Depois de uma semana de seca em boa parte das regiões de Goiás, as chuvas ocorridas no último fim de semana trouxeram alívio aos produtores, mesmo com a contabilização certa de perda na produtividade nas áreas de soja precoce e milho 1ª safra.

Nas áreas com plantas de ciclo um pouco mais alongado, as chuvas foram muito bem vindas e deram um fôlego depois de um período de alguns dias sob condição de estresse hídrico.

Um fator que agravou a situação nas áreas mais precoces foi a temperatura média alta que provocou um encurtamento de ciclo nas plantas e coincidiu com o período de veranico, sendo crucial para uma queda expressiva da produtividade em algumas áreas.

 

Uma grande área de baixa pressão atmosférica, se deslocou do Sudeste para o Centro-Oeste do Brasil, permitindo a formação de fortes áreas de instabilidade. Durante o fim de semana, a chuva caiu forte e volumosa no centro do país.

Áreas de instabilidade ainda estão presentes sobre a região central do Brasil, principalmente sobre os estados de Mato Grosso e Goiás. Dessa forma, ainda há possibilidade de pancadas de chuva em pontos isolados desses estados.

Dados das principais estações meteorológicas de Goiás, mostraram que o volume médio de precipitação no estado no mês de janeiro, foi de aproximadamente 111,45 mm enquanto que a média histórica para o mês é de 275 mm, ou seja, 59,5% a menos. Mesmo assim as chuvas que vieram trouxeram algum alívio para o sudoeste da Bahia, noroeste de Minas Gerais e na região Central, incluindo Goiás.

Algumas áreas que estavam com déficit hídrico severo receberam novos volumes melhorando as condições vegetativas das plantas e a umidade de solo. O volume médio de chuvas nesse fim de semana em Goiás foi de 25 mm e em algumas áreas esse volume chegou a quase 100 mm/dia, em outras o volume foi ínfimo.

Apesar das chuvas nos últimos dias, a maior parte do Centro Oeste deve fechar o mês com acumulados abaixo da média histórica. Um outro ponto relevante a destacar é que com as nebulosidades e chuvas dos últimos dias as temperaturas diminuíram no Centro-Oeste, já que em algumas regiões a temperatura média máxima superou os 35°C na última semana.

Para conferir o Boletim completo, clique aqui.



Fonte: Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás – IFAG

Texto originalmente publicado em:
IFAG 
Autor: Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás – IFAG 

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.