• O Grão de Milheto apresenta uma série de benefícios e tem se firmado como uma ótima opção para obter lucratividade no período da safrinha.
  • A Cultura promove a melhoria dos solos através da reciclagem de nutrientes, descompactação e reduz nematoides.
  • Alta qualidade do grão o coloca como alternativa competitiva para a produção de ração.

Os agricultores brasileiros estão buscando levar mais lucratividade às suas propriedades com alternativas que ajudam a obter renda durante a safrinha. Uma dessas opções é o milheto, cultura mais comumente utilizada para produção de palhada, proteção e melhorias dos solos, que também se mostra uma boa alternativa para a comercialização de grãos. A produtividade pode ultrapassar 50 sacas por hectare.

O mercado de grãos de milheto já está consolidado por sua qualidade e diferenciais e, por isso, apresenta alta liquidez, com preços atingindo 90% do preço do milho na maioria das regiões produtoras.

O agricultor Armiston Cassiano Barbosa, da cidade de Poxoréu (MT), chegou a colher 51 sc/ha de milheto, plantando os híbridos de milheto graníferos da ATTO Sementes. Além da produtividade, ele destaca a qualidade gerada no solo. “O milheto fez um ótimo trabalho na correção do solo, pois conseguiu reciclar os nutrientes e ajudou muito quando plantei a soja em sequência”, destaca.

O engenheiro agrônomo Wilson Takuro Higuchi, que trabalha numa propriedade agrícola no município de Formosa do Rio Preto (BA), também chegou a esse patamar de produtividade, de 51 sc/há. Além de produzir os grãos, utilizou a palhada no preparo de solo para as próximas culturas.

Benefícios para a soja

Além da produção de grãos, o milheto é bastante utilizado para melhorar o solo para a próxima cultura, levando muitos benefícios para a soja, por exemplo.

Trabalhos a campo em lavouras comerciais, realizados pelo Departamento de Pesquisa ATTO Sementes, demonstram que o aumento de produtividade da soja, sobre a palhada de milheto, pode chegar a 3,48 sacas a mais por hectare, resultado esse obtido na média de quatro safras consecutivas. “Por sua alta sinergia com a soja, o agricultor consegue ganhos diretos e indiretos com a cultura do milheto, aumentando a sua rentabilidade como um todo”, relata Juca Matielo, diretor comercial da ATTO Sementes.

O milheto também traz vários benefícios. Por ter um sistema radicular profundo e abundante, ele recicla os nutrientes do solo que se encontram nas faixas mais profundas, disponibilizando esses nutrientes para a cultura subsequente, o que ajuda na produtividade da soja.

O produtor Grazziani Rodrigo Menezes Carvalho, que planta milheto em São José do Xingu (MT) e Jataí (GO), sentiu essa diferença na soja. “Percebi que a soja plantada depois ficou muito mais uniforme, por conta da matéria orgânica deixada na área plantada e pela redução dos nematoides que afetam a soja”, afirma. O milheto reduz a população do nematoide Pratylenchus brachyurus, que afeta muito a produtividade do grão.

Qualidade para a produção de ração

Para as Granjas de Aves, Suinocultores, Pecuaristas, o grão de milheto também tem grandes vantagens. O teor de proteína do grão de milheto produzido a partir dos híbridos graníferos chega a 14%. Portanto, o grão consegue gerar uma ração de alta qualidade aos animais, diminuindo os custos.

“Na formulação de rações, o custo mais elevado é o da proteína. E, quando o farelo de soja fica mais caro, o milheto acaba tendo uma competitividade imbatível”, relata o melhorista-chefe da Atto Melhoramento, Luiz Bonamigo. Ele ainda cita a questão de o milheto poder ser usado in natura, sem a necessidade de moer, gerando, então, uma economia com energia elétrica no processamento da ração.

Pesquisas constantes

A ATTO Sementes começou a investir no melhoramento de milheto em 2002, por entender que seria uma cultura altamente sinérgica com a soja para a formação de palhada de qualidade e, de lá pra cá, o projeto só cresceu. O primeiro híbrido de milheto da empresa foi lançado no mercado em 2007, e o projeto evoluiu, sempre buscando o aumento de produtividade de grãos, para gerar mais renda aos clientes.

“Os Híbridos Graníferos que estão no mercado hoje, ADRG 9060 e ADRG 9070, apresentam uma excelente entrega ao agricultor, pois são sinérgicos com as grandes culturas e já alcançaram um excelente patamar de produtividade de grãos. Mas o projeto de melhoramento está crescendo e investimos a cada ano para buscar ainda mais produtividade. Teremos boas novidades nos próximos anos”, afirma o melhorista-chefe.

Sobre o Grupo ATTO                                                                                                    Com sede em Rondonópolis (MT), o Grupo ATTO é a holding proprietária da ATTO Sementes – antiga Sementes Adriana, líder na produção de sementes de soja no Brasil com 40 anos de história na agricultura nacional. O fundador do grupo, Odílio Balbinotti, chegou a Mato Grosso em 1980 e, mesmo com os desafios da época, conseguiu produzir sementes de qualidade para uma então nova fronteira agrícola, no município de Alto Garças. Desde 2003 a empresa é presidida por Odilio Balbinotti Filho e, além da semente de soja, passou a produzir sementes de milheto, crotalária, azevém e brachiaria, que plantam mais de 1,5 milhão de hectares no Brasil e mais oito países. Em setembro de 2019, o Grupo lançou a plataforma PlantUP, que vem contribuir com a tomada de decisão do agricultor, alinhada com o propósito de elevar sua competitividade sem o aumento de custos.

Fonte: Assessoria de imprensa Grupo ATTO

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.