Semeadura de algodão nos EUA atinge 8% da área total estimada

150
Foto: Família Mugnol

Acompanhamento de safra: Os trabalhos de campo nos Estados Unidos para a fase de semeadura do algodão na safra 2018/19 foram iniciados nas últimas semanas. De acordo com o relatório de acompanhamento de safra do USDA, a semeadura do país atingiu 8% da área estimada na semana passada.

Com isso, mesmo com a baixa umidade do solo nas principais regiões produtoras, os avanços estão em linha em relação ao ano passado e apresentam adiantamento de 1 p.p. quando comparados à média dos últimos cinco anos.

Nesse sentido, o Texas, maior produtor do país, já exibe 13% das áreas semeadas, no entanto, grande parte do estado ainda está em alerta quanto ao monitoramento de seca, principalmente na região High Plains, que apresenta seca extrema.

Além disso, a baixa temperatura em algumas regiões norte-americanas também é outro fator de alerta, visto que podem manter as condições climáticas fora do ideal para a germinação da planta.

Confira os principais destaques do boletim:

• A perspectiva de uma relação mundial de estoque/consumo menor para a pluma, segundo o USDA, fez com que as cotações da bolsa de NY finalizassem a semana com alta de 2,05% e 1,24% para os contratos de jul/18 e dez/18, respectivamente.

• Com a alta nas cotações do dólar e na bolsa de NY, as paridades de exportação fecharam a semana com aumento de 3,69% e 2,90% para jul/18 e dez/18, respectivamente.

• Devido ao cenário externo instável, a cotação do dólar finalizou a última semana com avanço de 1,72% e cotação média de R$ 3,41/US$.

• Os subprodutos de algodão mato-grossense finalizaram a semana com avanços. Dessa forma, o caroço, a torta e o óleo apresentaram um aumento de 2,35%, 1,87% e 0,21%, respectivamente.

ESTIMATIVAS MELHORES:

O Imea divulgou a primeira estimativa de oferta e demanda para 2018 de pluma em MT, tendo como destaque a safra 17/18. Dado o aumento da área cultivada de algodão, em conjunto com as boas perspectivas climáticas, é esperada uma oferta recorde no Estado, prevista em 1.288,61 mil toneladas.

Do lado da demanda, o destaque se deve à estimativa recorde de exportações em 745,93 mil toneladas. Com a expectativa de recuperação econômica no país, é previsto um maior consumo das indústrias têxteis nacionais, podendo proporcionar um crescimento no consumo interestadual para 517,98 mil toneladas e de 22,54 mil toneladas no consumo mato-grossense.

Assim, apesar de a demanda continuar intensa neste ano agrícola, o cenário de uma ampla oferta pode fazer com que os estoques finais de pluma no Estado fiquem em 2,6 mil toneladas nesta nova estimativa.

Fonte: IMEA

Texto originalmente publicado em:
Boletim semanal do Algodão- IMEA
Autor: IMEA

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.