Para ajudar agricultores, extensionistas e consultores a identificar pragas e doenças da lavoura de feijão é fundamental para fazer o manejo adequado e garantir uma boa colheita, de forma sustentável, a Epagri disponibiliza para download gratuito o Boletim Técnico “Pragas e doenças do feijão: diagnose, danos e estratégias de manejo”.

A publicação, editada pela entidade, traz fotos e informações sobre morfologia e bioecologia, danos, amostragem e medidas de controle de cada praga. Em relação às doenças, além das imagens, são disponibilizadas informações sobre sintomas, epidemiologia e medidas de controle. Em cada situação, há orientações para o manejo integrado da lavoura.

Prático, o guia pode ser levado a campo pelos produtores para facilitar a identificação dos problemas de ocorrência mais comum nas lavouras de feijão. Crédito: Divulgação

Prático, o guia pode ser levado a campo pelos produtores para facilitar a identificação dos problemas de ocorrência mais comum nas lavouras de feijão de Santa Catarina e dos demais Estados da Região Sul do Brasil.

Pragas

O boletim traz, na primeira parte, informações sobre pragas como lagarta-rosca, lagarta-elasmo, vaquinha-verde, vaquinha-preta, cigarrinha-verde, mosca-branca, mosca-minadora, ácaro-branco, ácaro-rajado, falsa-medideira, lagarta-da-soja, lagarta-das-vagens, percevejo-marrom, percevejo barriga-verde e caruncho do feijão.

De acordo com os autores do guia, entre os fatores limitantes à obtenção de altas produtividades na cultura do feijão está a ocorrência de artrópodes-praga, que podem surgir nas lavouras durante praticamente todo o ciclo. “Os insetos e os ácaros são pragas associadas ao feijão que podem causar sérios danos diretos em diversas partes da planta, além de danos indiretos, através da transmissão de viroses e microrganismos patogênicos”, acrescentam.

O boletim traz informações sobre as principais pragas e doenças que atrapalham no manejo das lavouras de feijão: Crédito: Embrapa

As informações orientam técnicos e agricultores na prática do Manejo Integrado de Pragas (MIP) do feijão, buscando atender os critérios de sustentabilidade por meio do uso consciente de estratégias de manejo e táticas de intervenção.

Doenças                    

O guia também aborda doenças como antracnose, mancha-angular, ferrugem, oídio, mancha de fusarium, podridão radicular seca, mosaico-comum, mosaico-dourado e nematoide-das-galhas, com orientações para o Manejo Integrado de Doenças (MID).

A diagnose através da observação de sintomas e sinais dos patógenos, segundo o boletim, é imprescindível para o manejo integrado de doenças em todos os sistemas produtivos, servindo para orientar o planejamento, a implantação e a condução das lavouras. O objetivo é obter altas produtividades, com qualidade e reduzidos impactos para o ambiente e para a saúde do agricultor e do consumidor, considerando também os fatores econômicos.

Cultura

Cultivado por agricultores familiares, o feijão é uma das culturas mais importantes no Sul do Brasil. Crédito: Aires Mariga/Epagri.

Considerada uma das culturas mais importantes para a Região Sul do Brasil, o feijão é cultivado, principalmente, por agricultores familiares. Na safra 2019/2020, Santa Catarina colheu 101.295t, de acordo com a Síntese Anual da Agricultura de SC, editada pela Epagri/Cepa.

O Brasil é, segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o maior consumidor per capita mundial de feijão, com 16 kg/ habitante/ano. Em 2018, o País ocupava a segunda posição mundial em área plantada de feijão, sendo responsável por 8,8% do total.

Para acessar a página e realizar o download gratuito clique aqui.

Fonte: Assessoria de Comunicação Epagri
Texto originalmente publicado em:
SNA - A Lavoura
Autor: Epagri

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.