Propriedades físico-químico da água na eficácia do herbicida glifosato

2022

O  trabalho tem como objetivo avaliar ascara cterísticas físico-químicas de diferentes fontes de água no desempenho do herbicida pósemergente glifosato na redução da biomassa do capim-braquiária

Autores: AGATHA DA S. ARGIOLI1, MATHEUS A. G.L. FARIAS1, JOSÉ LUIS C. DOS S. JÚNIOR1, RAFAEL S. TOMAZ2, EVANDRO P. PRADO2

Trabalho disponível nos Anais do Evento e publicado com o consentimento dos autores.

RESUMO

A qualidade da água utilizada no preparo da calda de produtos fitossanitários é de fundamental importância para o sucesso da eficiência do defensivo. Essa pesquisa teve como objetivo avaliar as características físico-químicas de diferentes fontes de água no desempenho do herbicida glifosato na fitotoxicidade do capim-braquiária (Brachiaria decumbens). As propriedades físicoquímicas como tensão superficial, pH e condutividade elétrica das diferentes fontes de água de forma isolada ou em mistura com o herbicida glifosato foram determinadas. Sementes de capim-braquiária foram semeadas em vasos de 0,7 L e mantidas uma população de duas plantas. A aplicação do herbicida foi realizada através de pulverizador costal pressurizado por CO2 quando as plantas estavam com aproximadamente 30 cm de altura. Três semanas após aplicação do herbicida na dose de 1100; 888; 666; 444; 222; 111 e 0 gramas do equivalente ácido (e.a.) ha-1 da dose recomendada em misturas com as diferentes fontes de água determinou-se o peso da biomassa seca. Com os dados, foram elaboradas as curvas dose-resposta utilizando o modelo log-logístico:

calculado pelo modelo estatístico não linear através do programa SAS. Pelos dados obtidos foi constatado que a qualidade da água utilizada como veículo na aplicação de glifosato influencia negativamente na redução da matéria seca das plantas de capim-braquiária.

PALAVRAS -CHAVE: Tecnologia de aplicação, controle químico, qualidade de água.

PHYSICO-CHEMICAL PROPERTIES OF WATER ON GLYPHOSATE HERBICIDE EFFICACY

PHYSICO-CHEMICAL PROPERTIES OF WATER ON GLYPHOSATE HERBICIDE
EFFICACY

ABSTRACT

The quality of water used in herbicide tank-mix has a fundamental hole for the success of weed control. This research aimed to evaluate the physico-chemical characteristics of different water sources in the performance of the glyphosate herbicide on the phytotoxicity of Signal grass (Brachiaria decumbens). Physical-chemical properties such as surface tension, pH and electrical conductivity of the different water sources alone or in combination with the glyphosate herbicide were determined. Signal grass seeds were sown in 0.7 L pots and maintained a population of two plants.
The application of the herbicide was carried out by a CO2 pressurized back pack sprayer when the plants were approximately 30 cm height. Three weeks after herbicide application in the dose of 1100; 888; 666; 444; 222; 111 and 0 grams of acid equivalent (e.a.) ha-1 of the recommended rate diluted in the different water sources was determined the weight of the dry biomass. With the data, the doseresponsecurves were  elaborated using log-logistic model:

calculated by non-linear statistical model through SAS program. It was verified that the water quality used as vehicle in the application of glyphosate negatively influences the reduction of Signal grass dry biomass.

KEYWORDS: Application technology, chemical control, water quality.

Continua após a publicidade..


Quer entender mais sobre aplicações? Confira o curso sobre Adjuvantes Agrícolas.

Para + Conhecimento: clique aqui.

INTRODUÇÃO

A água de rios e de açudes podem apresentar argila e partículas orgânicas em suspensão, em função disso, os agricultores usam água de poços artesianos para a pulverização de produtos fitossanitários. O preparo da calda para aplicação de produtos fitossanitários, quase sempre, é feito com água como diluente e, na maioria dos casos, não é dada a devida importância para esse fator. Queiroz et al. (2008) revisando as propriedades físico-químicas da água na aplicação de produtos fitossanitários, verificaram que alguns fatores como a dureza da água, pH, sedimentos em suspensão como matéria orgânica e argila interferem diretamente na eficácia desses produtos. Tanto o pH da solução como a presença de cátions na água de pulverização têm importância prática na ação herbicida do glifosato (QUEIROZ et al., 2008). De acordo com Queiroz et al. (2008), a utilização de água limpa em aplicações de produtos fitossanitários nem sempre é possível, principalmente quando provém de reservatórios abertos, sujeitos à influência das águas das chuvas. Nesses casos, é interessante saber até que ponto a argila e outros materiais em suspensão na água podem comprometer a eficácia do produto fitossanitário, com isso, o presente trabalho tem como objetivo avaliar ascara cterísticas físico-químicas de diferentes fontes de água no desempenho do herbicida pósemergente glifosato na redução da biomassa do capim-braquiária.

MATERIAL E MÉTODOS

Coleta das águas e determinação das propriedades físico-químicas: As diferentes fontes de águas utilizadas nesse trabalho foram: água deionizada (fonte 1); água do abastecimento público da cidade de Dracena/SP com elevados teores de matéria orgânica (MO) (fonte 2); água do abastecimento público da cidade de José Bonifácio/SP (fonte 3) e água de poço tubular profundo sediada em propriedade agrícola no município de Pereiras/SP (fonte 4).

A tensão superficial (TS) das águas isoladas (fontes 1, 2, 3 e 4) ou em mistura com o herbicida glifosato nas concentrações de 0; 0,3; 1,5 e 2% v v-1, respectivamente, foram determinadas pelo método do peso da gota conforme metodologia proposta por Mendonça et al. (2007). Para isso a massa das gotas formadas na extremidade de uma bureta de ponta plana foi mensurada, no tempo de formação entre 20 a 30 segundos.

As gotas formadas foram depositadas em um becker de 25 mL, posicionado sobre o prato da balança, contendo 10 mL de óleo vegetal a fim de evitar perdas por evaporação, onde foramdevidamente tarados. Os dados médios da massa de 15 gotas foram converti dos para tensão superficial, utilizando a seguinte equação:

Onde γ é tensão superficial da solução (mN m-1); N é a massa da gota (g); g é a aceleração da gravidade (980,665 cm s-2), O foi adotado 3,1416; r é o raio interno da extremidade do tubo da bureta onde a gota é formada a qual é de 0.2037 mm e P é o fator de correção que foi de 0,6461 Maiores detalhes sobre como mensurar o peso da gota são descritos em (BEHRING et al., 2004).

O pH e a condutividade elétrica das águas isoladas e em mistura com o herbicida supracitados nas mesmas dosagens utilizadas na aferição da TS foram determinados diretamente nas soluções utilizando medidor de pH e condutividade portátil (modelo PHH-7200).

Efeito dose-resposta: Foram semeadas seis sementes por vaso de 0,7L com solo devidamente adubado. Quando as plantas começaram a se desenvolver foi realizado o desbaste, deixando apenas duas plantas por vaso e foram submetidas aos tratamentos no estádio de desenvolvimento de três a quatro folhas definitivas.

O experimento foi realizado no delineamento experimental inteiramente casualizado com cinco repetições (cada vaso corresponde a uma repetição) em esquema fatorial (dosagens dos herbicidas x tipo de água). O herbicida glifosato foi pulverizado a 1100; 888; 666; 444; 222; 111 e 0 gramas do equivalente ácido (e.a.) ha-1 da dose recomendada pelo fabricante. As pulverizações foram realizadas através de um pulverizador pesquisa (Herbicat®), pressurizado por CO2, equipados com 4 pontas espaçadas em 0,5 m e aplicando em velocidade constante de 4 km h-1.

As pontas utilizadas no trabalho foram de jato plano, modelo XR 11002 (Teejet®), regulado para proporcionar um volume de aplicação aproximado de 200 L ha-1. No momento da pulverização a temperatura era de 39 °C e umidade relativa do ar de 40% monitoradas através de Termo-higro-anemômetro luxímero digital portátil (modelo THAL-300). A pulverização foi realizada dentro de uma casa de vegetação evitando o efeito do vento. Após a aplicação, os vasos foram acondicionados em casa de vegetação e irrigados para manter a umidade do substrato, próxima à capacidade de campo.

As avaliações foram realizadas aos 15 dias após aplicação do herbicida, sendo as plantas coletadas por corte efetuado com tesoura, próximo ao colo das plantas, identificadas, colocadas em saco de papel e transportadas para câmara de circulação de ar forçado, regulada a 65 °C por 72 horas para determinação dos valores de biomassa seca através de balança analítica. A resposta da biomassa seca das plantas de capim-braquiária nas dosagens dos herbicidas com as respectivas fontes de água será determinada pelo modelo matemático log-logístico como descrito pela equação:

em que: Y = resposta da planta; X = dose do herbicida; D = limite superior da curva; C = limite inferior da curva; b = declividade da curva; C50 = dose necessária para reduzir 50% do crescimento da planta em relação à testemunha. Valores iniciais (tentativas) dos parâmetros D, C e C50 foram inseridos para que as interações fossem executadas e assim obter as melhores estimativas pela combinação desses valores.

Para verificação do possível efeito de redução da eficiência dos herbicidas proporcionada pelas diferentes fontes de águas foi determinado o parâmetro E. Esse parâmetro representa o deslocamento horizontal entre a curva (dose-resposta) do herbicida com as diferentes águas com a curva do herbicida aplicado com água deionizada (considerada como a água que proporcione maior eficiência ao herbicida). O parâmetro E indica a proporção das dosagens de herbicida com as fontes de água e herbicida com água deionizada que proporcione o mesmo efeito.

Onde: C 50AD e C 50A é a C50 do herbicida AD (água deionizada) e A (água) respectivamente. Se E for igual a 1, a água utilizada na aplicação não tem efeito na resposta do herbicida e quando E for maior ou menor que 1, o herbicida acompanhado do tipo de água pode ser mais ou menos eficiente do que o herbicida com água deionizada.

RESULTADOS E DISCUSSÕES

A Tabela 1 mostra as variáveis analisadas em laboratório com a presença de glifosato nas concentrações de 0; 0,3; 0,15 e 2% nas diferentes fontes de água. Foi possível observar que a presença do glifosato contribuiu para a redução da tensão superficial de todas as fontes de água analisadas e do valor do pH, tendo maior impacto na água da fonte 3 e 4 com diminuição de aproximadamente 40%. A condutividade elétrica das soluções teve efeito contrário, aumentando seu valor com o aumento da concentração do herbicida com destaque para a fonte 4 e 1.
Nota-se uma alteração gradativa das variáveis conforme a concentração do glifosato aumenta.

TABELA 1. Tabela com os valores de pH; tensão superficial e condutividade elétrica das diferentes fontes de água com e sem herbicida glifosato.

Na Tabela 2 são apresentados os parâmetros dos modelos logísticos ajustados para a redução da biomassa seca de capim-braquiária obtidos com a aplicação do herbicida glifosato em diferentes fontes de água. Com os valores desses parâmetros foi possível obter os valores de C50 e E que caracterizam a qualidade da água que expresse maior efeito fitotóxico do herbicida.

Em relação ao parâmetro b, as fontes 2 e 4 de água apresentaram os maiores valores que são vistas pela maior declividade da curva (Figura 1). A fonte 3 não apresentou valor significativo para o parâmetro C50 indicando que a dose necessária para atingir 50% de redução da biomassa seca está além da maior dose utilizada nessa pesquisa. De acordo com os resultados do parâmetro. E verifica-se que afonte 4 é a que apresenta menor valor desse parâmetro, ou seja, essa fonte reduziu drasticamente a fitotoxicidade do herbicida quando comparada com a fonte 1.

Segundo Queiroz et al. 2008, o pH da calda está muito associado a incompatibilidade dos produtos com a água, onde em alguns produtos, incluindo os herbicidas, águas com pH ácidos ajudam a melhorar a eficiência dos produtos enquanto pH altos aceleram a degradação das moléculas do produto, tornando-o ineficiente, e para que a sua absorção por tecidos vegetais seja possível é necessário ter-se uma molécula íntegra ou dissociada em cátions ou ânions. A fonte de água 2 apresentou valores do parâmetro E de 0,63 o qual pode ser atribuida pela quantidade de material orgânico dissolvido nessa fonte de água o qual provavelmente deve ter neutralizado/reagido com as moléculas de glifosato.

TABELA 2. Estimativa de parâmetros para ajuste da regressão logística para curva dose-resposta do herbicida glifosato, aplicado com quatro fontes de água.

Observa-se na Figura 1 que a aplicação do herbicida glifosato com água da fonte 1 (água deionizada) proporcionou os menores valores em porcentagem de matéria seca nas maiores doses do herbicida e que a fonte 2 e 4 apresentaram os maiores valores de matéria seca. É nítido que o tipo de agua exerce influência significativa na fitotoxicidade do herbicida glifosato.

 

FIGURA 1. Curvas dose-resposta da porcentagem de redução da matéria seca de capim-braquiária em função da aplicação do herbicida glifosato utilizando quatro fontes de água.

CONCLUSÕES

Pelos dados encontrados nessa pesquisa concluímos que a qualidade da água exerce papel significativo na fitotoxicidade do herbicida glifosato em plantas de capim-braquiária.

REFERÊNCIAS

BEHRING, J.L. et al. Adaptação no método do peso da gota para determinação da tensão superficial: um método simplificado para a quantificação da CMC de surfactantes no ensino da química. Química nova, v.27, n.3, p.492-495, 2004.

MENDONÇA, C.G.; RAETANO, C.G.; MENDONÇA, C.G. Tensão superficial estática de soluções aquosas com óleos minerais e vegetais utilizados na agricultura. Engenharia Agrícola, p.16-23, 2007.

QUEIROZ, A.A.; MARTINS, J.A.S.; CUNHA, J.P.A.R. Adjuvantes e qualidade da água na aplicação de agrotóxicos. Bioscience Journal, v. 24, n. 4, p. 8-19, 2008.

Informações do autores:     

1Discente do curso de Engenharia Agronômica da Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas, UNESP, Dracena/SP – Brasil;

2 Engenheiro Agrônomo, Professor Assistente Doutor, Curso de Engenharia Agronômica da Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas, UNESP, Dracena/SP – Brasil.

Disponível em: Anais do VIII Simpósio Internacional de Tecnologia de Aplicação – SINTAG, Campinas  – SP, Brasil.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.