TMG faz parceria com Unicamp para controle de doenças e pragas

Com foco no controle de doenças e pragas das culturas de soja e algodão, a Tropical Melhoramento & Genética (TMG) e a Unicamp firmaram uma parceria para a utilização de uma tecnologia de silenciamento gênico por RNA de interferência. Desenvolvida no Instituto de Biologia (IB) da Universidade, a tecnologia por ser aplicada a qualquer tipo de cultura agrícola. O método foi licenciado em caráter não exclusivo para a empresa, que deverá repassar a tecnologia a produtores rurais.

“Todos os seres vivos possuem um mecanismo para lutar contra ataques virais, silenciando seus genes. Pesquisadores descobriram que podemos usar este mesmo mecanismo para ´enganar´ as células de qualquer organismo e silenciar seus próprios genes”, conta o professor Henrique Marques-Souza, responsável pelos estudos. Nesta parceria, a Unicamp fornece o know-how de como identificar, selecionar e silenciar genes específicos, enquanto a empresa trouxe seu conhecimento agrário, com foco em pragas e doenças da lavoura.

A TMG, empresa 100% nacional de melhoramento genético de soja, algodão e milho, já tinha interesse em tecnologias do gênero e soube dos artigos publicados pelo grupo de Marques-Souza. “Os processos que envolvem o RNA de interferência são algo que outras empresas multinacionais do setor agrícola já estão buscando também. Nós realizamos uma busca, aqui no Brasil, para encontrar pesquisadores que fossem referência nessa área e chegamos até o professor Henrique, que já acumula experiência no silenciamento gênico de RNA. Ele tem uma linha de pesquisa bem alinhada com os objetivos da empresa”, afirma Alexandre Garcia, gestor de Pesquisa da TMG.

“Hoje podemos desenvolver moléculas de RNA silenciadoras para o controle de qualquer praga ou doença nas diversas espécies cultivadas”, completa o docente da Unicamp. Ele se especializou em silenciamento gênico durante o seu doutorado na Universidade de Colônia, na Alemanha, e seu pós-doutorado na Universidade da Califórnia, Berkeley. O pesquisador adaptou a tecnologia para realizar o controle molecular de pragas agrícolas e fundou o laboratório Blast (acrônimo de Brazilian Laboratory on Silencing Technologies), voltado para estudos em silenciamento gênico.

Alexandre Garcia ressalta que a TMG está entre as quatro maiores empresas de sementes no País e adota uma visão inovadora sobre novas tecnologias que lhe proporcionam diferenciais competitivos. “Nós somos a única empresa legitimamente brasileira que compete com grandes multinacionais, como a Monsanto e a Bayer, no mercado de cultivares e de melhoramento genético”, explica.

Fonte: TMG

Texto originalmente publicado em:
TMG
Autor: TMG

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.