A comercialização da safra 18/19 avançou 7,75 p.p., e fechou maio com 79,59% da safra já negociada, o que representa 25,87 milhões de toneladas vendidas. Este progresso é justificado pela recuperação das cotações da soja na bolsa CME-Chicago, pelo aumento dos prêmios portuários, e também pelo dólar, refletindo assim na valorização do grão no mercado mato-grossense.

Junto a isso, também existe a necessidade de o produtor liberar espaço nos silos, já que a colheita do milho de segunda safra foi iniciada. A recuperação nas cotações também repercutiu na comercialização da safra 19/20, que registrou um avanço de 7,20 p.p. e alcançou 19,54% do volume já negociado.

Com isso, o preço médio da safra 18/19 fechou o mês em R$ 64,89/sc, alta de 2,43% em comparação ao mês anterior, enquanto que, o preço médio da safra 19/20 encerrou maio em R$ 65,57/sc, valorização de 1,94%.

Confira os principais destaques do boletim:

• O indicador Imea-MT finalizou a última semana com cotação média de R$ 63,61/sc e queda de 2,64%, influenciado pela desvalorização da moeda norte-americana.

• O contrato CME-Group corrente para a soja encerrou com variação positiva de 0,72%, motivado pelas especulações em relação ao atraso do plantio de soja nos EUA.



• O prêmio no Porto de Santos continuou a subir neste fechamento semanal, registrando aumento de 5,02% e US$ 1,17/bu, reflexo de uma boa demanda pela soja brasileira.

• O dólar terminou a semana a R$ 3,88/US$, com recuo de 2,66%, influenciado pela melhora nas relações comerciais entre EUA x China e nos avanços em relação a reforma da previdência.

PRÊMIOS EM ALTA:

Após ter atingido em jan/19 os níveis de US$ 0,22/bu, o valor do prêmio corrente no porto de Santos no mês de maio apresentou forte recuperação, chegando a ser cotado a US$ 1,35/bu, fechando o mês a US$ 0,97/bu, uma valorização de 97,96%.

Esta elevação em maio foi influenciada diretamente pelo acirramento da guerra comercial sino-americana, após o governo americano aumentar as tarifas de vários produtos de origem chinesa.

Com isso, o governo chinês restringiu ainda mais as compras de soja americana, e voltou a concentrar sua demanda na oferta sul-americana, elevando assim as cotações do prêmio. Em 2019, o prêmio acumula alta de 114,52% até a última sexta-feira.

Esta valorização, em conjunto com um câmbio favorável e a recuperação das cotações na CME, estimulou os negócios da oleaginosa, fazendo a comercialização avançar. Desta forma, é importante o produtor observar as possíveis oportunidades para realizar suas vendas.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.