Fatores de alta

  • Compras chinesas, reduzem o estoque americano a níveis quase pré-Trade War
  • Relatório do USDA, confirmando estes estoques
  • Geada inesperada
  • Internamente, no Brasil, a escassez de produto está mantendo os preços elevadíssimos no RS
  • Dólar ainda está em níveis bem elevados e deve ser aproveitado

Fatores de baixa

  • Tomada de lucro
  • Aumento da posição comprada dos Fundos

Comentário

Os chineses estão determinados a cumprir a Fase Um do acordo, as compras nos EUA. Com isto a China é o principal fator de alta da soja no mercado internacional, neste momento. O que temos a dizer sobre isto? Acreditamos que seja passageiro. É uma ação que não vai ter continuidade. Por quê? Por duas razões:

  • a) A China ainda precisa (nesta temporada) da soja americana para se abastecer. Mas, sabendo que Trump vai se eleger e disse que não quer mais fazer negócio com os chineses, sabe que esta disponibilidade pode acabar, então está retirando dos EUA, enquanto pode, toda a soja disponível;
  • b) Com a previsão de aumento de quase 11 milhões de toneladas da produção brasileira, anunciada por todas as consultorias no Brasil, para a próxima safra, a China poderá substituir grande parte do que hoje importa de soja americana por soja brasileira a partir da temporada de 2020/21, livrando-se de Trump.

Conclusões

As principais conclusões que se pode tirar deste comportamento são as seguintes:

  • a) Plante toda a soja que puder e ainda será pouco. A demanda chinesa tenderá a crescer sobre o Brasil;
  • b) Chicago ainda pode subir um pouco, arrastando a cotação de maio junto (principal mês de formação de preços da soja brasileira), mas tenderá a cair a longo prazo (a partir de dezembro). Com isto, nossa recomendação seria a de se fixar os preços de exportação de soja para maio neste período de agora até 15 de dezembro, que é quando julgamos que atingirão o pico do ano comercial 2020/21.
  • c) Já os prêmios sobre a soja brasileira tenderão a subir mais a partir de dezembro, quando a China se voltar inteiramente sobre o Brasil.

(O grande problema do Brasil é que tem poucas empresas que vendem FOB estivado; a imensa maioria vende posto sobre rodas nos portos e, com isto, deixa de aproveitar a melhor parte dos preços).



No RS indústrias tem que elevar preço (chegou a R$ 148,00), mas se queixam que está difícil repassar para o farelo

Dia tenso para preços de soja: indústrias seguem querendo comprar, mas, há muito poucas ofertas, não apenas porque há pouca disponibilidade física, mas porque o agricultor, capitalizado, pede sempre preços maiores. Então tinha preços para outubro e para novembro, muito distintos: para outubro no porto R$ 143,00, em Canoas R$ 145,00, em Ijuí R$ 143,00, em Cruz Alta R$ 143,00 e não teve preço em Passo Fundo.

Para Novembro não teve preço em Canoas e no Porto, mas em Ijuí valia R$ 146,00, em Cruz Alta R$ 147,00, em Passo Fundo R$ 148,00. Mas, as indústrias se queixam de que está difícil repassar estes preços elevadíssimos da soja para o farelo. Soja futura valeu R$ 129,00 entrega e pagamento em março, R$ 127,50 entrega abril/maio e pagamento maio e R$ 128,50 entrega e pagamento junho.

E mais um agravante: a atual a seca no Centro Oeste do Brasil vai empurrar o plantio de soja para frente. De onde as indústrias irão tirar soja em janeiro? Os EUA estarão com estoques reduzidos, a Argentina, idem. Tudo é motivo de alta a curo e médio prazo.

No Paraná, preços também subiram entre 1 e 3 reais/saca para R$ 146,00

Com a aproximação do leilão de biodiesel os preços oferecidos pelas indústrias subiram mais 5-9 reais no mercado de lotes, nesta quinta-feira. No mercado de balcão o preço oferecido ao agricultor na região de Ponta Grossa subiu mais 5 reais/saca para R$ 125,00. Na tabela nº 1 acima pode-se ver os preços para os produtores em outras praças.

No mercado de lotes, para entrega em setembro o preço avançou mais um real/saca para R$ 145,00/saca, em Ponta Grossa, mas, pagamento final de novembro. No interior dos Campos Gerais o preço também avançou 3 reais/saca para R$ 144,00, retirada outubro, pagamento em novembro. Para entrega em outubro e pagamento em janeiro o preço subiu novamente mais 3 reais/saca para R$ 146,00.

Em Paranaguá a cotação do mercado disponível se manteve em R$ 145,00, entrega setembro, pagamento final de outubro. Para safra nova no porto entrega Abril com pagamento 30/04/21 R$ 121,50 (121,00 anterior); entrega Maio com pagamento 30/05/21 R$ 120,60 (121,60); entrega Junho com pagamento 30/06/21 R$ 122,50 (122,20); entrega Julho com pagamento 30/07/21 R$ 123,70 (123,40).

Na Ferrovia, em Maringá, para a safra 2021, entrega até 25/01, pagamento 15/02 – ideia R$ 117,00 (116,50 anterior); entrega até 15/04, pagamento 30/04 – ideia R$115,50 (115,00); entrega até 15/05, pagamento 31/05 – ideia R$ 116,00 (115,50); entrega até 15/06, pagamento 30/06 – ideia R$ 117,00 (116,50); entrega até 15/07, pagamento 30/07 – ideia R$ 117,50 (117,00).

Para a safra 2021, o preço avançou 5 reais/saca para R$ 125,00/saca, em Ponta Grossa, entrega e pagamento abril/abril.

No Mato Grosso do Sul, dia de muitas vendas, preços atingindo R$ 147,00/saca

No Mato Grosso do Sul esta sexta-feira foi um dia intenso de vendas: da safra 2019/20 foram negociadas cerca de 50.000 toneladas a preços ao redor de R$ 147,00 em Dourados; da safra 2020/21 foram negociadas 40.000 toneladas, a preços ao redor de R$ 113,00/saca FOB. Da safra 2021/22 foram negociadas 50.000 toneladas ao redor de R$102,00/saca.

No Mato Grosso mercado travado, muito especulado pelo vendedor

Da safra 2019/2020 foram negociadas apenas 3.000 toneladas. Mercado totalmente travado. Estoque baixo, mercado muito especulado pelo vendedor. Preços para embarque out/20 com pagamento em 72 h R$ 135,00; embarque em Nov 20, com pagamento em Nov 20, em Campo Verde e Primavera do Leste R$ 140,00. Entrega CIF Fábricas em Rondonópolis, Out/20 R$ 140,00, Nov 2020, R$ 145,00. Soja 2020/2021 foram negociadas 35.000 toneladas.

Vendas travadas, apesar de melhora de Chicago na semana. Preços entre R$112,00 a 115,00/saca, ou U$ 21,40 a U$ 22,00 para Março/Abril 2021. Soja 2021/2022 já foi negociado 12% Negociado no geral. Produtor iniciou vendas com a melhora de Chicago e cambio, na faixa de R$ 103,00 a R$ 105,00, apesar de entender que é cedo para travar. A conta em dólar está muito fraca 18,50 USD não motiva o produtor a vender, se chegar a 19,00 a 19,50 dólares começa a rodar.



Fonte: T&F Agroeconômica

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.