A Caravana de Grãos de Alagoas 2020 visitou, na sexta (18), experimentos em campo conduzidos pela Embrapa e parceiros com variedades de soja e sorgo, além de áreas comerciais de milho, soja e algodão, em Limoeiro de Anadia e Anadia, no Agreste Alagoano.

Com número reduzido de participantes (25), uso de máscaras e distanciamento social por conta da pandemia de covid-19, a caravana visitou duas propriedades rurais onde ensaios de campo estão sendo conduzidos em 2020 – Fazenda Jequiá, em Limoeiro de Anadia, e Fazenda Santana, em Anadia.

O grupo foi composto por produtores rurais, assistentes técnicos dos setores público e privado, revendedores de insumos e maquinários e professores e alunos da UFAL, além de dirigentes da Seagri-AL, Embrapa, Senar/AL e FAEAL.

Promovida pela Comissão Estadual de Grãos, a Caravana busca apresentar e discutir com os atores do agro alagoano o grande potencial para a expansão do cultivo de grãos no estado, conferindo maior diversificação da produção e perspectivas de ganhos de rendimento em face do tradicional monocultivo da cana.

Na visita, os participantes puderam ver de perto os resultados preliminares de ensaios de campo para introdução e avaliação de genótipos de soja, uma unidade demonstrativa de materiais de soja do tipo BRS (desenvolvidas pela Embrapa), além de plantios experimentais que integram o Ensaio Nacional de Milho e de Sorgo. Essas atividades de pesquisa contam com aportes financeiros dos produtores parceiros e da Fapeal.

Os proprietários anfitriões, Feliz Simnetti e Ivanilson Santana, deram as boas vindas aos visitantes, demonstrando a confiança dos empreendedores rurais no potencial alagoano para grãos. O secretário da Agricultura de Alagoas, João Lessa, destacou a importância da iniciativa para o desenvolvimento agropecuário do estado.

Walane Ivo, coordenadora da Unidade de Execução de Pesquisa (UEP) de Rio Largo, vinculada à Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE), destacou os impactos positivos das ações e resultados de pesquisas da Embrapa com grãos na nova região do Sealba, com Alagoas se destacando significativamente, com aumento de área plantada, produtividade e diversificação.

Os pesquisadores Antonio Santiago e Paulo Albuquerque, que integram a Comissão de Grãos e coordenam os experimentos com soja, sorgo e milho na região, apresentaram as áreas de ensaios e destacaram as variedades que despontaram em produtividade, num cenário em que a soja vem ganhando destaque nos últimos seis anos.



Pesquisas

Desde 2013, a Embrapa Tabuleiros Costeiros vem realizando experimentos para avaliar o potencial da cultura da soja na região dos Tabuleiros Costeiros e Agreste nordestinos, na nova fronteira agrícola denominada Sealba (sigla de Sergipe, Alagoas e Bahia).

O objetivo é consolidar um sistema de produção de grãos, com destaque para a soja, completo e totalmente adaptado às condições da região, desde a seleção de variedades aos tratamentos de solo, tratos culturais, colheita e pós-colheita. Conforme previam os pesquisadores envolvidos, as potencialidades se concretizaram e os produtores vêm apostando na cultura, com excelentes resultados de produtividade e aumento de área plantada.

Nesse período, diversas ações de pesquisa vêm sendo realizadas, como a seleção e recomendação de cultivares com base em adaptabilidade e estabilidade de produção, porte para colheita mecanizada, nível de acamamento das plantas, e ciclo de produção; adaptação da cultura no sistema de plantio direto; e recomendação para a inoculação de sementes, buscando a não dependência de fertilizantes nitrogenados.

Além da soja, as culturas de sorgo e trigo tropical vêm sendo avaliadas em ensaios de campo nas fazendas dos produtores parceiros em diversos municípios alagoanos.

Fonte: Embrapa

Texto originalmente publicado em:
Embrapa Tabuleiros Costeiros
Autor: Saulo Coelho - Embrapa Tabuleiros Costeiros

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.