A área a ser plantada com soja no Pará será elevada na temporada 2020/21. “Devemos cultivar 600 mil hectares nesta safra, ante os 560 mil hectares plantados na passada”, aposta Vanderlei Ataídes, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja do Pará (Aprosoja-PA), que concedeu entrevista exclusiva à Agência SAFRAS. “Vai absorver áreas de pastagens e lavouras abandonadas”, enumera.

Segundo o presidente, a área no sul do estado é onde mais cresce, seguido pela região de Paragominas. “Vale ressaltar que não temos nem 0,5% da área cultivável plantada no Pará”, destaca, acrescentando que há muito espaço para aumentar.

Se as chuvas vierem dentro do esperado, o plantio de soja em Paragominas começa dia 15 de dezembro. “No sul do estado, inicia ainda em outubro”, frisa o entrevistado. A chegada de insumos é bastante tranquila até o momento.

Na temporada 2019/20, a produtividade média foi estimada em 53 sacos por hectare (3.180 quilos), afetada um pouco pela luminosidade solar insuficiente. “Tivemos algumas áreas muitos boas, e outras com rendimento 15% abaixo do esperado”, exemplifica.

O presidente da Aprosoja local reclamou da impressão negativa passada no exterior pelas ONGs (organizações não governamentais) sobre os produtores de soja. “Fico indignado com a pressão ambientalista”, dispara. “É uma falta de respeito com os povos da Amazónia, que são 8 milhões de pessoas somente no estado do Pará”, completa.

Segundo a última estimativa de SAFRAS & Mercado, a área com soja no Pará deve avançar 10,2% e somar 650 mil hectares em 2020/21, com rendimento médio de 3.300 quilos por hectare. Na temporada passada, foram plantados 590 mil hectares, com 3.300 quilos por hectare de média.

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Rodrigo Ramos - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.