InícioDestaqueAmaranthus hybridus: saiba como identificar essa planta daninha no campo

Amaranthus hybridus: saiba como identificar essa planta daninha no campo

As plantas daninhas conhecidas por carurus, estão entre as principais infestantes de diversas culturas.

Os carurus pertencem à família Amaranthaceae, dentre as principais espécies podemos citar:

  • caruru palmeri (Amaranthus palmeri);
  • caruru-gigante (Amaranthus retroflexus);
  • caruru-rasteiro (Amaranthus deflexus);
  • caruru-roxo (Amaranthus hybridus var. paniculatus);
  • caruru-branco (Amaranthus hybridus var. patulus);
  • caruru-de-espinho (Amaranthus spinosus);
  • caruru-de-mancha (Amaranthus viridis).

No texto de hoje, vamos falar sobre o Amaranthus hybridus, pois no mundo, são 32 casos de biótipos de plantas daninhas resistentes a herbicidas.

No Brasil, temos um caso relatado em 2018, em lavouras de soja, aos herbicidas chlorimuron e glyphosate.

Trata-se de uma resistência múltipla, pois envolve dois mecanismos de ação: ALS (chlorimuron) e EPSPs (glyphosate).

Neste primeiro texto, vamos entender como identificar essa planta daninha no campo.

 

O A. hybridus é uma planta daninha anual, monóica (apresenta flores masculinas e femininas na mesma planta) e ereta.

É também conhecido pelos nomes comuns de : bredo, bredo gigante, caruru, caruru bravo, caruru gigante, caruru de folha larga.

Fonte: Heap (2020).

São plantas frequentemente pigmentadas, com folhas simples lanceoladas, dispostas de forma alternada helicoidal. 

Folhas de caruru com manchas esbranquiçadas e disposição das folhas de forma alternada helicoidal. Fonte: Penckowski e Maschietto (2019).

As folhas apresentam na ponta um espinho.

Fonte: Penckowski e Maschietto (2019).

As inflorescências são terminais ou axilares, esverdeadas ou arroxeadas, com flores masculinas e femininas. 

As flores masculinas ficam nas pontas das inflorescências e as femininas na base.Inflorescência terminal maior que 30 cm. Fonte: Penckowski e Maschietto (2019).

Detalhe das inflorescências terminais esverdeadas ou arroxeadas.

 

Conclusão

A cada ano surgem novos casos de resistência de plantas daninhas a herbicidas.

O primeiro passo para um manejo adequado e eficiente no plantas daninhas é a correta identificação das espécies presentes na área.

No texto de hoje, você pode ver quais são as características que temos que observar para identificar o A. hybridus no campo.

Gostou do texto? Tem mais dicas e informações sobre como identificar o A. hybridus? Adoraria ver o seu comentário abaixo!

Sobre a Autora: Ana Ligia Giraldeli. Sou Engenheira Agrônoma formada na UFSCar. Mestra em Agricultura e Ambiente (UFSCar), Doutora em Fitotecnia (USP/ESALQ) e especialista em Agronegócios. Atualmente sou professora da UNIFEOB.

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

16 COMENTÁRIOS

  1. Li vários artigos apontando está planta como uma PANC. Gostaria de saber se o seu consumo não apresenta toxicidade, se há estudos suficientes para que ela venha fazer parte da alimentação

    • Sim, ela é uma PANC e pode ser consumida. O único cuidado é fazer o branqueamento, pois assim como o espinafre, ela tem toxinas que precisam ser eliminadas, então não deve ser consumida crua. Essa matéria diz que ela é uma daninha, uma praga, mas na verdade ela é um alimento delicioso e nutritivo.

  2. Praga é o sistema capitalista que nos impõem a comer o que querem pro sistema funcionar bem independendo da saúde das pessoas que a consomem.

  3. É lamentável quando uma matéria que fala sobre plantio de alimentos se refere à uma determinada espécie como “daninha” ou “praga”. Tudo na natureza tem serventia, ou seja, não está ali por acaso. Quando uma espécie surge num solo onde não fora cultivada, isso revela indicativos importantes para o agricultor. Cabe a ele o manejo adequado, com respeito ao meio ambiente, e às informações que recebeu da Natureza. A planta mencionada é comestível e tem alto valor nutritivo, talvez seja por essa vertente de pensamento ora exposto pelo texto, que estaremos cativos no mapa da fome sabe D’eus até quando …

  4. Praga é o sistema comunista, que não dá suporte à capacidade de produção de alimentos usados por sua população, que por falta do que comer, acabaram incorporando ao cardápio ingredientes estranhos, como gafanhotos e outros insetos, além de outros animais como morcegos, cães, macacos, ratos, cobras… Como os chineses, que aprenderam a ingerir todo tipo de bicho durante as fomes devastadoras que enfrentaram no passado. A pior veio em 1958, quando Mao Tsé-tung decretou a coletivização do campo. Todos os que viviam na zona rural foram obrigados a trabalhar em fazendas controladas pelo governo, que confiscou a produção e se deu o papel de distribuidor de comida. Os camponeses foram proibidos de arar a própria terra ou de ter uma cozinha. Enxadas, arados, panelas e facas foram derretidos para produzir metais para o Partido Comunista. Só era permitido comer em refeitórios coletivos. O resultado da coletivização foi devastador. A produção de alimentos caiu e a fome chegou. Em 1960, para tentar diminuir o estrago, o Comitê Central do Partido Comunista publicou uma resolução recomendando a ingestão de insetos.Na Grande Fome da China, como a tragédia ficou conhecida, morreram 38 milhões de pessoas. No desespero, alguns violavam túmulos para comer cadáveres recém-enterrados. Mas enfim, tem alguns que ainda esperam pela picanha que será provida pelo (des)governo socialista.

  5. QUALQUER PLANTA QUE INTERFIRA NO DESENVOLVIMENTO DE UMA CULTURA DE VALOR DE ECONÔMICO (SOJA, MILHO, TRIGO…), OU SEJA, QUALQUER PLANTA QUE ESTEJA EM MEIO A UMA CULTURA FOCO E PORTANTO NÃO ESTÁ NO SEU DEVIDO LUGAR, INDEPENDENDE DE QUAL SEJA, SE FOR COMESTÍVEL OU NÃO, **É CONSIDERADA UMA PLANTA DANINHA**. POR EXEMPLO, UM PÉ DE MILHO EM MEIO A UMA LAVOURA DE SOJA, SERÁ CONSIDERADO UMA PLANTA DANINHA, LOGO, O CONCEITO DE PLANTA DANINHA ESTÁ ATRELADO AO CENÁRIO E NÃO AO TIPO E CARACTERÍSTICAS DA PLANTA EM SI. ESTUDEM ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR…

    Para mais informações sobre: https://www.embrapa.br/tema-plantas-daninhas/sobre-o-tema#:~:text=Nos%20dias%20de%20hoje%2C%20plantas,sendo%20consideradas%20como%20plantas%20indesejadas.

  6. Acho interessante uma pessoa com tantas especialidades, formada nas áreas da Agronomia e Ambiental, não citar as qualidades desta planta que desde tempos remotos tem sido usada não só como erva Medicinal, bem como para fins de nutrição do povo da roça, já que estás espécies, são riquíssimas em carboidratos, minerais, sódio, vitaminas e chamar uma planta destas como “daninha”, é um pecado ou mesmo despreparo.
    Como facilitador em cursos de Sustentabilidade e Pequenas Propriedades Auto Sustentável, mostro todos os tipos de Produtos Alimentícios Não Convencionais (Panc’s) e os benefícios que “Todos” oferecem as lavouras, preservando os tais. Fico pasmo quando leio matérias de pessoas com conhecimento elogiável, citando que está ou aquela planta é daminha. Daninhas são as lavouras de uma área de sua formação, o Agronegócio, o qual planta desmatando milhões de hectares de matas e destruindo os recursos hídricos apenas pela ganância do maldito dinheiro, plantando soja, milho, algodão, trigo e tudo isso, Transgênicos. E mais, nada do que eles plantam é servido nas mesas dos brasileiros. Está provado pela própria Secretaria de Abastecimento do Ministério da Agricultura, que cerca de 75 a 85% de tudo o que se consome no Brasil são provenientes da nossa Agricultura Familiar e dos Assentamentos Campesinos. O agronegócio não produz batata, cenoura, chuchu, Pepino, alface, chicória, vagem, pimentão, tomate, carne de porco, bovina e aves para os milhões de brasileiros que vivem abaixo da linha da pobreza, dos assalariados. Tudo que se é produzido no Agronegócio é exportado. O que fica aqui são refugos cheios de conservantes e muitos outros produtos químicos. Querem acabar com a população lentamente com esta dizendo que isso ou aquele outro produto é bom. Bom é um suco de laranja, limão e abacaxi colhido na hora e não os de saquinhos em pó feitos com bagaços das frutas que extraem sucos e vendem ao exterior.
    Gostoso é comer galinha de terreiro e não frangos com anabolizantes e conservantes de 20 dias. Bom é comer carne e banha de porco caipira e não passar mal, como faz mal as carnes de suínos brancos criados com tudo que não presta e recheados de nitratos e nitritos senão apodrecem em 3 dias. O porco caipira não apodrece, vira linguiça, charque, bacon, copa, presunto, lombo e etc… Falar bem dos que te geram benefícios e talvez até um cargo é muito legal. Mas sua consciência com certeza te cobra. Ou como disse lá em cima, talvez seja falta de conhecimento ou seja mesmo despreparo.
    Passar bem!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares