30” S Longitude: 43º 21′ 37″ W Altitude: 105 m. A região possui um clima de acordo com a classificação de Thornthwaite (1948),como subúmido, megatérmico com grande deficiência hídrica no verão (C2s2A’a’), apresentando totais pluviométricos anuais que variam de 1.600 a 2.000 mm, com chuvas mal distribuídas ao longo do ano. Oterreno possui relevo plano a suave ondulado.

Foram selecionadas cinco áreas produtoras de soja em pleno desenvolvimento do cultivo, e que apresentavam histórico da ocorrência da presença de fitonematoides. A escolha das áreas amostradas seguiu o critério dos sintomas de infestação, ou seja, as observações de reboleiras, prosseguindo com as amostras de solo e raiz coletadas ao acaso, no decorrer do caminhamento em zigue-zague.

O solo de cada área foi processado pelo método do peneiramento combinado a flotação centrífuga em solução de sacarose, Jenkins (1964). Uma alíquota de 100 cm3 de solo foi colocada em um recipiente contendo 2L de água. Os torrões foram desmanchados e a suspensão, após homogeneização, permaneceu em repouso por 15 segundos. Após esse período, a suspensão foi vertida passando pelas peneiras sobrepostas de 0,85 e 0,025 mm. O precipitado da peneira de 0,025 mm foi recolhido e distribuído em tubos de centrífuga balanceados e logo centrifugados.

A centrifugação ocorreu por 5 minutos, à rotação de 1.750 rpm. Após a centrifugação, o sobrenadante foi descartado e ao precipitado adicionaram-se uma solução de sacarose (754g de açúcar cristal/ 1L de água). Os tubos foram centrifugados novamente na mesma rotação, durante 1 minuto.

O sobrenadante foi vertido na peneira de 0.025 mm. O precipitado dessa peneira foi recolhido com auxílio de jatos de água de uma pisseta para um Becker. Uma alíquota obtida foi colocada na câmara de contagem de Peters, Southey (1970) e levada ao microscópio óptico para a determinação da população dos fitonematóides.

A população dos fitonematóides nas raízes da soja foi determinada coletando-se os sistemas radiculares de cada planta com solo em todas as áreas amostradas. A extração dos nematóides presentes nas raízes da soja foi realizada pelo método de Coolen & D’Herde (1972). As raízes de cada amostra foram cortadas em pequenos pedaços, em seguida as raízes foram trituradas em 250 ml de água em um liquidificador por 25 s.

Após, o material foi vertido em peneiras sobrepostas de 0.85 e 0.025 mm. O resíduo da peneira de 0.025 mm foi recolhido e distribuído em tubos de centrífuga, onde foi adicionado 2 g de caulim em tubos, por sua vez, foram balanceados e então centrifugados. Posteriormente, as amostras foram levadas ao microscópio óptico para a identificação e determinação da população dos fitonematóides.

Para avaliar a população de nematóides presentes no solo e na raiz nas áreas avaliadas foi utilizado programa estatístico Info Stat versão 2016, Di rienzo et al. (2016). As populações foram classificadas por gênero e/ou espécie. A comparação das populações foi feita por meio do teste não paramétrico Kruskal Wallis (p>0,05), para dados fora de normalidade.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Dentre as amostras coletadas foram identificadas a presença de cinco diferentes tipos de fitonematóides, sendo estes, Pratylenchus brachyurus, Tubixaba tuxaua, Helycotylenchus dihystera, Criconemoides, Tylenchus. Os resultados estão apresentados na (Tabela 1).

Com relação à população P. brachyurus, a área 5 apresentou uma média de 1371,50, população considerada elevada, valores semelhantes foram encontrados por Mendes et al. (2012), Carvalho et al. (2013), em média 23.121 nematóides por 10 g de raiz evidenciando que as áreas possuem alto nível de infestação. Populações elevadas de P. brachyurus causam danos no crescimento e, consequentemente, sobre a produção vegetal, Haegeman et al. (2012); Loof (1991).

As populações do gênero P. brachyurus tanto na raiz quanto no solo, foram significativas em todas as áreas, deixando clara a presença deste nematóide nestas e, portanto prejudiciais à soja, pois é um fitonematóides endoparasita migrador importante para a soja. De acordo com (Goulart & Ferraz, 2003), este fitonematóide é caracterizado como polífago, tal fato explica a rápida adaptação às áreas produtoras da região.

Segundo Freitas et al., (2017), que analisou as safras de 2013, o nematóide das lesões radiculares, P. brachyurus foi um grande problema para a cultura da soja na região de Chapadinha – MA. O fitonematóide é beneficiado por solo que apresenta textura arenosa, o que aumentou a vulnerabilidade da cultura. A ocorrência de P. brachyurus tem ganhado importância, tanto pelos danos à cultura, quanto pela sua ampla disseminação e alta incidência em áreas produtoras nos estados MT, GO, MG, TO e agora no estado do Maranhão.

O fitonematoide T. tuxaua (Tabela 1) apresentou maior população na área 3 com média de 69,13 espécimes no solo e nas áreas 2, 4 e 5 a população não diferiu significativamente. A maior população do mesmo gênero na raiz foi em média 86, 38 encontrada na área 1, as demais áreas tiveram populações não significativas.

O gênero H. dihystera (Tabela 1) ocorreu apenas na área 1 com média de 11, 88 espécimes na raiz. Pequeno número na área 3 com população média de 16, 13 no solo. Nas áreas 2, 3, 4 e 5 foram identificadas populações que não diferiram significativamente. As áreas que apresentaram maiores populações são mais susceptíveis a ocorrência e danos econômicos na produção de soja.

 Tabela 1: Comparação das populações de fitonematóides entre as áreas de coletadas (1, 2, 3, 4 e 5).

Nos resultados apresentados na (Tabela 1) pode-se verificar que em todas as áreas há a presença do gênero Criconemoides no solo, e nula quando analisadas as raízes. A área 5 apresentou a maior média com uma população de 75,19 espécimes. As áreas 2, 3, e 4 apresentaram populações semelhantes a área de maior população, ou seja, significativas no nível de 5%, sendo assim, os danos causados nestas áreas podem seguir a mesma proporção.

A população do gênero Tylenchus nas raízes da soja não apresentou significância, pois as médias das populações identificadas e quantificadas foram de 0,00 a 3 espécimes, isto é, os danos causados por este fitonematóide são ausentes e/ou mínimos, porém, o solo apresentou populações consideravelmente significativas nas áreas (2, 3, 4 e 5) e na área 1 a população foi nula.

Assim as áreas que tiveram populações significativas, no entanto baixas, podem em algum momento aumentarem e se tornarem danosas às plantas. Portanto, é importante que seja realizado monitoramentos dessas populações objetivando respostas mais consistentes quanto às populações desses fitonematóides, com intuito de traçar estratégias de manejo mais eficazes.

CONCLUSÃO

Danos visíveis à cultura de soja tais como reboleiras pode estar fortemente relacionado com a presença de fitonematóides. Nas áreas de estudo foram encontrados os nematóides: Pratylenchus brachyurus, Tubixaba tuxaua, Helycotylenchus dihystera, Criconemoides, Tylenchus. A identificação de tais agentes causais foi importante para a escolha das melhores práticas agronômicas a serem utilizadas posteriormente.

Sob populações elevadas e/ou sob manejo inadequado, os nematóides fitoparasitas mais frequentes representam risco a cultura da soja na microrregião de Chapadinha, causando tanto perdas na produtividade quanto danos econômicos.

AGRADECIMENTOS

Os autores agradecem a todos que contribuíram diretamente e indiretamente para realização deste trabalho.

Ao Prof. Dr. Jefferson Costa de Siqueira pela ajuda nas análises estatísticas.

REFERÊNCIAS

AGRICULTURA NO MARANHÃO. Disponível em <http://agriculturanomaranhao.blogspot.com.br/2016/11/agricultura-matopiba.html>. Acesso em 20 jun. 2017.

CARVALHO, C., D.C. FERNANDES, M.J. Santos, and M.C.M. MACEDO. Population density of Pratylenchus spp. in pastures of Brachiaria spp. and its influence on the forage availability and quality. Ceres 60:30–37. 2013. doi:10.1590/S0034-737X2013000100005.

CONAB – COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Acompanhamento da Safra Brasileira de Grãos 2016/2017 – Sétimo Levantamento – Abril de 2016.

COOLEN, W. A.; D’HERDE, C. J. A method for the quantitative extraction of nematodos from plant tissue. Ghent, StateAgriculturalResearch Center. 77p, 1972.

DI RIENZO J.A.; CASANOVES F.; BALZARINI M.G.; GONZALEZ L.; TABLADA M.; ROBLEDO C.W. InfoStatversión 2016. Grupo InfoStat, FCA, Universidad Nacional de Córdoba, Argentina.

FREITAS, J. R. B.; MOITINHO, M. R., D.; De BORTOLI T. E. da SILVa B.; J. F. da Silva, D. S.; SIQUEIRA, B. F. F.; BARBOSA, P. L. M.; SOARES, and G. T. PEREIRA. 2017. Soil Factors Influencing Nematode Spatial Variability in Soybean. Agron. J. 109:610-619. doi:10.2134/agronj2016.03.0160

GOULART, A. M. C.; FERRAZ, L. C. C. B. Comunidade de nematoides em Cerrado com vegetação original preservada ou substituída por culturas. Nematologia Brasileira, Piracicaba-SP, v. 27, n. 2 p. 129-137, 2003.

HAEGEMAN, A. et al. Functional roles effectonsofplant-parasiticnematodes. Gene, v.492, p. 19-31, 2012.

JENKINS, W. R. A. A rapid centrifugal – flotation technique for separating nematodes from soil. PlantDiseaseReport, v.48: 692 p, 1964.

JUHÁSZ, A. C. P.; PÁDUA, G. P.; WRUCK, D. S. M.; FAVORETO, L. & RIBEIRO, N. R. Desafios fitossanitários para a produção de soja. InformeAgropecuário, 34(276), 66-75. (2013).

LOOF, P. A. A. The family Pratylenchidae Thorne, 1949. In: NICKLE, W. R. (Ed.). Manual ofagriculturalnematology. New York: Marcel Dekker, p. 363-421, 1991.

MENDES, F. L. et al. Manejo cultural do nematoide das lesões radiculares durante a entressafra da soja no Mato Grosso. Reação de cultivares de Soja a Pratylenchus brachyurus. In: VI Congresso Brasileiro de Soja, Cuiabá, 2012, Programas e anais CD-Rom. 2012.

SANTOS JÚNIOR, R.F. Resposta espectral de plantas de soja cv. BRS133 infectadas por Heteroderaglycines ou Meloidogynejavanica. (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal SP, 2002. 53 p.

SOUTHEY, J. F. Laboratory methods for work with plant and soil nematodes, (Ed). London: Minist. Agric. Fisch. Fd., (Bulletin 2). p-148, 1970.

THORNTHWAITE, C.W. Na approach toward a rational classification of climate. Geographical Review, 38: 55-94, 1948.

Informações dos autores:      

(1)Graduando em Agronomia – Centro de Ciências Agrárias e Ambientais-CCAA; Universidade Federal do Maranhão – UFMA, Campus IV; Chapadinha, Maranhão;

(1)Graduando em Agronomia – CCAA; UFMA; Campus IV; Chapadinha, Maranhão;

(1)Graduando em Agronomia – CCAA; UFMA; Campus IV; Chapadinha, Maranhão;

(2)Professora – CCAA; UFMA; Campus IV; Chapadinha, Maranhão.

Disponível em: Anais do XXX CONGRESSO BRASILEIRO DE AGRONOMIA, Fortaleza – CE, Brasil,2017.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.