O  objetivo desse estudo foi avaliar a eficiência de fungicidas em diferentes programas de aplicação no controle de mancha alvo da soja.

Autores: CARREGAL, L. H.1; SOUSA, B. H.1; LOPES, M. V.2; RAMOS, M. F. T2

Trabalho publicado nos Anais do evento e divulgado com a autorização dos autores.

A mancha alvo da soja Glycine max (L.) Merr. é causada pelo fungo Corynespora cassiicola (Berk. & M.A. Curtis) C.T. Wei. No Brasil, os primeiros registros ocorreram no Mato Grosso em 1974 e no Paraná em 1976 (ALMEIDA et al., 1976). Condições de alta umidade relativa e temperaturas amenas são favoráveis à infecção do fungo na folha. Os sintomas mais comuns da doença são manchas nas folhas, com halo amarelado, evoluindo para manchas circulares com pontuação escura no centro, que causam severa desfolha (HENNING et al., 2009).

Algumas estratégias são recomendadas para o controle da doença, tais como: utilização de cultivares resistentes, tratamento de sementes, rotação/sucessão de culturas com espécies de gramíneas e pulverizações com fungicidas (Henning et al., 2009; Godoy et al., 2016).

A incidência de mancha alvo tem aumentado nas últimas safras em razão do aumento da semeadura de cultivares suscetíveis e da menor sensibilidade/resistência do fungo aos fungicidas mais comumente utilizados na cultura da soja (Godoy et al., 2017). Considerada uma doença importante para a cultura, se faz necessário estudos quanto a performance de fungicidas em programas de aplicação. Assim, o objetivo desse estudo foi avaliar a eficiência de fungicidas em diferentes programas de aplicação no controle de mancha alvo da soja.

O experimento foi conduzido na área experimental da Agro Carregal Pesquisa e Proteção de Plantas, em Rio Verde/ GO, safra 2017/18, em delineamento em blocos casualizados, com 10 tratamentos e 4 repetições.

A semeadura foi realizada no dia 28/10/2017, utilizando 20 sementes por metro, cultivar CD 2728, suscetível a mancha-alvo. A adubação de base constou em aplicação de 400 kg ha-1 da formulação comercial 00-20-20 no sulco de semeadura, conforme a necessidade da análise de solo. O controle de pragas e plantas daninhas durante o experimento foi realizado conforme as indicações técnicas para a cultura.

As aplicações dos tratamentos foram realizadas nos estádios R2, R5.2 e R5.5, conforme descrito na Tabela 1, por meio de um pulverizador costal pressurizado a CO2, dotado de barra com seis pontas de bico leque duplo, aplicado em volume de calda de 150 L/ha.

Tabela 1. Tratamentos utilizados no experimento de controle de Mancha-alvo (Corynespora cassiicola) na cultura da soja. AGRO CARREGAL, 2018.

As avaliações para quantificação da severidade da doença foram realizadas por meio da porcentagem de área foliar com sintomas de acordo com a Figura 1 (Soares et al., 2009). A eficácia dos tratamentos foi calculada pela fórmula de Abbott (1925) tomando como base a severidade da doença.

Fonte: Carregal

Figura 1. Escala diagramática para avaliação de mancha alvo (Corynespora cassiicola) da soja.

Para o cálculo de produtividade, foi colhida uma amostra uniforme nas 2 linhas centrais de 4 metros cada, e após a colheita foi aferida a umidade com correção para 13%. As médias foram comparadas pelo teste de Scott-Knott a 5% de probabilidade, com o auxílio do software Sisvar.


Otimize sua lavoura, conheça o curso de manejo de doenças em soja


Os resultados de severidade de mancha alvo, eficácia de controle, produtividade e incremento relativo de produtividade estão apresentados na Tabela 2. A severidade da mancha alvo na testemunha foi de 53,75%. O programa com três aplicações de Audaz® nas doses 1,0 e 1,2 L ha-1 (tratamentos 2 e 3, respectivamente) foi o que resultou em menor severidade e, eficiência de controle de 88,6% e 90,7%, respectivamente.

Tabela 2. Severidade (%) e eficácia (%) em R7.1 (BBCH 91), produtividade (kg ha-1) e Incremento relativo (sc ha-1) em função do controle químico da Mancha-alvo (Corynespora cassiicola) na cultura da soja. AGRO CARREGAL, 2018.

A aplicação dos produtos Fox® e Orkestra® apresentaram eficiência de controle de 76,7 e 76,3% respectivamente, sendo estaticamente inferiores ao melhor tratamento.

Beluti et al. (2015), em avaliações de eficiência de programas de fungicidas para o controle de doenças na cultura da soja, encontraram melhores índices de controle de mancha-alvo com tratamentos contendo a mistura de Piraclostrobina + Fluxapiroxade e menor eficiência no tratamento contendo Azoxistrobina + Benzovindiflupir. Tais resultados corroboram com o observado no presente estudo.

O programa de aplicação do fungicida Audaz®, na primeira, segunda ou terceira aplicação, complementado com aplicações do fungicida Fox® e Orkestra®, não diferiram entre si. O tratamento 10, com duas aplicações de Audaz® e aplicação de Aproach Prima® + Difere®, teve eficiência de controle de 72,1%.

No parâmetro produtividade todos os tratamentos proporcionaram aumento significativo em relação à testemunha, com exceção do tratamento 6 (Tabela 2). O programa com três aplicações de Audaz® (tratamentos 3) promoveu incremento de 8,1 sc ha-1 em relação a testemunha.

Dessa maneira, os programas com três aplicações de Audaz® mostrou-se eficiente no controle de mancha-alvo na cultura da soja, seguido por Orkestra®, Fox® e Elatus®.

Referências

ABBOTT, W.S. A method of computing the effectiveness of an inseticide. Journal of Economic Entomology, College Park, v. 18, n. 1, p. 265-267, 1925.

ALMEIDA, A.M.R, MACHADO, C.C.; FERREIRA, L.P.; LEHMAN, O.S.; ANTONIO, H (1976) Ocorrência de Corynespora cassicola no Estado de São Paulo. Fitopatologia Brasileira 1:111112.

BELUFI, L.M.R.; PITTELKOW, F.K.; PASQUALLI, R.M. Avaliação da eficiência de programas de fungicidas para o controle de doenças na cultura da soja em duas épocas de semeadura no Mato Grosso. Boletim Técnico Safra 2014/15. Fundação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Rio Verde. Versão on-line, 2015. 13 p.

GODOY, C.V.; ALMEIDA, A.M.R.; COSTAMILAN, L.M.; MEYER, M.; DIAS, W.P.; SEIXAS, C.D.S.; SOARES, R.M.; HENNING, A.A.; YORINORI, J.T.; FERREIRA, L.P.; SILVA, J.F.V.; Doenças da soja. In: AMORIM, L.; REZENDE, J.A.M.; BERGAMIN FILHO, A.; CAMARGO, L.E.A. (Org.). Manual de Fitopatologia: v. 2. Doenças das Plantas Cultivadas. 5. ed. São Paulo: Ceres, 2016. p. 657- 675.

GODOY et al. Eficiência de fungicidas para o controle de mancha-alvo, Corynespora cassiicola, na safra 2016/ 2017: resultados sumarizados dos ensaios cooperativos. Embrapa Soja, Londrina/ PR, 2017, 7 p.

HENNING, A. A.; ALMEIDA, A.M.R.; GODOY, C.V.; SEIXAS, C.D.S.; YORINORI, J.T.; COSTAMILAN, L.M.; FERREIRA, L.P.; MEYER, M.C.; SOARES, R.M.; DIAS, W.P. Manual de identificação de doenças de soja. 3. ed. Londrina: Embrapa Soja, 2009. 73 p. (Embrapa Soja Documentos 256).

SOARES, R.M.; GODOY, C.V.; OLIVEIRA, M.C.N. Escala diagramática para avaliação da severidade da mancha alvo da soja. Tropical Plant Pathology, v.34, n.5, p.333- 338, 2009.

Informações dos autores:  

1Agro Carregal Pesquisa e Proteção de Plantas – Rio Verde, GO;

2Oxiquímica Agrociência Ltda – Jaboticabal, SP.

Disponível em: Anais do VIII Congresso Brasileiro de Soja. Goiânia – GO, Brasil.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.