Boas práticas fitossanitárias do Algodão

Informações de Chapadão do Sul, Costa Rica e Alcinópolis

As semeaduras do algodão nesta região (Norte/Nordeste) foram finalizadas, neste núcleo representado pelos Municípios de Chapadão do Sul, Costa Rica e Alcinópolis foram semeados 28415 hectares, sendo que 24059 hectares (84,67%) foram semeados na modalidade safra e 4356 hectares (15,33%) na modalidade de segunda safra.

No município de Chapadão do Sul os números finais das áreas semeadas no município com algodão safra e segunda safra, ficaram da seguinte forma: 6968 hectares (85,7%) foram semeados na modalidade de algodão safra e 1160 hectares (14,3%) na modalidade segunda safra, totalizando uma área total de algodão no município de 8128 hectares.

Em Costa Rica, município que demanda a maior área semeada com a fibrosa no Estado, totalizou uma área semeada de 19082 hectares, destes 16430 hectares (86,1%) foram semeados na modalidade de algodão safra e 2652 hectares (13,9%) na modalidade de segunda safra, ou seja, o plantio ocorre logo após a colheita da soja.

No município de Alcinópolis, foram semeados 1204 hectares de algodão, sendo que 660 hectares (54,8%) foi semeado na modalidade safra e 544 hectares (45,2%) na modalidade de segunda safra.

Os talhões semeados na primeira quinzena de dezembro estão com aproximadamente 87 DAE (dias após a emergência), e até o momento apresentam bom desenvolvimento e “pegamento” de estruturas reprodutivas (botão floral, flores e maçãs). O clima tem favorecido o desenvolvimento da cultura, períodos de sol na maior parte do dia e precipitações ao findar do dia, têm sido comuns na região.

Em relação ao manejo do complexo de lagartas, as cultivares que requerem maior atenção são as que não apresentam tecnologia Bt. No núcleo a área semeada com esse tipo de cultivar representa 15,47% da área semeada.

Nessas cultivares danos ocasionados pelo ataque de Helicoverpa armigera, Heliothis virescens, Spodoptera frugiperda e Chrysodeixis includens têm ocorrido com frequência, sendo necessário realizar o controle das mesmas com intervenções químicas frequentemente.

Por outro lado, áreas de algodão-Bt com apenas proteínas do tipo Cry1 (WideStrike/WS ou Bollgard/BG) representam 66,8 % da área semeada na região e apresentam maior intensidade das lagartas Helicoverpa armigera, Heliothis virescens e Spodoptera frugiperda, sendo que em lavouras com aproximadamente 85 DAE já foram necessária realizar até seis intervenções químicas para o controle destes lepidópteros. As cultivares que apresentam a tecnologia Cry1Ab + Cry2Ae (Twinlink© e Bollgard II) representam 17,6% da área semeada e até o momento não foi necessário realizar a intervenção química para o controle de lagartas.

Em relação ao bicudo do algodoeiro, considerada a principal praga da cultura, ocorre controle de forma efetiva através  de aplicações em área total em B1 (surgimento do primeiro botão floral) o tratamento das bordas dos talhões tem sido tratado com intervalos máximos de cinco dias e/ou monitorados constantemente e a incidência da praga é considerada baixa até o momento, entretanto algumas propriedades já identificaram danos de alimentação, postura e presença da praga, no entanto as equipes técnicas das propriedades devem ficar atentos, pois esta praga se multiplica rapidamente e podem ocasionar sérios danos a cultura.

No que diz respeito ao complexo de doenças, a mancha de ramulária é a doença que demanda maior controle, na região algumas propriedades já realizaram quatro pulverizações para o controle da doença. A incidência da doença está ligado diretamente ao manejo da mesma na região, no entanto é fundamental que as medidas de controle e manejo das doenças sejam realizadas de maneira adequada, adotando práticas culturais de rotação de culturas, eficiente destruição de soqueira cumprindo o vazio sanitário regional, realização de monitoramento minucioso e detalhado dos níveis de infestação e severidade da doença para realização dos tratamentos e o uso de cultivares com resistência múltipla a doenças, são algumas formas de tentar amenizar os danos acometidos por doenças.

Em relação ao algodão segunda safra, apresenta-se na fase de transição de vegetativa para reprodutiva, sendo que algumas propriedades já estão realizando as aplicações em B1 em área total para o controle do bicudo, no entanto a principal preocupação tem sido o manejo de plantas daninhas, pois com a colheita da soja o surgimento de plantas indesejáveis como plantas de soja e gramíneas, podem ocasionar a competição com as plântulas de algodão. Em relação as aplicações de herbicidas em pós emergência e aplicações em jato dirigido, devemos ficar atentos em relação a correta forma de utilização dos mesmos, principalmente em misturas nos tanques de pulverização, pois podem ocorrer incompatibilidade e ocorrer fitotoxicidade acentuada na cultura prejudicando o seu desenvolvimento inicial, no caso dos jatos dirigido a equipe técnica da fazenda deve ficar atenta e regular de forma correta o equipamento posicionando o jato no local desejado, pois se o equipamento estiver mal regulado os químicos aplicados podem ocasionar injúrias na cultura abrindo porta de entrada para a instalação de doenças.

Durante o período compreendido por este Informativo foram realizados nos dias 06/02 (Chapadão do Sul) e 14/02 (Costa Rica), reuniões dos Grupos de Trabalho do Algodão, estiveram presentes produtores, consultores, gerentes e técnicos responsáveis das propriedades, em cada unidade foram abordados temas como a eliminação de plantas involuntárias nas margens de rodovias, monitoramento de plantas tigueras em áreas que tiveram a cultura na safra passada, doenças, controle de lagartas e mosca branca, entre outros. A trocas de informações entre as unidades produtoras são importantíssimas para alinhar as melhores estratégias de manejo para a cultura do algodão.

Clique aqui e acesse o arquivo completo

Fonte: Informativo Programa Fitossanitário 159

Texto originalmente publicado em:
Ampasul
Autor: Ampasul

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.