Objetivou-se avaliar o efeito de diferentes reguladores de crescimento sobre possíveis alterações na altura de plantas e diâmetro do colmo na cultura do milho (Zea mays L.).

Autores: João Francisco Costa Carneiro Junior1, Clovis Arruda Souza2, Magaiver Gindri Pinheiro1, Rodrigo Kandler1, Emanuel Mattos3

Trabalho publicado nos Anais do evento e divulgado com a autorização e inserção de informações dos autores.

Introdução

Os regulares de crescimento vegetal atuam em ligação com os receptores na planta e desencadeiam uma série de mudanças, principalmente celulares, as quais podem afetar a iniciação ou modificação do desenvolvimento de órgãos ou tecidos, exercendo profunda influência em diversos processos fisiológicos (PAROUSSI et al., 2002).

O uso de reguladores de crescimento é uma das estratégias que pode possibilitar altos índices produtivos na cultura do milho, onde reduzem a estatura de plantas, podendo proporcionar colmos mais grossos (LINZMEYER JUNIOR et al., 2008). Dentre os produtos disponíveis com esse objetivo, tem-se a utilização dos ingredientes ativos prohexadiona cálcica (PROCA) e etefon (E).

Objetivou-se avaliar o efeito de diferentes reguladores de crescimento sobre possíveis alterações na altura de plantas e diâmetro do colmo na cultura do milho (Zea mays L.).

Material e métodos

O experimento foi implantado em 08/11/2017, em casa de vegetação na Universidade do Estado de Santa Catarina/Centro de Ciências Agroveterinárias (UDESC/CAV), localizada no município de Lages-SC, sob delineamento blocos ao acaso, em esquema fatorial 2 x 4, com quatro repetições. Os tratamentos foram compostos por dois híbridos de milho: AS1757 PRO3 e AG9025 PRO3; e quatro estratégias de aplicação com o uso de reguladores de crescimento, compostas de I) controle (sem aplicação de regulador); II) aplicação de PROCA (50 g i.a ha-1); III) aplicação de E (50 g i.a ha-1) e IV) aplicação em associação do PROCA+E (50+50 g i.a ha-1), todos aplicados em dose única sobre as plantas no estádio fenológico V7.


Leia Mais: Teores de reguladores vegetais em plantas de milho, cultivado em primeira safra, com o uso sequencial de Trinexapac-ethyl associado a densidades populacionais


As alturas de plantas (cm) foram determinadas por meio da medição da distância entre a superfície do solo até a extremidade da inflorescência masculina e as mensurações do diâmetro do colmo (mm) foram realizadas no terço mediano do segundo internódio, com auxílio do paquímetro digital, ambas realizadas no estádio fenológico R1.


Confira nossa galeria de cursos TOTALMENTE ONLINE! Agregue conhecimento, faça já!


Os dados foram submetidos à análise de variância pelo teste F, quando significativas, as médias foram comparadas pelo teste Tukey (p<0,05; 5% de probabilidade de erro). Também se procedeu a avaliação dos graus de associação entre as variáveis analisadas em cada genótipo devido aos tratamentos.

Resultados e discussão 

Os produtos e estratégias foram eficientes em diminuir a altura das plantas, dos híbridos AS1757 e AG9025, com a utilização do PROCA, este provocou uma redução de 43 e 32,6% respectivamente. O etefon diminuiu em 54,4 e 32,3% respectivamente, e a associação do PROCA+E reduziu em 62,4 e 56,5% respectivamente (Figura e tabela 1). Resultados semelhantes com o ingrediente ativo etefon, isolado ou em mistura, com outros reguladores vegetais foram relatados por Spitzer et al. (2015).

Figura 1. Altura de plantas do híbrido AS1757 no estádio R2, sem/com aplicação de reguladores de crescimento vegetal.

Tabela 1. Médias da altura de plantas e diâmetro do colmo de dois híbridos de  milho sem/com aplicação de reguladores de crescimento vegetal.

O diâmetro do colmo, de ambos os híbridos, não foi afetado pela aplicação dos reguladores de crescimento. A altura de plantas mostrou correlação com o diâmetro do colmo, mas distinta entre cada híbrido, sendo positiva no AG9025 (r=0,85) e negativa no AS1757 (r=0,47) (Figura 2).

Figura 2. Correlação entre altura de plantas e diâmetro do colmo de dois híbridos de milho sem/com aplicação de reguladores de crescimento vegetal.

Conclusão 

Conclui-se que a aplicação de PROCA e E, isolados ou em associação, são estratégias eficientes na obtenção de plantas de milho com menores estaturas.

Referências

LINZMEYER JUNIOR R. et al. Influência de retardante vegetal e densidade de plantas sobre o crescimento, acamamento e produtividade de soja. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá, v. 30, n. 3, p. 373-379, july/sept. 2008.

PAROUSSI, G. et al. Growth, flowering and yield responses to GA3 of strawberry grown under different environmental conditions. Scientia Horticulturae, New York, v. 96, p. 103-113, 2002.

SPITZER, T. et al. Management of Maize Stand Height using Growth Regulators. Plant Protection Science, Czech Republic, v. 51, n. 4, p. 223-230, 2015.

Informações dos autores:  

1Mestrandos do Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal, Centro de Ciências Agroveterinárias, Universidade do Estado de Santa Catarina – CAV/UDESC;

2Orientador do Programa de Pós-Graduação em Produção vegetal CAV/UDESC;

3Acadêmico do Curso de agronomia CAV/UDESC.

Disponível em: Anais do XXXII Congresso Nacional de Milho e Sorgo 2018. Lavras, MG.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.