Segundo CONAB safra de grãos 2015/16 poderá ser 1,7% superior à safra anterior

942

Segundo levantamento realizado pela CONAB ( Safra 2015/16 N.1 – Primeiro levantamento – Intenção de plantio Outubro/2015), o crescimento da produção poderá ser de até 1,7% em relação à safra anterior variando de 210,3 a 213,5 milhões de toneladas. A área plantada está deverá variar de 58,1 e 59 milhões de hectares. O crescimento, em área,  poderá ser de até 1,5% se comparada com a safra 2014/15.

Abaixo o resumo da projeção das principais culturas:

Algodão: a produção poderá permanecer semelhante à da safra anterior ou aumentar em até 2%.

Amendoim: a estimativa é de safra muito idêntica a 2014/15.

Arroz: há perspectivas de redução de área, mas a produção prevista é próxima à da safra passada.

Feijão: a estimativa é de aumento de até 2,3% em relação ao período anterior. O feijão primeira safra poderá ter um ganho de até 4%.

Girassol: crescimento de até 14% em relação à safra passada. Mamona: estimativa de aumento na produção.

Milho: perspectiva de redução de até 8,9% no milho primeira safra em comparação com 2014/15.

Soja: projeção de crescimento de até 5,9% na produção, podendo atingir 101,9 milhões de toneladas.

Com relação a área plantada destaque, mais uma vez, para a cultura da soja, principal responsável pelo aumento de área. A estimativa é de um crescimento na área cultivada com a oleaginosa entre 1,7 e 3,6% (550,8 a 1.150,6 mil hectares). O algodão apresenta uma redução entre 0,1 e 2,3% (1 a 23,6 mil hectares). Para o milho primeira safra, a exemplo do que ocorreu na safra passada, a expectativa é que haja redução na área entre 6,7 e 4,2% (420,5 e 261,5 mil hectares), área passando a ser cultivada com soja. Para o feijão primeira safra a estimativa é redução de 1,2% (13,1 mil hectares) a um crescimento de 0,8% (8,6 mil hectares.

 O levantamento completo pode ser acessado no site da CONAB.

купитьотзывы окупить конфискованное авто в кредитраскрутка сайта в саратовередизайн сайта это

Texto originalmente publicado em:
CONAB
Autor:

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA