Senar Goiás lança treinamento de Manejo Integrado de Pragas

552

Cada vez mais produtores rurais que trabalham com o uso de defensivos em lavouras estão optando por técnicas que promovam o controle adequado de pragas. Pensando nisso, além da promoção e da capacitação do trabalhador rural, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás) e a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), lançaram na terça-feira (5), durante mais uma edição do Interage, o Treinamento de Formação Profissional Rural (FPR) sobre Manejo Integrado de Pragas (MIP).

De acordo com o presidente da Faeg, José Mário Schreiner, que também preside o Conselho Administrativo do Senar Goiás, o lançamento do treinamento é um marco a favor da capacitação e profissionalização dos produtores rurais que trabalham diariamente com defensivos. “O nosso principal objetivo é integrar conhecimento a prática diária do trabalhador rural, para que de forma correta e adequada utilize os mecanismos a favor da rentabilidade da sua produção”, destacou.

Ao dar as boas-vindas aos novos participantes, que estão divididos em duas turmas com 16 pessoas cada, Schreiner foi enfático ao afirmar que ao inserir conhecimento aos produtores, a agropecuária ficará cada vez mais forte. “O Senar Goiás abri novas fronteiras e possibilidades para sustentar o setor em meio à crise econômica pela qual vivenciamos. Nesse momento, desejo boa sorte aos instrutores responsáveis por acompanhar e capacitar essa nova turma que abre nosso novo treinamento”, ratificou.

Objetivo do treinamento

Participando também do Interage, o gestor do departamento técnico do Senar Goiás, Flávio Henrique Silva, destacou o objetivo do treinamento. “O Manejo Integrado de Pragas tem como objetivo preparar técnicos e produtores para que possam utilizar de forma correta os defensivos, sem danos físicos e econômicos. Tanto do ponto de vista sustentável quanto a forma correta que possa garantir a segurança alimentar da população”, disse.

O técnico adjunto do Senar Goiás, Leonnardo Furquim, ressaltou os objetivos gerias e a metodologia do treinamento. “O nosso foco é caracterizar e discutir as bases e procedimentos de controle para desenvolver e adotar o MIP nos cultivos agrícolas de soja e milho e de sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta em Goiás”, disse.

Furquim destaca também que foram realizados acompanhamentos técnicos às entidades que realizam eventos, pesquisa e extensão nas áreas de entomologia e manejo de pragas agrícolas. “A intenção foi buscar conhecimento para a elaboração de materiais instrucionais para as ações do treinamento”, disse.

O treinamento terá carga horária de 16 horas e neste primeiro treinamento terá duas turmas com 16 participantes cada, que começará nas cidades de Jataí e Cabeceiras. Na programação, o treinamento terá metodologia teórica e prática, abordando conceitos do Manejo Integrado de Praga. Além do fornecimento de matérias didáticos mais dinâmicos para serem disponibilizados aos produtores. “Através da realização do treinamento possibilitaremos a capacitação de produtores rurais na tomada de decisão do manejo adequado a se tomar com as pragas e formação de trabalhadores rurais especializados em identificação de pragas”, explicou o técnico.

MIP

O Manejo Integrado de Pragas (MIP) é uma técnica que mantém as pragas sempre abaixo do nível em que causam danos para as lavouras. O controle pode ser feito por meio de insetos – controle biológico -, uso de feromônios, retirada e queima da parte do vegetal afetada, adubação equilibrada, poda e raleio. O MIP é uma alternativa proposta pela comunidade científica para diminuir o uso de defensivos, que tornam os insetos mais resistentes e podem causar a contaminação de alimentos e do lençol freático quando aplicados indiscriminadamente.

Fonte: Sistema FAEG

Autor(a): Nayara Pereira

escortduo escort istanbulпоисковое продвижение сайтов раскруткадокумента на загранпаспортпроверка частотности запросов

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.