Semeadura de milho avança em MT, fechando a semana com 78,73% da área

485

A chuva, na maioria das regiões do estado de MT, deu trégua ao produtor rural, em média foram quatro dias com um tempo ideal para a semeadura do milho. Assim, na média do Estado, os trabalhos a campo avançaram 20,3 p.p., fechando a semana com 78,73%, o que corresponde a cerca de 3,48 milhões de hectares que já estão com o cereal no solo. Na média dos últimos cinco anos para a mesma época, a semeadura apresentava 75,9%, sendo puxada pela safra 2012/13. Apesar de a semeadura não atingir o potencial estimado, grande parte da safra já foi semeado dentro da janela. Contudo, tanto nas áreas já semeadas quanto nas áreas ainda a semear, as chuvas podem definir a produtividade do agricultor mato-grossense. Porém, há um maior risco para as áreas ainda não semeadas, visto que será necessário ter umidade no solo até meados de abril, em vista de um desenvolvimento e enchimento ideais do grão.

Principais destaques do boletim:

  • O contrato para mar/17 na CBOT obteve queda de 1,46%. O recuo deve-se, entre outros
    fatores, a uma reversão após as valorizações da semana anterior.
  • O dólar registrou declínio de 0,45%, cotado em média a R$ 3,08/US$. A expectativa de futuras elevações da taxa de juros nos Estados Unidos pautou a queda nas cotações.
  • O contrato para mar/17 na BM&F exibiu declínio de 0,46% e cotação média de R$ 34,29/sc na última semana.
  • A paridade para jul/17 apresentou baixa de 6,42% nesta semana. A desvalorização nas cotações da CBOT (jul/17) e no dólar puxou a paridade para baixo.

Os contratos a termo do milho em MT para a safra 16/17 vêm trabalhando abaixo do preço mínimo de R$ 16,50/sc. Já o preço médio da paridade de exportação para jul/17 está a R$11,44/sc na média dos últimos seis meses. Nesse sentido, é importante estar de olho no ponto de equilíbrio necessário para cobrir o custo variável da safra, já que desde a 15/16 este custo vem exibindo valores recordes e não está diferente para a safra 16/17. Atualmente, o ponto de equilíbrio apresenta valor de R$ 24,16/sc quando considerado a estimativa de produtividade do Imea de 94,4 sc/ha e um custo variável de R$ 2.280,30/ha na média de MT para milho de alta tecnologia. Caso o milho atinja o preço mínimo, será necessária uma produtividade acima de 130 sc/ha para “pagar” este custo variável. Dessa forma, resta esperar o desenvolvimento das lavouras para avaliar qual caminho a safra seguirá, visto que, mais de 75% do milho foi semeado dentro da janela, possuindo boas
expectativas a campo.

milho_mt_ponto de equilíbrio

O boletim completo pode ser acessado aqui.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Boletim semanal do Milho - IMEA
Autor: Imea

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.