Seagri quer registro do Benzoato de Emamectina para combater praga de lagarta

211

“O decreto 8.591/2015, do governo federal, que autoriza o Ministério da Agricultura (Mapa), a renovar a autorização, por mais um ano, para uso emergencial do benzoato de emamectina é muito importante, mas não é a solução definitiva”, avalia o secretário de Agricultura da Bahia (Seagri), Vitor Bonfim. Ele entende que o produto é o mais efetivo no controle da lagarta Helicoverpa Armigera, praga que provocou prejuízos superiores a R$ 2 milhões no Oeste da Bahia, e que a solução esperada pelos produtores é o registro definitivo do inseticida. O benzoato de emamectina é utilizado em mais 70 países que possuem legislação rigorosa em termos de defensivos agrícolas, com eficiência comprovada.

O decreto, assinado pela presidente Dilma Rousseff, prorroga o estado de emergência fitossanitária em todo o país e permite ao Mapa liberar o uso do inseticida benzoato de emamectina para estados que tiverem surtos da lagarta Helicoverpa Armigera, decisão que poderá ser estendida até a decisão final sobre o registro do defensivo.

O registro do Benzoato de Emamectina vem sendo pleiteado pela Seagri junto ao Ministério da Agricultura desde o início de 2013, quando a praga da lagarta Helicoverpa assolou o Oeste, atacando as plantações de milho, algodão e soja. O Mapa autorizou a importação do produto e mais tarde o uso emergencial, mas ainda não determinou o registro definitivo.

O benzoato é produto estratégico na luta dos produtores, que adotam o manejo integrado da praga, com monitoramento das lavouras e utilização correta dos defensivos agrícolas, ação acompanhada e orientada pelos técnicos da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), vinculada à Seagri.

Fonte: Ascom Seagri

Autor: Josalto Alves

чугунные сковородыLenovo Yogakl girlлучшие адвокаты харьковапродвижение брендов

Texto originalmente publicado em:
Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura do estado da bahia
Autor: Josalto Alves

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA