O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho das plantas de milho em cinco níveis de compactação do solo em cultivo de primavera-verão na região de Sete Lagoas-MG.

Autores: Christiano Lima de Oliveira1, Jacson Antunes Almeida Machado1, Alberto Antônio Gontijo e Silva1, Samuel Petreccone Caixeta2, Iran Dias Borges2,
Édio Luiz da Costa2, Lorena Martins Brandão3

Trabalho publicado nos Anais do evento e divulgado com a autorização e inserção de informações dos autores.

Introdução

Modificações estruturais causadas no solo pelos diferentes sistemas de manejo podem resultar em maior ou menor compactação, que poderá interferir na resistência mecânica à penetração, densidade e porosidade do solo, influenciando o crescimento radicular e, por fim, a produtividade das culturas.

O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho das plantas de milho em cinco níveis de compactação do solo em cultivo de primavera-verão na região de Sete Lagoas-MG.

Material e Métodos

• Semeadura 20/12/2017 na área experimental da Universidade Federal de São João Del-Rei, campus Sete Lagoas/MG utilizando o híbrido BM3063-PRO2 e uma densidade de 60.000 plantas ha-¹.

• Adubação 600 kg ha-¹ da formulação NPK 04-14-08 no plantio e 400 kg ha-¹ de sulfato de amônio em cobertura.

• Delineamento foi de blocos casualisado com três repetições e cinco níveis de compactação do solo (0, 2, 4, 6 e 8 passadas) do trator John Deere 5075-E, a 1.500 rpm marcha B2, cerca de 8 km/hora, totalizando 15 parcelas. Estas que foram constituídas de seis linhas de 3,3 metros e espaçamento de 0,7 metros.

Resultados e Discussão

Os dados obtidos foram analisados com uso do programa SISVAR. As variáveis analisadas foram: Peso de cem grãos, altura de inserção de espigas e altura de plantas. O peso de cem grãos e altura de inserção de espigas não foram influenciados pelo número de passadas de máquina, com valores médios de 0,27g e 1,12m, respectivamente, valores esses compatíveis com as condições de realização de trabalho. A altura das plantas de milho decresce com o aumento do número de passadas da máquina, estimado pela equação de regressão (y=215,2-5,897x+0,443x², R²=85,5%) obtidos com 6,7 passadas, tendo a altura mínima da planta.

Figura 1-  Altura de plantas em função do número de passadas de máquina.

Conclusão

Quanto mais passadas de máquina, maior a compactação e menor o desenvolvimento de raízes e absorção de água do solo comprometendo a formação de parte aérea da planta ou seja, o aumento da compactação do solo provoca diminuição na altura das plantas.

Referência

FREDDI, O.S.; CENTURION, J.F.; BEUTLER, A.N.; ARATANI, R.G. & LEONEL, C.L. Compactação do solo no crescimento radicular e produtividade da cultura do milho. R. Bras. Ci. Solo, 31:627-636, 2007.

Informações dos autores:  

1 Estudante de Graduação da Universidade Federal de São João Del Rei, Sete Lagoas –MG;

Professor adjunto da Universidade Federal de São João Del Rei – UFSJ, campus Sete Lagoas/MG;

Bolsista de Doutorado do CNPQ, UFLA-MG.

Disponível em: Anais do XXXII Congresso Nacional de Milho e Sorgo 2018. Lavras, MG.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.